Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

TREMOR #4… BEAK>, Yves Tumor e Circuit des Yeux encabeçam novas confirmações

As entradas em 2017 estão feitas e entra-se em contagem decrescente para a quarta edição do festival TREMOR, que tem aquecido as primaveras e agitado terra e oceano no arquipélago dos Açores. São Miguel já se está a preparar para receber, entre outros, Mão Morta, Flamingods e Norberto Lobo, e as preparações vêem agora a parada a subir com as novas adições.

untitled

Em primeiro lugar, e com selo de cabeça de cartaz, temos os BEAK> de Geoff Barrow, mais reconhecido pelo seu trabalho com os Portishead e que encontrou no universo kraut deste trio o mais criativo esforço dentro do género dos últimos anos. Na calha trazem a banda sonora para “Couple in a Hole”, com que se têm apresentado ao vivo. Com eles vem, ainda, Haley Fohr e o seu fantasmagórico projecto Circuit des Yeux, e o estranho e cativante Yves Tumor, cujo condão pop arrepia com a mesma solenidade exagerada dos anos 80.

 

Nos reforços nacionais, temos o Conjunto Corona, autor do quase-polémico e unanimemente bem recebido “Cimo de Vila Velvet Cantina” e de mais uma série de registos já a subir cadeias de elogios dentro do rap português; nascidos nos Açores, teremos We Sea, projecto pop camaleão que se transforma de canção para canção, e o cantautor Filipe Furtado, com um sotaque no dedilhado de guitarra a lembrar terras de Vera Cruz.

O TREMOR #4 regressa a São Miguel de 4 a 8 de Abril com uma lotação limitada a 1500 pessoas.

Dom La Nena encerra digressão internacional em Portugal

Com dois anos e mais de cem espectáculos, a digressão de apresentação do disco "Soyo", de Dom La Nena, chega ao fim em Fevereiro de 2017. A artista escolheu terminar esta etapa em Portugal, país onde o disco, produzido em parceria com Marcelo Camelo, foi gravado.

12208538_1707202589513690_4390903099165603784_n

photo: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

Após percorrer toda a Europa (França, Espanha, Inglaterra, Noruega, Letónia, Bélgica, Suíça, Itália), os Estados Unidos, o Canadá, o Brasil, a Argentina e até a China, a tournée terá o seu encerramento com chave de ouro no Teatro São Luiz, em Lisboa, no dia 10 de Fevereiro de 2017, e em Loulé, no dia 11 de Fevereiro, no Cine-Teatro Louletano.

Os espectáculos estão inseridos na programação de "Lisboa, Capital Ibero-Americana da cultura 2017", e de um ciclo de concertos de artistas brasileiros, "Avenida Paulista". A primeira parte estará a cargo de Momo.

 

Teatro São Luiz (Lisboa)

10 de Fevereiro 2017 | 21.00h

 

Cine-Teatro Louletano (Loulé)

11 de Fevereiro 2017 | 21.30h

MOONSPELL entram em 2017 a celebrar 25 anos de carreira…

O seu primeiro concerto do ano será o do Campo Pequeno em Lisboa, dia 4 de fevereiro, um concerto único na vida da banda não só pela grande produção e alinhamento exclusivo (3 dos seus discos na íntegra) mas principalmente porque realizam um velho sonho de gravar um DVD (para posterior edição em 2017) em casa, na capital do seu país, perante os fãs que não perderão esta oportunidade de ficarem também na história dos MOONSPELL.

600px_e584aa270436cb5581216

Brevemente serão anunciadas as datas completas da tour Latino Americana da banda (onde visitarão mais de 15 países), começando a época de festivais já em Março no prestigiado Vive Latino na Cidade do México. Mais tarde irão tocar já no Verão festivais como Summer Breeze (Alemanha); Alcatraz (Bélgica) e MOR (Rep.checa) já anunciados.

 

As gravações do seu primeiro disco totalmente em Português já se iniciaram e os MOONSPELL prometem um verdadeiro terramoto musical e um novo começo depois das celebrações dos 25 anos quer em Portugal, quer fora do país. Mais um ano promissor, under the spell….

You Can't Win, Charlie Brown revelam convidados…

No dia 19 de Janeiro, os You Can't Win, Charlie Brown sobem ao palco do Grande Auditório do Centro Cultural de Belém com um concerto especial para arrancar o ano. O sexteto lisboeta leva ao CCB um espectáculo único, que irá contar com a participação de um trio de cordas e ainda de um coro formado por algumas das vozes femininas mais relevantes da música portuguesa actual - Selma Uamusse; as Golden Slumbers, Margarida e Catarina Falcão e também Francisca Cortesão, Mariana Ricardo e Margarida Campelo, de Minta and the Brook Trout (entre outros vários projectos).

YCWCB - foto 4

Neste regresso ao Grande Auditório do CCB, os You Can't Win, Charlie Brown apresentam o seu mais recente trabalho, “Marrow”, um dos discos nacionais mais elogiados pela crítica e pelo público em 2016, sem esquecer os temas de “Chromatic” e “Diffraction / Refraction”

 

Em palco vai ser assim….

Afonso Cabral: Voz, Guitarra, Baixo, Teclas

David Santos: Voz, Teclas, Glockenspiel

João Gil: Voz, Guitarra, Baixo, Teclas

Luís Costa: Guitarra

Salvador Menezes: Voz, Guitarra, Baixo

Tomás Sousa: Voz, Bateria

 

Catarina Falcão: Voz

Francisca Cortesão: Voz

Margarida Campelo: Voz

Margarida Falcão: Voz

Mariana Ricardo: Voz

Selma Uamusse: Voz

 

Francisco Moser: Violino

Gabriela Barros: Viola

Tiago Rosa: Violoncelo

CCVF apresenta “Prelúdio: a mulher selvagem”…

A mais recente criação do Teatro Didascália chega ao Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, no próximo dia 14 de janeiro. “Prelúdio: a mulher selvagem” é uma ode à mulher, género reprimido das mais variadas formas ao longo da história da humanidade. Aqui quebram-se todas as convenções e exalta-se a mulher como uma força da natureza.

PRELUDIO_1_Foto_Paulo_Pimenta

photo: Paulo Pimenta

 

Prelúdio” é um grito interior, visceral mesmo, que aponta diretamente à natureza selvagem das mulheres. A peça é uma performance poética que nos revela um emaranhado de simbolismos, de arquétipos, reacendendo no nosso inconsciente a crença no poder intuitivo e sobrenatural das mulheres, intimamente ligado à natureza e aos ciclos de morte e renovação.

Reprimido por todo um conjunto de convenções sociais, religiosas e por uma sociedade dominada pelo homem, o ser selvagem primitivo das mulheres é, nesta peça, libertado na forma de um poema cantado e contado, uma espécie de grito melódico onde ecoam os instintos mais profundos da natureza feminina.

PRELUDIO_2_Foto_Paulo_Pimenta

photo: Paulo Pimenta

 

A bela e sensível composição musical, aliada à narração oral, enlaça as histórias da peça e toca o nosso íntimo. Ao ouvi-la, somos como que abalados por um turbilhão de imagens e emoções guardadas na voz de quem a canta e conta, e no íntimo de quem a escuta. Esta é a chave para transportar o público numa viagem sensitiva, quase hipnótica, rumo às profundezas da memória emocional de cada espetador. Um espetáculo entretecido com fios colhidos na memória coletiva, tendo a tradição oral como fonte primordial dos materiais para esta construção: arquétipos, símbolos, rituais - a essência humana dita e retornada.

 

Centro Cultural Vila Flor (Guimarães)

14 de Janeiro 2017 | 22.00h

Sting lança novo vídeo para o single “One Fine Day”…

Sting acaba de revelar o vídeo do seu mais recente single, “One Fine Day”, retirado do seu último álbum de originais, “57th & 9th” (2016), tendo sido realizado por James Larese. O vídeo de animação faz uma clara referência ao teledisco icónico de “Love is the Seventh Wave”, tema do álbum “The Dream of the Blue Turtles”, editado em 1985.

sting-925x614

“‘One Fine Day’ é a minha sátira sobre os céticos do clima. Espero muito sincera e apaixonadamente que eles estejam certos e que a maioria dos cientistas nos respetivos campos de pesquisa só digam loucuras, e por isso… talvez todos nós seremos gratos… one fine day!”, afirmou Sting.

Para celebrar as canções deste seu novo álbum, Sting inicia já no próximo mês uma digressão mundial de promoção a “57th & 9th”, durante a qual estará acompanhado de três músicos: Dominic Miller (guitarra), Josh Freese (bateria) e Rufus Miller (guitarra). Entre alguns dos convidados especiais desta digressão estão o cantautor Joe Sumner e o grupo The Last Bandoleros.

 

A digressão vai passar por Portugal no verão, a 16 de julho, estando confirmada a presença de Sting na edição deste ano do festival MEO Marés Vivas, em Vila Nova de Gaia. Para ficar a par de todas as datas, basta aceder ao site www.sting.com.

Billy Lobster lança o album “Boogie on the fly”…

Pavel Racu, mais conhecido por Billy Lobster, pode ser descrito de várias formas. Uma delas, talvez a mais importante, é: respira blues. Nascido na Moldávia em 1988, aos 17 anos emigrou com os pais para Portugal. Uma das suas primeiras memórias de infância é a de improvisar solos numa guitarra feita com uma vassoura. Com cinco ou seis anos de idade, ainda sem saber tocar qualquer instrumento, ele sabia que queria fazer um disco, e isso era uma certeza absoluta.

15871536_1855772604660269_8259186954660804305_n

Anos mais tarde aprendeu a tocar clarinete e guitarra, surgindo assim o blues, com John Lee Hooker, Muddy Waters e Howling Wolf como referências. Descoberta a paixão compôs a sua primeira música inspirada no boogie do John Lee Hooker, e assim nasceu a “Boogie on the fly”, o primeiro single que viria a dar o nome ao álbum primogénito. Quando deu por si a criança de cinco anos, estava a entrar em estúdio, com uma guitarra de verdade, para gravar o primeiro disco que viria a ter 11 músicas. O longa duração tem vestimenta de rock moderno com uma ou outra música mais tradicional do blues.

 

Muitas vezes disfarçado, tal como uma lagosta muda de casca consoante o crescimento, tambem aqui o blues muda de roupa consoante o amadurecimento. A festa de lançamento será no Popular Alvalade onde a lagosta irá apresentar o álbum ao vivo juntamente com musicos convidados.

Vessel + Pedro Maia no Gnration

Vessel é o pseudónimo de Sebastian Gainsborough. Depois de ter atingido a notoriedade em 2011 com aclamados lançamentos para a left_blank e Astro-Dymanics, Vessel assinou em 2012 com a Tri Angle Records. É na casa de nomes como Balam Acab, oOoOO, Holy Other, Clams Casino e The Haxan Cloak, que o músico de 24 anos natural de Bristol edita o seu álbum de estreia, “Order of Noise”. Influenciado tanto pela herança dos fortes graves da cidade ao seu redor como pelos sons emergentes, Vessel cria música excitante e inclassificável. Da EBM (electronic body music) de “Nylon Sunset EP”, do boogie distorcido de Wax Dance, ao mais recente álbum, tingido de industrial, Court Of Lions, há um poder único de ritmo e uma inegável musicalidade a funcionar nas suas produções.

IMGP3761

Parte integrante de Young Echo, coletivo de 11 músicos baseados em Bristol e onde figuram nomes como El Kid, label-mate de Vessel na left_blank, ou Kahn & Zhou, da Punch Drunk Records, Vessel está na linha da frente de uma inovadora geração de novos produtores. “É sempre entusiasmante quando um novo artista de eletrónica surge acompanhado com uma sonoridade que é completamente única. Order Of Noise é realmente uma escuta imersiva e coloca-se como um dos melhores e mais únicos discos do ano”, refere Daniel Miller, fundador da Mute Records.

 

Oriundo de Vila do Conde e a residir em Berlim, o realizador Pedro Maia centra o seu trabalho no cinema analógico, explorando as potencialidades deste formato e expandindo a herança estética e tecnológica do processo de trabalho com material de 16 mm e 8mm. Para além dos seus filmes, apresentados em diversos festivais e galerias um pouco por todo o mundo, Maia tem colaborado com vários músicos onde, entre outros, se incluem nomes como Panda Bear, Fennesz, Lee Ranaldo ou Demdike Stare.

 

Gnration / blackbox (Braga)

14 de Janeiro 2017 | 22.30h

“Tudo por uma Boa História, Confidências e Relatos de Jornalistas Portugueses“…

Vinte e quatro jornalistas de várias gerações oferecem-nos um relato vivo sobre o que acontece no terreno, dando a conhecer melhor uma profissão que, numa época de informação fácil e barata, mas ao mesmo tempo tão perigosamente manipulável, nunca foi tão importante para a Democracia.

untitled

Há jornalista seniores, jovens jornalistas, da rádio, da televisão, da imprensa, freelancers, que aqui partilham algumas das suas experiências e aquilo que os faz correr.

 

Editado em parceria com o Sindicato dos Jornalistas, “Tudo Por Uma Boa História” é uma travessia original pelo que de melhor se faz no jornalismo em Portugal. A longo do livro o leitor encontrará dúvidas, angústias, medos, mas também conquistas, prazer e sabedoria, pela voz dos que vivem de contar o mundo aos outros. O livro será apresentado durante o 4º Congresso dos Jornalistas Portugueses, que decorre de 12 a 15 de janeiro no Cinema São Jorge, em Lisboa.

 

À venda a partir de 13 de Janeiro, uma edição A Esfera dos Livros

Há Noite, No Estúdio com Broken Sidewalk…

Broken Sidewalk é um projeto Aveirense de Pop/Rock. Teve início em 2008 e é composto apenas por Pedro Almeida, que desde então compõe, grava, mistura e distribui as músicas do projeto. No entanto, 2016 assinala o ano em que formalmente o projeto sai do estúdio para a estrada.

15492457_10154749938576768_5231235386976427849_n

Ganhando formato de banda e promovendo o material gravado anteriormente. O projeto conta com 2 albuns, “Heading somewhere” (2008) e “A handful of songs” (2016)

 

Teatro Aveirense

12 de Janeiro 2017 | 21.30h

ModaLisboa abre candidaturas para Wonder Room…

Até 5 de fevereiro, a ModaLisboa está a receber candidaturas para o Wonder Room, pop-up store de marcas portuguesas de moda, design e lifestyle, que visa promover novas linguagens e produtos, estimulando a ligação entre inovação e tradição. O Wonder Room estará aberto ao público entre 10 e 12 de março, na ModaLisboa – Lisboa Fashion Week.

WonderRoom_candidaturas2

O Wonder Room reúne marcas de assinatura made in Portugal dedicadas às mais variadas tendências de moda e design contemporâneo. É uma excelente oportunidade para juntar designers, produtores e artistas numa plataforma que permite às marcas mostrar e comercializar o seu trabalho ao público em geral. As marcas interessadas podem candidatar-se através do preenchimento da ficha de inscrição, que deverá ser enviada até 5 de fevereiro para o e-mail wonder.room@modalisboa.pt, juntamente com uma breve apresentação da marca e imagens dos produtos a expor.

Golden Globe Awards… Os vencedores

A 74ª edição dos Golden Globes, os prémios da Hollywood Foreign Press Association que distinguem o que de melhor se faz no cinema e na televisão, realizou-se nesta madrugada, no Beverly Hilton Hotel, em Los Angeles. A cerimónia contou com a apresentação de Jimmy Fallon e a presença de várias celebridades do meio como Meryl Streep, que foi homenageada com o prémio carreira Cecil B. DeMille.

LLL_D29_05187_R.0.0

La La Land foi o grande vencedor da noite na categoria de cinema, com 7 globos conquistados: Melhor Filme (Musical), Melhor Realizador, Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Argumento, Melhor Banda Sonora, Melhor Canção Original. O musical realizado por Damien Chazelle e protagonizado por Emma Stone e Ryan Gosling estreia em Portugal a 26 de janeiro.

 

Os vencedores:

Cinema:

Melhor Filme Dramático: Moonlight

Melhor Filme de Comédia ou Musical: La La Land

Melhor Filme de Animação: Zootopia

Melhor Filme de Língua Estrangeira: Elle (França)

Melhor Ator em filme dramático: Casey Affleck – Manchester By The Sea

Melhor Atriz em filme dramático: Isabelle Hupert – Elle

Melhor Ator em filme de Comédia ou Musical: Ryan Gosling – La La Land

Melhor Atriz em filme de Comédia ou Musical: Emma Stone – La La Land

Melhor Ator Secundário: Aaron Taylor-Johnson – Nocturnal Animals

Melhor Atriz Secundária: Viola Davis – Fences

Melhor Realizador: Damien Chazelle – La La Land

Melhor Argumento: Damien Chazelle – La La Land

Melhor Banda-Sonora: Justin Hurwitz – La La Land

Melhor Música Original: “City of Stars” de Justin Hurwitz e Pasek and Paul – La La Land

 

Televisão:

Melhor Série Dramática: The Crown

Melhor Série de Comédia ou Musical: Atlanta

Melhor Mini-Série ou Filme para Televisão: The People vs O.J. Simpson: American Crime Story

Melhor Ator em série dramática: Billy Bob Thornton – Goliath

Melhor Atriz em série dramática: Claire Foy – The Crown

Melhor Ator em série de Comédia ou Musical: Donald Glover – Atlanta

Melhor Atriz em série de Comédia ou Musical: Tracee Ellis Ross – Black-Ish

Melhor Ator em Mini-Série ou Filme para Televisão: Tom Hiddlestone – The Night Manager

Melhor Actriz em Mini-Série ou Filme para Televisão: Sarah Paulson – The People vs O.J. Simpson: American Crime Story

Melhor Actor Secundário em série, mini-série ou filme para televisão: Hugh Laurie – The Night Manager

Melhor Actriz Secundária em série, mini-série ou filme para televisão: Olivia Colman – The Night Manager

 

Prémio Cecil B. DeMille: Meryl Streep

Medalha de Mérito Cultural Duquesa do Cadaval para Cláudia Picado…

A Medalha de Mérito Cultural Duquesa do Cadaval é entregue à fadista Cláudia Picado, natural desta vila por toda a sua carreira e prestígio, elevando sempre a nível nacional e internacional o nome do Cadaval.

6648af14-2246-4931-8323-f440dd4e8c6d

Esta atribuição foi decidida em assembleia de Câmara e será entregue no dia 13 de Janeiro, feriado municipal do Cadaval num jantar de homenagem onde estarão presentes algumas figuras ilustres da política e do fado.

Para além da medalha, 2017 será marcante na sua carreira já que está igualmente prevista a edição de um novo álbum – produzido por ToZé Brito e Guilherme Banza -, cujo primeiro single, “Quando Me Chamas Mulher”, com letra de Tiago Torres da Silva e música de Guilherme Banza, pode a partir de agora ser ouvido nas rádios.