Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Principe Valiente de regresso a Portugal…

Os suecos Principe Valiente regressam a Portugal para apresentar o seu terceiro trabalho - esta sexta-feira, 27 de Janeiro, no Sabotage Club, em Lisboa.

Principe-Valiente-2016

O jornalista Pedro Corte Real descreve a música da banda sueca como "sons post-punk onde as guitarras e os teclados ajudam a inscrever a sua sonoridade num new-wave indie rock de tons mais negros".

A primeira parte está a cargo da banda lisboeta Rainy Days Factory, que vem mostrar o seu último álbum, "This is Tomorrow".

 

Sabotage Club (Lisboa)

27 de Janeiro 2017 | 22.00h

Live road movie com The Legendary Tigerman estreia este sábado em Leiria

“How To Become Nothing” é fruto de uma viagem de Paulo Furtado pelo deserto californiano de Joshua Tree, na companhia da fotógrafa Rita Lino e do realizador Pedro Maia. Um falso diário de um homem que, mais do que desaparecer, procura chegar ao nada, ser nada e abraçar a vacuidade como forma de encontrar o todo. Uma viagem iniciática documentada em formato de road-movie, com registos de fotografia, filme e Super 8mm, que é agora transposta para o formato filme-concerto, com banda sonora executada ao vivo por The Legendary Tigerman e imagens manipuladas em tempo real por Pedro Maia. A estreia acontece este sábado, 28 de Janeiro, em Leiria, no Teatro José Lúcio da Silva. Seguem-se apresentações em Braga (4 fevereiro), Ovar (9 março), Faro (11 março), Torres Novas (1 abril) e Fundão (14 abril.

Image1

O material recolhido nos doze dias de viagem entre Los Angeles e Death Valley que serve, para já, de mote a este filme-concerto, resultará numa longa-metragem, a estrear no circuito de festivais de cinema no fim do ano, e será ainda editado em livro. Nesta road-trip, The Legendary Tigerman compôs grande parte do seu novo disco, gravado no fim de 2016, no Rancho De La Luna, e que será editado em Setembro. O filme começou a ser rodado com o intuito de criar um suporte visual para o novo álbum, e apesar de ter sido uma grande inspiração, tomou forma enquanto projecto paralelo e independente.

How To Become Nothing” é descrito por The Legendary Tigerman da seguinte forma: “Não se trata de desaparecer ou de camuflar a realidade, mas sim de procurar uma transformação mais profunda, recorrendo à reflexão sobre o vazio da própria existência, à procura do conhecimento pela experiência e constatação, para depois tudo questionar e anular.”

Yaël Naïm apresenta “Older” no Theatro Circo

A artista franco-israelita Yaël Naïm regressa a Portugal passados nove anos para um espetáculo no Theatro Circo, em Braga, no dia 28 de janeiro, este sábado, pelas 21h30. Esta será a noite de apresentação do mais recente trabalho “Older” em terras portuguesas, juntamente com os músicos David Donatien (bateria) e Daniel Roméo (baixo).

00050_045_02

A vida de Yael tem sido um turbilhão de emoções. Nasceu em Paris, cresceu numa pequena vila perto de Tel Aviv e voltou a Paris para viver a sua vida adulta. Corria o ano de 2008, num dos seus primeiros anos na cidade francesa, quando recebeu um contacto da gigante Apple para comprar os direitos de um dos seus trabalhos. Após ver a sua música “New Soul” comprada para um dos seus comerciais, o seu nome figurou em praticamente todos os tops de música mundiais, dos Estados Unidos ao Japão. Yael tinha a certeza que algo mágico havia acontecido e que tudo seria diferente dali para a frente.

Passados 5 discos, de 2001 até “Older” lançado em 2015, de ter vencido os prémios Victoires de La Musique, o equivalente francês dos Grammys, por duas vezes para Melhor Artista Feminina e para melhor álbum em 2011 “Yael Naim and David Donatien”, e pelo facto de ter sido mãe, o último trabalho coloca-a numa fase de transformação evidente, mais duro e de alguma forma mais direto. O momento da sua edição coincide com os ataques em Paris.

Para os mais curiosos, a famosa faixa “Toxic” de Britney Spears achou uma nova voz, a de Yael. Com quase quarenta milhões de audições, esta versão é habitualmente designada como uma das mais engenhosas e criativas versões compostas.

 

Theatro Circo (Braga)

28 de janeiro 2017

A Sofar Sounds chegou a Coimbra…

O Sofar Sounds (ou Songs From A Room) é uma rede mundial, presente em mais de 300 cidades, que organiza concertos, intimistas, de novos projectos e artistas emergentes, sempre em locais secretos.

01

Um dos objetivos é procurar os melhores lugares e bandas e criar as condições ideias para viver e respeitar a música. No site da Sofar Sounds, qualquer um pode oferecer um espaço para receber o evento pois a idea é promover a música, num ambiente acolhedor, onde os artistas e o seu público possam partilhar um momento mágico.

02

Cada edição do Sofar conta com 3 a 4 bandas ou músicos independentes, e o público só conhece o alinhamento quando chega ao local do concerto. O local do evento só é revelado ao público no dia anterior e tudo isto gratuitamente, sendo apenas necessário inscrever-se antecipadamente no site, em www.sofarsounds.com/coimbra

03

O Sofar Sounds acontece em Coimbra uma vez por mês, à semelhança das edições em Lisboa e no Porto. A 1ª edição teve lugar no passado dia 21 de Janeiro 2017 e contou com a presença de a Jigsaw, MAF e Mr. Gallini, e decorreu na Casa das Artes da Fundação Bissaya Barreto.

A segunda edição acontece já no dia 11 de fevereiro...

 

Fotografias: Salomé Reis

Moullinex … ao Vivo no MusicBox

Moullinex está de volta às edições e concertos em 2017, com o lançamento de uma nova música com mira bem apontada à pista de dança. E se “Open House” é indicativa da direcção do seu novo álbum, a sair já este ano, então podem estar certos: o caminho para o novo álbum é para ser percorrido a dançar.

414263a3-f62d-4099-8606-2f79c656be94

Com a data de edição do tema coincide o concerto da banda no Musicbox, local que acolheu muitas actuações de Moullinex, tanto ao vivo como em DJ set, e é o local ideal para a apresentação ao vivo deste contagiante tema.

 

2017 assinala os 10 (dez) anos da Discotexas, editora criada por Moullinex e Xinobi. Para além do lançamento do álbum de Moullinex há muitas outras edições previstas para a celebração desta efeméride. O músico e produtor vai este Março até ao SXSW no Texas com o objectivo de divulgar o que melhor se faz por terras Lusas.

Orquestra Jazz de Matosinhos comemora 20 anos a 30 de Janeiro de 2017

A falta de tradição jazzística em Portugal não inibiu Pedro Guedes na hora de formar uma big band no início de 1997. Em conversa com o arquitecto João Vilhena, dono do Héritage Café em Matosinhos, o pianista assumiu uma residência quinzenal e assim nasceu a Héritage Big Band. Composta por 12 músicos, rapidamente conquistou as atenções dos críticos e dos seguidores de jazz. Cerca de dois anos depois, e já com 17 músicos, entre eles o pianista Carlos Azevedo que viria a partilhar a direcção musical com Pedro Guedes, a Héritage Big Band tornou-se a primeira orquestra municipal de jazz do país. A estreia com o nome de Orquestra Jazz de Matosinhos aconteceu no dia 27 de Novembro de 1998, na abertura da FNAC do Norteshopping, em Matosinhos.

20032556_0I3cD

Constituída a 15 de Dezembro de 1999, com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos, a Associação Orquestra Jazz de Matosinhos é uma instituição sem fins lucrativos que cumpre o papel de uma Orquestra Nacional de Jazz.

Dirigida por Pedro Guedes e Carlos Azevedo, tem colaborado com nomes tão diversos como Maria Schneider, Carla Bley, Lee Konitz, John Hollenbeck, Jim McNeely, Kurt Rosenwinkel, João Paulo Esteves da Silva, Carlos Bica, Ingrid Jensen, Bob Berg, Conrad Herwig, Mark Turner, Rich Perry, Steve Swallow, Gary Valente, Dieter Glawischnig, Stephan Ashbury, Chris Cheek, Ohad Talmor, Joshua Redman, Andy Sheppard, Dee Dee Bridgewater, Maria Rita, Maria João, Mayra Andrade, Manuela Azevedo, Sérgio Godinho, entre muitos outros.

 

Presença regular nas principais salas portuguesas, mas também em Barcelona, Bruxelas, Milão, Nova Iorque, Boston e Marselha, a Orquestra Jazz de Matosinhos foi a primeira formação portuguesa de jazz a participar num festival norte-americano (JVC Jazz Festival, Carnegie Hall, em 2007). Participou também no Beantown Jazz Festival de Boston e realizou temporadas nos clubes nova-iorquinos Birdland, Jazz Standard, Jazz Gallery e Iridium. Em 2015 e 2016 voltou a integrar o cartaz do Voll-Damm Festival Internacional de Jazz de Barcelona; fez uma temporada no Blue Note de Nova Iorque; e estreou-se na Konzerthaus de Viena e no Festival de Jazz de Belgrado.

 

Conquistado o reconhecimento nacional e internacional, a Orquestra Jazz de Matosinhos nunca esqueceu o seu meio envolvente, através do ciclo dedicado aos novos talentos do Jazz, onde partilha o palco com artistas emergentes, mas também do seu serviço educativo. Com base em Matosinhos, a orquestra desenvolveu um projecto em parceria com as escolas do concelho a que deu o nome de “Grande Pesca Sonora”. Com o intuito de dar a conhecer aos alunos e à população um pouco mais do mundo em que se move, a OJM partilha as ferramentas e modos de trabalho na construção de um concerto com um tema distinto a cada edição.  Ao longo destas duas décadas muito mudou, em Matosinhos e nesta big band. E por que são vários os motivos para festejar, fica o convite para todos os que, directa ou indirectamente, fizeram e fazem parte destes 20 anos para brindar à Orquestra Jazz de Matosinhos, dia 30, às 21h30, num espaço que será determinante para o futuro da OJM e d​e Matosinhos: o renovado edifício da Real Vinícola​ (Av. Menéres)​.

 

Direcção musical, Piano: Pedro Guedes, Carlos Azevedo.

Madeiras: José Luís Rego, João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira.

Trompete: Gileno Santana, Javier Pereiro, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Susana Santos Silva.

Trombone: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Paulo Perfeito, Andreia Santos, Gonçalo Dias.

Secção Rítmica: Demian Cabaud, Marcos Cavaleiro.

Pierre Aderne regressa com novo disco… “Da janela de Inês”

Pierre Aderne este de regresso com novo disco. A edição esta prevista para 10 de Fevereiro de 2017.

untitled

Sobre este novo trabalho é o próprio músico que o define

“Da janela de inês” surgiu de um romance inacabado, de onde colhi fragmentos para ilustrar onze dias na vida de inês - minha personagem. o português do brasil e o português de portugal se encontram, paqueram nas estrofes, misturam-se. Quase todas as letras chegam em prosa, as rimas dão lugar à repetição de frases, que foram cuidadosamente musicadas por meu parceiro Léo Minax.

Um bordado onírico de sons e palavras, que montam o roupeiro de Inês.

Inês, alfacinha da gema, assim como seu disco, que coloca em um mesmo puça acordes dos quintais e das esquinas de minas gerais, sementes rítmicas cabo-verdianas, cariocas, cantadas por mim em mar manso.“

 

HMB… Novo disco "Mais" a 10 de Fevereiro

"Mais", o novo álbum dos HMB nasce numa fase de muita estrada e de crescente popularidade. Acabou o efeito surpresa de ter uma banda a cantar em português canções com características mais soul e RnB e por isso os HMB apostaram em sedimentar o futuro com um trabalho inundado de canções honestas e de uma ambição assumida em chegar mais longe.

15940645_10154679686717247_8773988299300682446_n

Em “Mais”, o leque de influência está mais alargado do que nunca , o pop dos anos 80, as guitarras  de Lenny Kravitz, a crueza de Kendrick Lamar, a frontalidade lírica de quem não esconde nada, a presença do som de Prince e os arranjos vocais que só o Heber consegue fazer, orquestrados pela batuta dos dois alicerces inabaláveis inerente aos HMB - Soul e RnB.

Carminho, junta o fado à soul em “O Amor é assim”, indiscutivelmente uma das canções do ano, e Emicida, traz o calor do Brasil a “Estrela Brilha”. Mesmo a acabar o disco, DJ Ride empresta o seu talento na co-produção do tema titulo “Mais”.

 

“Mais gratos, Mais Maduros, Mais aventureiros. Este disco nasce num período de muito trabalho e realização pessoal enquanto banda, resultado de muitas coisas que vimos, sentimos, vivemos e experimentámos.“. Mais” o terceiro disco dos HMB, chega às lojas no dia 10 de Fevereiro

Villa Sessions… 1º Festival de Blues de Vila do Conde

Villa Sessions, o 1º Festival de Blues de Vila do Conde nasce de uma conversa entre dois amigos, Renato Dias e Pedro Ferreira. Ao longo do último ano, e após auscultação de vários músicos conhecidos, bem como uma análise aprofundada do panorama musical dos Blues em Portugal, focalizada no Norte do País, denotam algumas lacunas nos vários eventos a que assistem e participam, tomando conhecimento das expectativas e desejos de músicos e apreciadores deste género musical. O Festival, promovido pela Dream Sessions com o importante apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, contará no cartaz desta 1ª edição com alguns dos maiores nomes do Blues nacional.

cartazmain

A 17 de Fevereiro subirão ao Palco os Apostrophe e a Minnemann Blues Band, a fechar a noite, uma referência do blues nacional, banda por onde já passou o Rui Veloso, com Wolfram Minnemann como frontman. No dia seguinte, a 18 de Fevereiro os Delta Blues Riders e a encerrar a banda de Antonio Mão-de-Ferro, nome incontornável da guitarra em Portugal. Este evento irá realizar-se no Auditório Municipal de Vila do Conde

 

O Villa Sessions será muito mais do que concertos: será um Festival dedicado à música. No final de cada noite, uma After Party no Encanas Bar, histórico bar de referência em Vila do Conde, prossegue com a música e a presença dos músicos.

Ainda no dia 18 de fevereiro no foyer do Auditório Municipal decorrerão WorkShops de Blues da responsabilidade de Wolfram Minnemann, de Guitarra  por António Mão-de-Ferro e de construção e manutenção de Guitarras pelo luthier Luis Farinha da Custom Guitars.  Ainda no mesmo espaço, expositores que apresentarão as suas criações e produtos, tais como It ́s Music, Lucky Stripes Handmade Guitars, Luis Farinha Custom Guitars, Fratermusic, Mr. Ron FX.

Será ainda disponibilizado um espaço Open Mic para quem tiver vontade de apresentar os seus dotes artísticos e ainda a presença do caricaturista Artur Ferreira, disponível para caricaturar interessados que queiram em levar uma boa recordação do Festival para casa.

Mastiksoul, Sam The Kid & Mundo Segundo e Virgul juntam-se a Kappa Jotta e DJ Oder no VillaFest

Depois de DJ Oder e Kappa Jotta, Mastiksoul, Sam The Kid & Mundo Segundo, Virgul e o DJ João Ladislau completam o cartaz do VillaFest que decorre no próximo dia 4 de Março no Pavilhão NERVIR, em Vila Real.

Image1

Para abrir, aquele que é considerado por muitos como o melhor DJ nacional, Mastiksoul. Iniciou a sua carreira em 92 tornando-se hoje um dos DJs/Produtores mais respeitados pela indústria a nível mundial. Para além de já ter atuado nos maiores palcos a nivel nacional e internacional, é também premiado frequentemente, como é exemplo a nomeação como “Melhor Produtor House” nos aclamados prémios Beatport. Em 2016 continuou o seu caminho e lançou “Gasosa” com Laton Cordeiro, tendo-se tornado, um dos hits dos Verão.

 

Sam The Kid & Mundo Segundo são dois nomes do hip hop que dispensam apresentações. A solo, em conjunto, ou nos projetos que desenvolveram com outros grandes artistas como Orelha Negra ou 5-30 no caso do primeiro ou Dealema no caso do segundo, estas duas referências primam pelo talento e pelas excelentes prestações ao vivo. Dia 4 de Março, estarão no VillaFest para provar isso mesmo.

Virgul é outra das grandes referências da música nacional. Ficou conhecido como vocalista dos eternos Da Weasel mas em 2016 voltou em força para uma mais do esperada carreira a solo. A provar isso mesmo estão as quase 5 Milhões de visualizações no Youtube do tema “I Need This Girl”, que entrou também na produção da TVI “A Única Mulher” ou no genérico da mais recente “Ouro Verde” ou as 4 Milhões de visualizações do segundo single “Só eu sei” em menos de 2 meses. Ao vivo, as suas atuações assumem uma energia imensa, tendo incendiado no Verão passado, palcos como o do MEO Sudoeste.

 

Estes nomes juntam-se ao mais recente nome sonante do hip hop português, Kappa Jotta, ao DJ e produtor DJ Oder e ao filho de Vila Real, DJ João Ladislau

D.A.M.A… novo single chama-se “Miúdos”

Miúdos” é o mais recente single dos D.A.M.A, com imagens inéditas de Miguel Cristovinho, Miguel Coimbra e Francisco “Kasha” Pereira em criança. Com esta nova música, os D.A.M.A anunciam também a nova digressão, cujo primeiro concerto será dia 16 de Fevereiro, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra.

D.A.M.A - Miudos imagem

Nas resoluções de ano novo dos D.A.M.A consta, no topo da lista, uma espécie de “back to the roots”. Uma história cantada intimamente numa viagem que nos transporta ao passado. Ao tempo em que três miúdos tocavam para os amigos e para os amigos dos amigos, longe das luzes e da legião de fãs que hoje esgota o MEO Arena ou o Campo Pequeno.

A necessidade de iniciar um “Era uma vez” à distância de um aperto de mão ou de um beijo, numa proximidade que apenas a amizade oferece. Esta nova era dos D.A.M.A não é mais que um riscar a palavra “Fã” e escrever, à sua frente, “Amigo”.

 

Próximos Concertos…

 

16 de Fevereiro 2017 – CC Olga Cadaval (Sintra)

24 de Fevereiro 2017 – CCC (Caldas da Rainha)

3 de Março 2017 – Teatro das Figuras (Faro)

25 de Março 2017 – Feira de Março (Aveiro)

8 de Abril 2017 – Coliseu (Porto)

Paus… 6 anos depois voltam a fazer “Só desta vez”

Em 2010, só com 4 músicas, os PAUS lançavam o seu primeiro EP com um objectivo simples: ter visões, falar línguas, ir a lugares estranhos. A aventura e a colaboração estão no adn da banda. Por desafio do LUXfrágil, em 3 noites deixaram que 3 grupos de convidados mudassem o tecido das suas 4 canções. O ciclo Só Desta Vez tinha a força simples do seu nome e conceito - 3 concertos únicos, irrepetíveis e por isso imperdíveis.

537

Só Desta Vez I recebeu Filho da Mãe, João Nogueira (Riding Pânico) e Eduardo Raon para criarem uma barragem sónica com a ajuda de um trio atípico de cordas. Só Desta Vez II com DJ Ride e RIOT (Buraka Som Sistema) elevaram o bounce dos PAUS a níveis épicos. Só Desta Vez III, o último deste ciclo, com ajuda de Chris Common e do Grupo Tocandar, juntou o ritmo do rock contemporâneo aos padrões primordiais dos bombos portugueses.

 

De alguma forma, estas 3 noites começaram a mapear a genealogia musical dos PAUS e obrigaram a que os próprios músicos se apercebessem dela para criarem um vocabulário cada vez mais seu. Agora, 6 anos depois os PAUS ainda têm sede de experimentar. O quarteto volta ao LUXfrágil para um novo ciclo Só Desta Vez.

 

23 de Fevereiro: Só Desta Vez IV

27 de Abril: Só Desta Vez V

29 de Junho: Só Desta Vez VI

 

Os primeiros convidados serão anunciados dia 30 de Janeiro, à volta de um café no espaço Delta Q na Avenida da Liberdade em Lisboa.

Gabriel o Pensador volta aos grandes concertos em Lisboa…

No próximo dia 22 Abril, Gabriel O Pensador abre as portas do Campo Pequeno em Lisboa para receber todos os seu fãs… 25 anos depois de apresentar a música “Tô Feliz (Matei o Presidente)”, o seu primeiro grande sucesso, Gabriel O Pensador tornou-se num dos artistas brasileiros mais conhecidos, reconhecidos e queridos do público português e dos muitos brasileiros que vivem em Portugal.

16174391_10154761902645985_5595081767358067432_n

E como Gabriel tantas vezes diz quando se refere a Portugal… “Gabriel o Pensador já é (mesmo) de casa!”. Um concerto onde não vão faltar as canções “2345meia78”, “Festa da Música”, “Cachimbo da Paz”, “Astronauta” e tantos outros sucessos e muitas surpresas por revelar... “Letra A, vamos começar? (...)”

The Oafs… "My Superhero" primeiro single retirado de "My Scars and Stories"

Em finais de 2016 os The Oafs editaram o álbum “My Scars and Stories”, onde: “contamos histórias e expomos as marcas, boas e más, que nos constroem como pessoas. Contamos desabafos que nos saem da alma, nos acordam de noite e nos obrigam a escrever”, revelam os elementos da banda de Viana do Castelo.

Image1

“My Superhero” é o primeiro single e video retirado do album "My Scars and Stories" disco que tem sido alvo de excelentes criticas a  nível internacional.

 

Indignu ao vivo no Teatro Diogo Bernardes

Esta sexta-feira, 27 de janeiro, sobe ao palco uma das referências do post-rock nacional, Indignu [lat.], formado por Afonso Dorido (guitarra e baixo), Graça Carvalho (violino, metalofone e sintetizadores), Helena Silva (violino), Jimmy Moom ( guitarra, baixo e metalofone), Mateus Nogueira (baixo, guitarra, piano) e Paulo Miranda (bateria). Três anos depois da ópera-rock “Odyssea”, aclamado disco-livro que a Time Out Porto classificou como “obra de arte”, o colectivo post-rock barcelense está de regresso aos discos. “Ophelia”, a nova viagem, disponível em edição vinil de capa dupla, teve o seu primeiro avanço no Festival Bons Sons, em Agosto passado e foi apresentada ao público em 31 de Outubro no sítio oficial da banda.

indignu_mupi_

Com o trabalho anterior, Indignu [do latim] marcou passagem de norte a sul do país, mas também por Espanha, França e Bélgica, onde deixou marca no Dunk!Festival, o maior festival post-rock da Europa. “Mar do Norte”, o single e avanço do disco, foi apresentado em video, gravado entre as encostas do mediterrâneo e o Cairo, no Egipto. “Ophelia” levanta o véu para a temática da bipolaridade humana, lembrando ao mesmo tempo que as maiores e mais desconcertantes viagens ocorrem, na maior parte das vezes, dentro de nós.

"Ophelia" é uma mulher como que bipolar. Que transporta no peito dois mundos, dois hemisférios no seu cérebro, inderdependentes, mutuamente inclusivos. Quase que se de um lado “A/Norte/Este” fosse delicada, planante, emocional, fazendo o ouvinte viajar para cenários sensoriais, clássicos, contemplativos. E do outro lado “B/Sul/Oeste” fosse agitada, desconcertante negra, transportando para uma viagem sofrida e excêntrica.

 

Teatro Diogo Bernardes (Ponte de Lima)

27 de Janeiro 2017 | 21.30h

WUD… a estreia da toupeira com "Heart x Cortex"… dia 10 de Fevereiro

Os WUD (Wait Until Dark) (André Ferreira, Gustavo Liberdade e David Ventura) são uma espécie habitante no sub-solo cuja genética só permite emergir à superfície depois do sol-pôr. Nesse sub-mundo afastado da vida ao cimo da terra e do quotidiano humano, estes seres dedicam-se à construção de uma galeria de ideias longe da vista do mundo mortal.

e8628166-f486-43bc-9954-0265c67c6403

É através da música, das artes visuais e do storytelling sensorial, que os WUD saem das catacumbas onde residem, por questões intrínsecas à sua natureza, para disparar um conjunto de mensagens com a consciência humana como alvo.

 

"Heart x Cortex" é a realidade paralela desenvolvida por este projecto virtual, cuja narrativa, suportada por personagens "soricomorphas" antropomorfizadas, remete directamente para os seus criadores. Desta construção, onde o rock industrial se funde com electrónica negra e difusa, resulta uma fábula satírica numa interpretação da actual condição humana.

A apresentação de "Heart x Cortex" acontece já no dia 9 de Fevereiro no Porto (Cave 45) e no dia 10 no Incógnito. "Heart x Cortex" é uma edição Raising Legends

Iberian Festival Awards 2017… já são conhecidos os finalistas

Já são conhecidos os TOP10 das categorias dos Iberian Festival Awards 2017. A entrega de prémios aos vencedores acontece em Barcelona no próximo dia 16 de Março 2017

DSC_0286 (Cópia).jpgphoto: Paulo Homem de Melo

 

São estes os finalistas por categoria:

                                                                                                                                

BEST MAJOR FESTIVAL

Bilbao BBK Live (ES)

Boom Festival (PT)

Cruilla Barcelona (ES)

FMM Sines (PT)

Mad Cool Festival (ES)

Nos Alive (PT)

Nos Primavera Sound (PT)

Primavera Sound (ES)

Resurrection Fest (ES)

Rock in Rio Lisboa (PT)

 

Best Medium-Sized Festival

Arrecife en Vivo (ES)

Azkena Rock Festival (ES)

Bons Sons (PT)

Ebrovisión (ES)

EdpCoolJazz (PT)

Festival F (PT)

Festival Med (PT)

Milhões de Festa (PT)

Mundaka Festival (ES)

Noches del Botanico (ES)

 

Best Small Festival

Amplifest (PT)

Bastard Rock (PT)

B-Side Festival (ES)

Ebroclub (ES)

Gijón Sound Festival (ES)

Live for Madness Metal Fest (ES)

Misty Fest (PT)

Party Sleep Repeat (PT)

Rodellus (PT)

Universal Music Festival (ES)

 

Best New Festival

Atlantic Fest (ES)

Brunch Electronik (PT)

Cordas World Music Festival (PT)

Lisboa Dance Festival (PT)

Mad Cool Festival (ES)

Madrid Music City (ES)

Mimo Festival (PT)

Noches del Botánico (ES)

Sonora CC (ES)

Vagos Metal Fest (PT)

 

Best Line-Up

Azkena Rock Festival (ES)

Bilbao BBK Live (ES)

Bons Sons (PT)

EdpCoolJazz (PT)

Festival Med (PT)

FIB - Festival Internacional de Benicassim (ES)

FMM Sines (PT)

Lisboa Dance Festival (PT)

Mad Cool Festival (ES)

Resurrection Fest (ES)

 

Best Camping Site

Atlantic Fest (ES)

Bilbao BBK Live (ES)

Bons Sons (PT)

Ebrovision (ES)

Monte Verde Festival (PT)

Musa Cascais (PT)

Resurrection Fest (ES)

Vagos Metal Fest (PT)

Voa Fest (PT)

Weekend Beach Festival (ES)

 

Best Indoor Festival

Amplifest (PT)

Connexions (ES)

Lisboa Dance Festival (PT)

Live for Madness Metal Fest (ES)

Maz Basauri (ES)

Misty Fest (PT)

Party Sleep Repeat (PT)

Sons de Vez (PT)

Universal Music Festival (ES)

WOS Festival (ES)

 

Best Media Partner

Antena 3 (PT)

Bi Fm (ES)

Dod Magazine (ES)

El País (ES)

Festinfo (ES)

Festivais de Verão (PT)

Mondo Sonoro (ES)

Radio 3 (ES)

RTP (PT)

Vodafone FM (PT)

 

Best Live Performance (PT/ES)

António Zambujo - Festival Med (PT)

Belako - Low Festival (ES)

Capitão Fausto - Vodafone Paredes Coura (PT)

D.A.M.A - Meo Marés Vivas (PT)

Izal - Santander Music (ES)

Jorge Palma - Bons Sons (PT)

La Gran Pegatina - SonRías Baixas (ES)

Los Enemigos - Mundaka Festival (ES)

Orelha Negra - Super Bock Super Rock (PT)

Vetusta Morla - Cruilla Barcelona (ES)

 

Best Live Performance (International)

Alabama Shakes - Cruilla Barcelona (ES)

Iron Maiden - Resurrection Fest (ES)

Jungle - Lisb/On (PT)

Kendrick Lamar - Super Bock Super Rock (PT)

Muse - FIB (ES)

Neil Young - Mad Cool Fest (ES)

Queen - Rock in Rio Lisboa (PT)

Radiohead - Primavera Sound (ES)

Sia - Meo Sudoeste (PT)

Tame Impala - Nos Alive (PT)

Sesimbra recebe “Concertos a Propósito”

“Concertos a Propósito”… O Carnaval, a Poesia, a Revolução, o Pescador… um concerto por mês a propósito de…

6bef9777-aa2a-4c7c-8cfb-d4fdecd71585

O Compositor de grandes sucessos de Ney Matogrosso, Zélia Duncan, Maria Rita entre outros, apresenta-se em nome próprio com canções que você já conhece. Intitulo a "Música é o Meu País", este concerto reúne, em formato intimista, canções marcantes da sua trajectória, revela o seu primeiro disco editado ma Europa e gravado em Portugal e também abre espaço a novidades. A actuação de Fred Martins antecipa, o Carnaval de Sesimbra, inspirado na tradição brasileira.

 

Em Março, a propósito do Dia Mundial da Poesia, o palco recebe Luiz Caracol, músico e compositor português que já colaborou com algumas das grandes referências da música portuguesa. Com novo álbum “Metade e Meia” em 2017, confirma-se a excelência deste artista singular cuja música apresenta uma mestiçagem muito própria, entre sonoridades de Portugal, Brasil, África. Tocou, entre outros, com Sara Tavares, Tito Paris, Jorge Drexler, Fernanda Abreu. Depois do sucesso do primeiro álbum “Devagar”, que apresentou nos EUA e em show case oficial na EXIB Música Iberoamericana, tem vindo a tocar em Portugal, Espanha e Brasil, encontra-se neste momento a percorrer o país com a nova tour de apresentação do novo álbum.

 

Um mês depois, é a vez dos Couple Coffee se associarem às comemorações do 25 de Abril com a interpretação das músicas de Fausto Bordalo Dias, um dos mais importantes cantautores da revolução dos cravos. Com o novo álbum “Fausto Food” em 2017, Couple Coffee lançam o seu 6º álbum, consagrando-se como nome de peso no panorama musical nacional e internacional. Apresentam um concerto vibrante que vai da música brasileira a temas tradicionais da música portuguesa passado pelos seus incríveis originais. Norton Daiello e Luanda Cozetti formam um duo único e inigualável.

 

O ciclo despede-se em maio, mês em que a vila de Sesimbra celebra a festa em honra do Senhor Jesus das Chagas, e assinala o Dia do Pescador, com uma das vozes da nova geração de fadistas portugueses, Cristiana Águas. A grande nova voz do Fado encontra-se a terminar o novo álbum, a sair muito em breve e irá desvendá-lo em concerto. Cristiana, cantora de percurso internacional, foi a voz de Amália no filme sobre a mesma. Traz na voz talento, emoção e uma força vital que a todos prende e fascina ao primeiro instante.

 

Cineteatro Municipal João Mota (Sesimbra)

Brasileira LaBaq lança vídeo realizado em Portugal

Já passaram alguns meses desde o lançamento de “• v o a •”, primeiro disco da compositora, guitarrista e cantora Brasileira LaBaq. Surge agora o seu primeiro video, dando vida em imagem à música "Vida Que Segue", segunda faixa do álbum.

07a07cef-a3d1-4c74-bd64-2f651f64a631

Produzido em Setúbal/Portugal pela equipe da Garagem - produtora portuguesa, e dirigido pelo também português Pedro E. Semêdo, o conteúdo é peculiar: LaBaq cortando seus dreads, símbolo que até então era muito forte em sua imagem e a artista explica o motivo em algumas palavras: "Fui vendo que já estavam me associando mto àquela imagem e isso me incomodava um pouco, sabe? Preferia deixar as pessoas acostumadas a algo que estivesse em constante mutação - pois eu sou assim em essência, amo o movimento - do que me apoiar cada vez mais aos dreads e, às vezes, ficar resumida à imagem.

Foi extremamente libertador poder cortá-los, acho que o vídeo, que é um plano sequência, passa essa leveza de sair desse lugar e começar em um novo, muito feliz com o resultado!"

​O video foi realizado durante a última digressão da jovem artista pelo continente europeu no outono de 2016, mesmo ano de lançamento do cd. A canção conta ainda com a participação da rapper inglesa LyricL.

“A Linguagem Mágica dos Bebés”… de Joana Rombert

Será que chora porque tem sono ou porque tem fome? Está a contorcer-se porque tem frio ou cólicas? O nascimento de um bebé é um acontecimento único na vida dos pais, mas que muitas vezes traz também inúmeras dúvidas. Compreender o comportamento do seu filho, ouvir a sua voz e conseguir interpretá-la vai ajudá-lo a decifrar a sua linguagem, a perceber os recados que lhe quer transmitir e a descobrir as suas reais intenções. Depois pode começar a desfrutar da procura da sintonia e do prazer mútuo de comunicar, criar uma relação tranquila e especial e apaixonar-se ainda mais.

image

Até chegar ao ponto em que diz “Este é o meu bebé e eu sei do que ele precisa”. Comunicar com o seu filho não implica apenas falar com ele, a linguagem do amor passa também por tocar, embalar, sorrir para o seu bebé, entre tantos outros gestos plenos de ternura e carinho. E quando ele começar a balbuciar, a dizer as primeiras palavras e a produzir as primeiras frases, incentive-o, estimule-o e acredite que pode desde o primeiro momento conversar, porque para comunicar são sempre precisos mais do que um e você e o seu filho serão os interlocutores perfeitos.

 

A “Linguagem Mágica dos Bebés”, da especialista Joana Rombert, descreve as várias etapas comunicativas e linguísticas do desenvolvimento da criança, desde os 0 meses até aos 3 anos. Neste livro profusamente ilustrado, encontra ainda as estratégias e os jogos que o vão ajudar a estimular e desenvolver a comunicação com seu filho

 

Edição: A Esfera dos livros

À venda a 27 de janeiro

Best Youth estreiam novo single… “Renaissance”

Os Best Youth lançam hoje um novo single antes do concerto desta quinta-feira, 26 de Janeiro, no Lux, que terá como convidados Moullinex e The Legendary Tigerman.

16807488_1534467496565417_616154044598595959_n

"Renaissance" é a mais recente canção assinada por Kate e Ed, uma das novidades com que o público será brindado neste espectáculo, que conta ainda com um vídeo realizado por Tiago Ribeiro em colaboração com a Dsection Creative e protagonizado por Kelly Bailey.

2017 começou com a actuação no festival Eurosonic, em Groningen, na Holanda, onde os Best Youth foram desde logo considerados um dos 10 concertos a ver pelos 34 media partners do festival, dando o mote para um ano de grande actividade. Além do concerto no Lux, a digressão da banda continuará na estrada e culminará com o lançamento de um novo álbum

Valter Hugo Mãe e Marcelino Freire na 7ª edição do Festival Literário da Madeira (FLM)

FLM junta Valter Hugo Mãe, Prémio Literário José Saramago 2007, e Marcelino Freire, Prémio Jabuti 2006 e Prémio Machado de Assis da Fundação Biblioteca Nacional para Melhor Romance 2015, numa conversa moderada pela jornalista Maria João Costa.

bigImg

Estes autores juntam-se aos já anunciados Svetlana Alexievich, que estará à conversa com o jornalista Luís Caetano na sessão de abertura do festival, e a Pepetela e Ondjaki, que participarão numa conversa com o jornalista Fernando Alves.

 

O momento musical desta 7ª edição será marcado pela voz singular de Teresa Salgueiro. Literatura e a Web – entre o medo e a liberdade é o tema para uma semana de encontros, debates, concertos, sessões de autógrafos, entre muitos outros momentos que o evento proporciona em vários pontos da ilha, de 14 a 18 de Março.