Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

DVBBS regressam a Portugal…

A 20ª edição da única entrega de prémios de Música em Portugal já tem data marcada… 1 de abril no local habitual, Pavilhão Rosa Mota. Juntam-se ao cartaz já anunciado, a maior atração internacional do evento: DVBBS.

DVBBS-SLIDER

Depois de em 2016 terem esgotado por completo os Melhores do Ano e do pedido massivo dos ouvintes da rádio pelo seu regresso, a dupla está de volta ao Porto para mais uma edição histórica dos Melhores do Ano da Rádio Nova Era. A dupla canadiana, formada pelos irmãos Chris e Alex, formou-se em 2012 e logo fez sucesso em 2013 com o single “Tsunami (feat. Borgeous)”, lançado pela Doorn Records, de Sander Van Doorn, e com o qual os DVBBS lideraram vários tops europeus. A remistura “Tsunami (Jump)” com a participação de Tinie Tempah, chegou à liderança do top britânico.

Nos últimos anos, os DVBBS têm percorrido o mundo, atuando em festivais ao lado dos maiores nomes da música de dança eletrónica. Em 2016, lançaram um novo EP, intitulado ”Beautiful Disaster”, que incluiu os singles "Ur on My Mind" e "24K".

 

Para 2017, os irmãos canadianos já anunciaram um novo álbum e uma nova digressão mundial que os irá trazer ao Porto, pela mão da Nova Era, na 20ª edição dos Melhores do Ano. A sua performance em palco é contagiante, a comprovar no dia 1 de abril, no Pavilhão Rosa Mota, Porto.

 

Já confirmados:

DVBBS, DJ Bl3nd, April Ivy, Bezegol, Bispo, D.A.M.A., DJ Oder, Piruka

 

L´Ocelle Mare + Fuego no Club de Vila Real

L´Ocelle Mare é o projeto a solo de Thomas Bonvalet, músico francês que utiliza um conjunto de pequenos instrumentos e objetos que orbitam em torno de uma guitarra para desconstruir de uma forma radical a música folk. Thomas foi o guitarrista da banda Cheval de Frise (1998-2004), tendo-se dedicado ao seu projeto a solo a partir de 2005 com atuações por todo o mundo.”

LOM-photoweb1

photo: Hrveje Goluza

 

Na mesma noite atua ainda o Espanhol Fuego, projeto a solo de Nacho Cordoba, responsável pela editora espanhola Magia e pelo agitamento da cena experimental de Alicante. Fuego tem inspiração na tradição musical de Eliane Radigue ou da BBC Radiophonic Workshop, a sua música é criada a partir de uma antiga máquina para calibrar televisões, que ele utiliza para evocar paisagens melancólicas e misteriosas.

 

A entrada para os concertos tem o custo de 5€

 

Club de Vila Real

21 de Janeiro 2017 | 22.30h

“In-Shell-Side”… em Ponte de Lima

Depois da primeira lotação esgotada de 2017, no passado dia 6 de Janeiro, o Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima apresenta o espectáculo de dança contemporânea In-Shell-Side, pela Companhia de Dança Contemporânea de Évora, já amanha, sexta feira 13 de Janeiro às 21h30.

in_shell_side_4x3_

É o regresso da Companhia de Dança Contemporânea de Évora ao Teatro Diogo Bernardes, onde apresentou "Romeu e Julieta, encontro desencontro" em 2014 e “Eros e Psiquê”, em 2015, os quais foram conquistaram e fidelizaram um público, que certamente será alargado com a apresentação agora 2017, de “In-Shell-Side”.

 

Segundo Nélia Pinheiro, directora e coreógrafa do espectáculo, “In-Shell-Side é uma viagem. Uma passagem para outro estado psíquico, emocional e físico. É uma troca de tudo por tudo. É partilha, cumplicidade, confiança, força, direcção, é Luz.

In-Shell-Side é o Alfa e o Ómega. É o micro e o macro de uma partícula. É um átomo em deriva constante. É energia que pulsa nos corpos e entre os corpos, é o que nos liga ao universo e o universo a nós. É acção que constrói e desconstrói padrões de movimento. É a vida natural e construída!”

Adriana Calcanhotto apresenta novo single “Não demora”

Não Demora” é a nova música da cantora e compositora Adriana Calcanhotto. O tema já está disponível em todas as plataformas digitais e faz parte da banda sonora da novela “A Lei do Amor”, exibida pela Rede Globo. Adriana Calcanhotto participa ainda com outra composição inédita nesta banda sonora: “Era Pra Ser”, gravada por Maria Bethânia.

Adriana Calcanhotto - foto

Adriana Calcanhoto regressa a Portugal no próximo mês, com uma digressão de três concertos: na Gulbenkian, em Lisboa, a 3 de Fevereiro; no Teatro Académico Gil Vicente (TAGV), em Coimbra, no dia 4; e na Casa da Música, no Porto, a 5 de Fevereiro. Estes espetáculos contam com a participação especial de Arthur Nestrovski, no violão.

 

3 de Fevereiro 2017 - Gulbenkian (Lisboa)

4 de Fevereiro 2017 - Teatro Académico De Gil Vicente (Coimbra)

5 de Fevereiro 2017 - Casa da Música (Porto)

Dengaz & Ahya Band nos Coliseus…

Depois do enorme sucesso com o seu segundo álbum de originais, “Para Sempre”, que chegou ao número um de vendas digitais em apenas algumas horas, e de onde se destacaram os singles “Dizer que Não” (4 platinas digitais) e “Nada Errado” (1 platina digital), chega a hora de Dengaz se apresentar nos Coliseus: no Porto, dia 17 de março e em Lisboa no dia 18 de Março.

top1

Twins, produtor do álbum assume a direção musical deste espetáculo acompanhado da talentosa Ahya Band e vários convidados.

 

Coliseu (Porto)

17 de Março 2017 | 21.00h

 

Coliseu dos Recreiros (Lisboa)

18 de Março 2017 | 22.00h

Teatro Municipal do Porto apresenta programação...

Foi ontem apresentado no Teatro Rivoli, as linhas gerais da programação para o primeiro trimestre de 2017 da programação cultural do Teatro Municipal do Porto. As novidades foram transmitidas por Tiago Guedes, diretor do Teatro Municipal do Porto e pelo presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira.

DSC_1336 (Cópia)

No ano em que o Teatro Rivoli celebra o seu 85º aniversário, a programação do mês de Janeiro incide nesse evento com uma programação especial ao longo de 15 horas. Para os primeiros 3 meses do ano, e seguindo a linha de programação do ano de 2016, estão previstos um total de 41 espectáculos, sendo que 19 em coprodução e 16 em estreia nacional.

Rui Moreira enalteceu a variedade de propostas a apresentar durante o ano de 2017, em linha com o que a edilidade vem propondo nestes últimos anos a nível cultural. Referiu ainda um reforço da verba destinada à cultura e programação do Teatro Municipal do Porto, passado dos 900 mil Euros em 2016 para cerca de 1 milhão e 100 mil Euros em 2017.

DSC_1314 (Cópia)

Uma aposta na cultura que tem trazido cada vez mais publico a assistir aos espetáculos e uma aposta no apoio às companhias, que cada vez mais encontram no Teatro Municipal do Porto, o local para desenvolver e apresentar as suas criações, quer em estreia e/ou coprodução.

 

Em Janeiro o destaque maior vai para o 85º aniversário do Teatro Rivoli, já no próximo dia 21 de Janeiro. Ao longo de 15 horas, o público poderá assistir a um total de 7 espetáculos, 4 concertos, 2 instalações, 1 exposição e claro 1 verdadeira festa em 9 espaços diferentes envolvendo um total de 115 artistas. O mês de Janeiro fica igualmente marcado pela subida ao palco de 2 peças de teatro, “Tónan Quito” e “Romeu Costa”. A música e a dança encerram o mês de Janeiro pelo talento de Laura Quaresma e pela apresentação do espetáculo de dança “Nem a própria ruína”.

DSC_1339 (Cópia)

Fevereiro traz logo no dia 3 mais um programa do “ciclo” Ver em família com a peça de teatro “A montanha”. O Teatro ocupa igualmente grande parte da programação de Fevereiro com a apresentação a 10 e 11 de “Stabat Mater Furiosa – Oratória para uma Voz” e “Filhos das Mães” a 24 e 25.

A música segue o rumo do mês com a apresentação de “Marés” e de Za! que chega de Espanha para invadir o Understage do Rivoli a 17 de Fevereiro. António Oliveira é o novo talento a apresentar-se em Fevereiro. A dança surge igualmente em destaque no mês que encerra com mais uma edição do Fantasporto. Flávio Rodrigues & Mariana Amorim + Mickaella Dantas e a Companhia Instável são os responsáveis pela “dança” em Fevereiro.

DSC_1359 (Cópia)

O mês de Março abre com a Companhia Nacional de Bailado a apresentar “Itmoi” de 9 a 11 de Março. Aldara Bizarro apresenta ainda na temática da dança e incluído no programa Ver em Família, “Cara”, encerrando o mês com a estreia de “À procura do lugar Feliz” de Fábio Lopes.

Março marca o regresso do mais um ciclo, desta feita musical. Porto Best of traz ao palco principal mais 3 projetos musicais marcantes para a cidade do Porto, A 16 de Março é tempo para recordar Três Tristes Tigres que acompanham 2 projetos mais recentes, Old Jerusalém e Dan Riverman. O novo talento de Março é Henrique Almeida e o understage do Rivoli abre as portas no dia 24 para o projeto britânico Nocturnal Emissions.

O Teatro sobe ao palco do Grande auditório do Rivoli com a estreia de “La posibilidad que desaparece frente al paisaje” da companhia espanhola El Conde de Torrefiel. A outra estreia ocorre a 30 e 31 de Março pelas mãos de Luis Mestre e o Teatro Nova Europa com o espetáculo “Noite de Outono”.

Para finalizar o mês de Março apresenta em estreia a perfomance de moda “Couture Essentielle” do francês Olivier Saillard, que se propõe a fazer um desfile de moda retratando a história da mesma.

DSC_1367 (Cópia)

Uma programação intensa que promete mais uma vez a dinamização cultural da cidade do Porto.

 

Reportagem e fotografias: Paulo Homem de Melo

 

 

“Mão Verde”… Concerto de Capicua e Pedro Geraldes na abertura da Animar 12

A 12ª edição do projeto educativo Animar arranca a 21 de janeiro com o espetáculo ao vivo “Mão Verde”, de Capicua e Pedro Geraldes, às 15:00, no Teatro Municipal de Vila do Conde. O concerto temático para toda a família oferece uma sessão repleta de música, poemas e lengalengas em torno de temas como a natureza, a ecologia, os alimentos e um estilo de vida saudável. Pensado para crianças mas sem pretender ser infantil, “Mão Verde” assinala a estreia da rapper portuense Capicua – que se destacou no panorama musical português com temas como “Vayorken”, “Maria Capaz” e “Sereia Louca” – e de Pedro Geraldes – guitarrista dos Linda Martini – no universo dos mais novos.

Animar12_MaoVerde

Durante cerca de uma hora, com vários momentos de interação com o público, “Mão Verde” passa uma mensagem ecologista através de canções alegres e de uma abordagem divertida a diversos temas do quotidiano e do universo verde: as cores das flores, o cheiro das ervas aromáticas, a agricultura, entre outros. As histórias são contadas por Capicua, com rap, rimas e jogos de palavras, sobre as batidas coloridas dos instrumentos musicais tocados ao vivo por Pedro Geraldes.

Mão Verde” resulta de uma encomenda do São Luiz Teatro Municipal a Capicua, que convidou Pedro Geraldes a juntar-se ao projeto. Do Teatro São Luiz, o espetáculo seguiu para outros palcos tendo, mais tarde, originado um disco-livro, com ilustrações de Maria Herreros e pequenas notas do agricultor Luís Alves. Os vídeoclipes dos singles “Quente & Frio” e “Erva-de-Cheiro” foram realizados por Alice Eça Guimarães, cineasta que participou na edição anterior da Animar em dois momentos: na exposição da Solar – Galeria de Arte com o filme “Amélia & Duarte”, corealizado por Mónica Santos, e na produção da curta-metragem “Nossa Senhora da Apresentação” com Abi Feijó, Daniela Duarte e Laura Gonçalves.

Criado pela equipa que organiza o Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, o projeto educativo Animar desenvolve anualmente diversas atividades em torno do cinema de animação dirigidas às famílias mas, sobretudo, à comunidade escolar da região norte. Até junho, estão planeados ateliês de animação orientados por formadores convidados, ateliês de iniciação de cinema na sala de aula, visitas guiadas à Solar – Galeria de Arte Cinemática, sessões de cinema no Teatro Municipal de Vila do Conde e apresentações e mostras “Antes do Filme”.

 

À semelhança das edições anteriores, o centro destas atividades voltará a ser a exposição na Solar – Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde, que, este ano, destaca os telediscos portugueses de animação, de Capicua e Pedro Geraldes a Samuel Úria, passando por Os Azeitonas e Quinta do Bill, e os seus autores, Alice Eça Guimaraes, Pedro Serrazina, Bruno Caetano e Jorge Ribeiro. A inauguração está marcada para o dia 18 de fevereiro, às 15:00.

 

“Porto d'Honra”… o livro de Manuel de Sousa

Um dos mais entusiastas divulgadores da história da cidade do Porto, Manuel de Sousa, traz-nos um extraordinário “Porto D’ Honra”, uma verdadeira visita guiada pelo passado através de muitos acontecimentos que constituem a identidade portuense. Um livro feito de segredos e curiosidades que marcam a história da Invicta ao longo dos tempos, como o desastre da Ponte das Barcas, as invasões francesas, o legado deixado pelos judeus (não será por acaso que a cidade alberga a maior sinagoga da Península Ibérica), a história da mãe de todas as praças portuenses: a da Liberdade, ou o famoso cerco do Porto, que acabou por dar à cidade o título de «Invicta».

untitled

Muitos dos aspetos relatados são pouco conhecidos ou estão mesmo por descobrir, contribuindo para o carácter sedutor e fascinante do Porto: o atual Palácio da Bolsa, um dos ex-libris da cidade, foi construído sobre as ruínas do Convento de São Francisco, local onde o rei D. João I pernoitou antes de casar com D. Filipa de Lencastre; a Rua do Almada, paralela à Avenida dos Aliados, homenageia João de Almada e Melo que, juntamente com o seu filho, mudou para sempre a face do Porto e criou aquilo que hoje conhecemos como Baixa; ou o Piolho, o primeiro botequim portuense a ter eletricidade e a adquirir uma máquina de café La Cimbali que deu o nome ao cimbalino, etc.

 

Manuel de Sousa nasceu na freguesia de Miragaia, no Porto, em 1965. Licenciado em Ciências Históricas e mestre em Turismo, desenvolveu uma atividade profissional ligada à área empresarial, nomeadamente à Comunicação e ao Marketing, sem nunca ter abandonado o seu interesse pela história da cidade do Porto. Procurando aliar a divulgação da história local com as redes sociais, criou a página “Porto Desaparecido” no Facebook, cujo sucesso lhe valeu a atribuição da Medalha Municipal de Mérito pela Câmara Municipal do Porto, em 2013. Faz visitas guiadas pela cidade e colabora em diversos jornais e revistas em temas relacionados com a História e o Património.

 

O livro é uma edição A Esfera dos livros, à venda a partir de 13 de Janeiro, e apresentado no próximo dia 19 de Janeiro nos Armazéns do Castelo no Porto às 18h

Luís Franco-Bastos "Voz da Razão", volta à estrada em 2017

A digressão "Voz da Razão” de Luis Franco-Bastos regressa à estrada com sequência de espectáculos por todo o país. “Voz da Razão” é já o espectáculo de maior sucesso de Luís Franco-Bastos, tendo esgotado muitas das salas mais emblemáticas do país e lotado os Coliseus de Lisboa e Porto.

Voz da Razão” baseia-se numa nova perspectiva sobre o mundo, numa nova fase da sua vida, agora que atingiu a maturidade tanto pessoal como artística.

photo

Os comediantes dão a conhecer a pessoa que são através do seu material e o Luís Franco-Bastos que apresenta este espectáculo não é a mesma pessoa que apresentou os seus espectáculos anteriores. Passou por novas experiências, chegou a novas conclusões e a sua visão da política, do futebol, da sociedade, da música ou das relações entre homens e mulheres, é mais complexa e crítica. A esquizofrenia vocal e as personagens que sempre o caracterizaram continuam presentes mas, através da voz dos outros, Luís Franco-Bastos exprime a sua própria. De todas as vozes que vivem na sua cabeça, passou a dar ouvidos principalmente a uma: a Voz da Razão.

 

24 e 25 de janeiro 2017 - Casino do Estoril

3 de Fevereiro 2017 - Auditório Antigo Isave (Póvoa do Lanhoso)

4 de Fevereiro 2017 - Centro Cultural de Viana do Castelo

18 de Fevereiro 2017 - CAE Portalegre

28 de Fevereiro 2017 - Teatro Municipal da Guarda

A magia da música lusófona, tocada e cantada em direto e ao vivo....

O Viva a Música do mês de janeiro traz o fado numa visão muito própria de Yolanda Soares. Depois continua com os sons de inspiração tradicional a fazerem “figura de gente” trazidos por Diabo a Sete e termina o mês com Jorge Rivotti, poeta e compositor cujo trabalho apresenta a ternura do sonho e o encanto da descoberta.

untitled-1

O Viva a Música, o palco da rádio, recebe convidados que trazem a magia da música lusófona à Antena1 à quinta feira, pelas 15h10 na Antena1

 

12 de Janeiro 2017 – Yolanda Soares

19 de Janeiro 2017 – Diabo a Sete

26 de Janeiro 2017 – Jorge Rivotti

Cage The Elephant…. Novo single “Cold Cold Cold”

Os Cage The Elephant têm novo single, “Cold Cold Cold”. Esta canção faz parte do quarto álbum de estúdio da banda, “Tell Me I’m Pretty”, que saiu no final de 2015.

Cage The Elephant - Cold Cold Cold

Tell Me I’m Pretty” foi produzido por Dan Auerbach dos The Black Keys e The Arcs (Lana Del Rey, Ray LaMontagne, The Black Keys, The Arcs), misturado por Tom Elmhirst (Adele, Arcade Fire, Florence + the Machine) e gravado nos Easy Eye Sound em Nashville, TN, perto da cidade-natal do grupo, Bowling Green, KY.

 

Com “Tell Me I’m Pretty”, os Cage the Elephant inovaram desde o último álbum, “Melophobia” (2013), que foi nomeado para os Grammy na categoria de Best Alternative Album – preservando simultaneamente as sonoridades que inicialmente inspiraram o grupo a fazer música.

A banda de Matt Shultz passa por Portugal no próximo dia 6 de Fevereiro, com um concerto no Coliseu do Porto.

Bairrada recebe ‘Gala 10 Anos Paixão Pelo Vinho’

Depois de se despedir de mais um ano de consolidação e afirmação no panorama vitivinícola nacional, a região da Bairrada prepara-se para receber mais um grande evento do sector. O encontro está marcado para o próximo dia 14 de Janeiro, no Casino da Figueira da Foz, local que irá receber a ‘Gala 10 Anos Paixão Pelo Vinho’.

Aliança Underground Museum_52

Uma noite em que se pretende celebrar e consagrar o melhor do que se faz no sector em Portugal, e que contará com o apoio da Comissão Vitivinícola da Bairrada (CVB), nomeada para a categoria “Região Vitivinícola”, e da Associação Rota da Bairrada (ARB). Os convidados vão ser brindados, à chegada, com os espumantes Baga@Bairrada, dando-se assim o mote para uma noite de glamour, festa e consagração.

 

A ‘Gala 10 Anos Paixão Pelo Vinho’ pretende distinguir profissionais, empresas e entidades que se destacaram ao longo do tempo. São 20 as categorias que vão ser galardoadas com o “Prémio Especial 10 Anos Paixão Pelo Vinho”, contemplando dez nomeados cada uma.

Este evento será também palco da entrega dos Diplomas ‘Paixão Pelo Vinho Excelência 2016’, atribuídos aos vinhos que, em prova cega, conquistaram nota igual ou superior a 18 pela elevada qualidade demonstrada.

Corvos ao vivo... 18 anos depois

Este é um concerto que marca o regresso da banda Corvos aos palcos em 2017 e que irá prestar homenagem a Cláudio Panta Nunes, violoncelista dos Corvos que partiu no primeiro dia do novo ano. Um espectáculo que acontece em Sintra, no Centro Cultural Olga Cadaval e homenageia o percurso de 18 anos desta já icónica banda que interpreta alguns dos êxitos da música moderna e contemporânea portuguesa através de instrumentos clássicos.

093c82e7-e505-42b4-b4d9-71740b73b9d1

Depois de um longo percurso e muitas provas dadas quanto à versatilidade, dinamismo e profissionalismo do grupo, Corvos viajam no tempo - à luz da contemporaneidade e formação musical atual - para revisitar Xutos & Pontapés e comemorarem 18 anos de carreira neste espectáculo agendado para o próximo dia 4 de fevereiro.

 

A formação da banda data de 1998, mas foi em 1999 que lançaram a sua carreira discográfica com o lançamento do álbum “Corvos Visitam Xutos”, com a participação da Kalú, baterista dos Xutos & Pontapés e, desde então, padrinho da banda. Músicos de excelência, com um registo musical inconfundível, versáteis, com uma dinâmica em palco envolvente e arrebatadora, há algo de misterioso que os une e que os torna tão singulares, talvez por serem Corvos.

 

Centro Cultural Olga Cadaval (Sintra)

4 de Fevereiro 2017 | 21.30h

The Happy Mess sobe ao palco de um dos mais importantes festivais europeus

Depois de terem percorrido vários palcos nacionais, tais como NOS Alive, Vodafone Paredes de Coura, Super Bock Super Rock, MEO Marés Vivas, Festival do Crato, Casa da Música, Hard Club, Centro Cultural de Belém, Cine-Teatro Avenida de Castelo Branco, Centro Cultural de Ílhavo e Semana Académica do Algarve, é já esta Sexta-feira 13 que a banda portuguesa marca a sua estreia internacional.

The Happy Mess - foto

Entre mais de duzentas candidaturas, The Happy Mess foi seleccionada pelo Festival Eurosonic Noorderslag (Holanda) para representar Portugal, juntamente com mais 20 artistas portugueses.

 

Em 2017, o Festival holandês coloca o foco de atenção em Portugal, permitindo que vários artistas nacionais na área da Música tenham oportunidade de mostrar in loco o panorama musical português e, dessa forma, potenciar a internacionalização portuguesa da música Pop/Rock/Indie.