Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

“Foreverland” dos The Divine Comedy apresentado em Portugal em fevereiro

Os The Divine Comedy vão passar por Portugal com 2concertos inseridos na digressão de apresentação do 11.º álbum de estúdio, “Foreverland”, lançado no dia 2 de Setembro de 2016.
A banda irlandesa, liderada por Neil Hannon, atua já no próximo dia 3 de fevereiro no Theatro Circo Braga e no dia seguinte ruma à capital, onde atuará no Teatro Tivoli BBVA.

16387368_751522351664196_9036812083503911379_n

photo: Elena A.Photography 

 

Desde a formação da banda, The Divine Comedy, em 1989, Neil Hannon conseguiu comprovar ser um dos mais originais compositores do Reino Unido. O novo album “Foreverland” vem confirmar esta característica do compositor, com referências que vão desde a Catarina, a Grande à Legião Estrangeira Francesa. O artista explica que este o novo álbum “é sobre conhecer a tua alma gémea e viver feliz para sempre…e então o que vem depois do felizes para sempre. Preparem-se para o hit mais historicamente impreciso do verão”.

Desde o último registo de originais editado em 2010, “Bang Goes The Knighthood”, Neil Hannon dedicou-se a alguns dos seus projetos paralelos. O músico envolveu-se na elaboração do segundo disco da banda “The Duckworth Lewis Method”, dupla que tem com Thomas Walsh dos Pugwash, bem como na composição de um coral para o recém-renovado Royal Festival Hall, intitulado “To Our Fathers In Distress”.

Hannon supervisionou ainda a transferência do seu musical “Swallows And Amazon” para o West End stage.

 

Theatro Circo (Braga)

3 de fevereiro de 2017 | 21.00h

 

Teatro Tivoli BBVA (Lisboa)

4 de fevereiro de 2017 | 21.00h

Luísa Sobral apresenta novo disco amanhã em Lisboa...

Luísa Sobral iniciou na passada sexta-feira, em Aveiro, a digressão de apresentação ao seu quarto disco de originais – “Luísa”, editado em Novembro de 2016. Lisboa será apenas a segunda cidade a receber esta digressão nacional, com um concerto único, amanhã, no Teatro Tivoli BBVA.

DSC_0341 (Cópia)

photo: Paulo Homem de Melo

 

O concerto chega ao Porto já na próxima semana, a 8 de Fevereiro, na Casa da Música e a digressão estende-se a todo o país durante 2017. Em palco, Luísa Sobral é acompanhada por Mário Delgado na guitarra, João Salcedo nos teclados e piano, João Hasselberg no baixo e contrabaixo, e Carlos Miguel Antunes na bateria. Este é o espectáculo em que, segundo a artista, "o piano cede o seu protagonismo à guitarra".

DSC_0367 (Cópia)

photo: Paulo Homem de Melo

 

Dois anos após o lançamento de "Lu-Pu-I-Pi-Sa-Pa", direccionado para o público infantil, chega “Luísa”, o quarto álbum de estúdio de Luísa Sobral, que marca um ponto de viragem e reflecte maturidade artística, invocando as suas influências primordiais do jazz e do folk. Foi gravado em Los Angeles, nos United Recording Studios, com Joe Henry ao leme da produção, vencedor de 3 Grammy Awards, que para além de uma sólida carreira em nome próprio assina trabalhos de músicos como Elvis Costello, Solomon Burke, Beck ou Madonna.

 

Os últimos bilhetes estão à venda nos locais habituais.

José Camilo & Seus Cúmplices apresentam “Obra Camiliana”

No novo disco, “Obra Camiliana”, José Camilo passa a sua mensagem através das guitarras sujas e da bateria que impõe uma velocidade estonteante, qual locomotiva a rasgar a paisagem na velocidade máxima. Lança a sua poesia, como se fosse um guerreiro folk, mas fascinado com o som eléctrico e enebriante do rock n' roll.

16252107_1304298032942871_2048727558821474926_o

José Camilo propõe-se agora a mostrar esse novo trabalho num concerto no próximo dia 1 de fevereiro, no Tokyo Bar. Para tal, contará com o apoio da sua nova banda de suporte: Os Cúmplices.

 

Tokyo Bar (Lisboa)

1 de fevereiro 2017  | 23.30h

“A noite da Dona Luciana”…

“A Noite da Dona Luciana” (1985) é uma comédia irreverente e florida, ao estilo de Copi. A peça dilui as fronteiras entre a imaginação e os estereótipos vinculados pelo inconsciente coletivo, ao estabelecer uma ácida caricatura humorística que vai desde a realidade quotidiana aos confins do absurdo e da extravagância. As situações criadas tanto se inscrevem no cliché e na situação comum, como se dissolvem num universo fantasioso.

wwww

Num teatro acontece um ensaio tardio, onde estão presentes o encenador, a atriz e o técnico. O ensaio é interrompido por uma velha striper transsexual, que se envolve num confronto com a Companhia, lançando o espectador numa espiral entre a verdade e o delírio, a paixão e o humor negro.

 

Teatro José Lúcio da Silva (Leiria)

3 de Fevereiro 2017 | 21.30h

Brigada Victor Jara e Banda Amizade…

Ao longo de quarenta anos, que vem comemorando nestes dias, a Brigada Victor Jara gravou e levou aos palcos mais de uma centena de canções de raiz tradicional. Quarenta anos de cantigas vindas de um chão em que viveram outras vidas, onde foram feitos de trigo, embalo de menino, incitamento de homens e de bichos, testemunho de fé. 

Print

No palco aonde as fomos levando ganharam novos timbres, mais vozes, outras idades. Para este concerto serão estas as cantigas que traremos, umas daqui, outras dali, todas elas, sinal de que a gente que na (da) terra vive não se limita à produção do alimento da barriga - é da alma que se ocupa, sabido o descuido de que os deuses são capazes. Desta vez outros timbres, outros tecidos entrarão nas suas vidas - as das cantigas e as da Brigada. A Banda Amizade estará no palco, não como um traje que se veste, mas como corpo inteiro dos próprios cantos populares, ela mesma instituição do povo e da Música da nossa terra. 

 

Teatro Aveirense (Aveiro)

4 de Fevereiro 2017 | 21.30h

Mbye Ebrima & Winga ao vivo…

Kunbenho /mandinka/ significa a união de dois instrumentos que resulta numa sonoridade nova, única e excepcional. Mbye Ebrima e Winga durante uma série de encontros/ensaios partilharam os seus conhecimentos, a sua experiência, as formas de tocar, de pensar a música e de expressa-la.

15936946_694524030708832_5100115026484235192_o

Mbye Ebrima, mandinga, korista, compositor, cantor e diseur de história oral, nasceu em Jarra Soma, na Gâmbia, em 1988, numa famila djéli, os Mbye, tocadores de kora e reputados conhecedores e divulgadores da história oral mandiga-kaabunké há muitas gerações. Em 2015, fixou residência em Portugal, onde ainda hoje reside e trabalha enquanto músico. Desde então tocou várias vezes em Portugal e em Espanha, tendo tido como alguns palcos o B.Leza, o Auditório J. J. Laginha do ISCTE-IUL, o Auditório de Espinho, o Maus Hábitos no Porto, o Salão Brasil em Coimbra, a Musibéria em Serpa, o Coliseu do Porto (com Kimi Djabaté), entre outros. Participou em vários festivais, como ‘O Mundo Aqui’ em Ponta Delgada, ‘Encontros’ no Barreiro, ‘Música do Mundo’ no Seixal, ‘Encontro de Culturas’ em Serpa, ‘OITO24’ em Espinho, entre outros.

Winga é um sonhador, um guerreiro da utopia... fez parte da Trupe Boomerang, O ó que o som tem, Tocá Rufar, Dazkarieh, Uxu Kalhus, actualmente com Nação Vira Lata e Blasted Mechanism. É professor de percussão oriental e africana brasileira. Desenvolve ainda projectos de percussão com crianças. Pesquisa instrumentos e ritmos tradicionais com o objectivo de criar uma linguagem própria urbana.

 

O resultado deste processo, encantador e cativante, será apresentado pela primeira vez em Lisboa na primeira quarta-feira de Fevereiro no B.Leza.

 

B.Leza (Lisboa)

1 de fevereiro 2017  | 22.30h

Them Flying Monkeys apresentam novo single... “Halos”…

Depois de conquistarem o júri do Vodafone Band Scouting e de actuarem no Vodafone Mexefest, os Them Flying Monkeys continuam a trilhar a estrada dos tijolos amarelos.

"Halos" é o mais recente single retirado do álbum de estreia "Golden Cap" que vai chegar às lojas no dia 10 de Fevereiro com o selo Sony Music Entertainment.

Halos - Them Flying Monkeys

Após um 2016 de sonho, com o lançamento do primeiro single "Molly", de terem passado por Festivais como o NOS Alive ou o BBK, e o Vodafone Mexefest ,os Them Flying Monkeys entram em 2017 com toda a força.

"Halos" segue (ou precede) o trajecto de "Molly" e desvenda mais um pouco da estrada dos tijolos amarelos que ruma ao sonho. Dia 10 de Fevereiro os Monkeys vão finalmente chegar a "Golden Cap", o aguardado álbum de estreia. Mas o futuro reserva já inúmeras viagens e datas de concertos começando em Lisboa (dia 17 fevereiro) no Musicbox e correndo o país de norte a sul.

Them Flying Monkeys apresentam “Halos”… o novo single

Depois de conquistarem o júri do Vodafone Band Scouting e de actuarem no Vodafone Mexefest, os Them Flying Monkeys continuam a trilhar a estrada dos tijolos amarelos. "Halos" é o mais recente single retirado do álbum de estreia "Golden Cap" que vai chegar às lojas no dia 10 de Fevereiro com o selo Sony Music Entertainment.

Halos - Them Flying Monkeys

Após um 2016 de sonho, com o lançamento do primeiro single "Molly", de terem passado por Festivais como o NOS Alive ou o BBK, e o Vodafone Mexefest ,os Them Flying Monkeys entram em 2017 com toda a força.

"Halos" segue (ou precede) o trajecto de "Molly" e desvenda mais um pouco da estrada dos tijolos amarelos que ruma ao sonho. Dia 10 de Fevereiro os Monkeys vão finalmente chegar a "Golden Cap", o aguardado álbum de estreia. Mas o futuro reserva já inúmeras viagens e datas de concertos começando em Lisboa (dia 17 fevereiro) no Musicbox e correndo o país de norte a sul.

João Pequeno com novo single e novo vídeo… “Tu já sabias”

"Tu já Sabias" é o novo single e video de João Pequeno e conta com a participação especial de Mundo Segundo, membro do mítico grupo de hip hop Dealema.

joaopequeno_tu%20ja%20sabias

João Pequeno considera o rapper Mundo Segundo o maior responsável pela sua iniciação às rimas e batidas no universo do Rap. É por esse motivo que lhe presta homenagem nesta música. Com um registo pessoal já anunciado em “Não é novidade”, João recorda os tempos de miúdo em que, fiel entusiasta de Dealema, assistia aos concertos do grupo aos saltos na primeira fila. Hoje quando sobe ele ao palco imagina que, no público, estarão os novos rappers da próxima geração, diz: "Não subestimes o puto que está na plateia com o resto, que um dia destes ele cresce e o seu rap aparece".

O novo single fará parte do álbum de estreia de João Pequeno previsto para breve e é uma palavra de motivação a todos aqueles que diariamente investem o seu esforço naquilo que gostam, seja na música, dança, desporto, acreditando que um dia vão vencer. À semelhança do single anterior, “Tu já sabias” contém uma mensagem encorajadora e autobiográfica num equilíbrio entre passado, presente e um futuro que se adivinha musicalmente próspero.

Novidades do Resurrection Fest 2017

O mês de Janeiro encerra com mais um conjunto de novidades para o Festival Resurrection Fest 2017… Uma das bandas mais solicitadas junto da organização do evento acaba por ser confirmada para o alinhamento do Festival. Os já lendários Mastodon são um dos cabeças de cartaz para o Festival. Trazem na bagagem o seu novo disco “Emperor of Sand” cuja edição esta agendada para o próximo mês de Março. Sabaton são igualmente agora apresentados para a edição de 2017 do Resurrection Fest

32231379930_6086db1d29

7 anos depois da sua última passagem pelo festival regressam os ingleses Enter Shikari. A banda vem apresentar a Viveiro o seu trabalho “The Mindsweep”. Outras lendas do thrash que fazem a sua estreia no festival são os canadianos Annihilator liderados pelo mítico Jeff Waters. Trazem o seu mais recente trabalho “Suicide Society” e não vão faltar clásicos como “Alison Hell” ou “King of the Kill”. Destaque ainda para os Obituary com um brutal disco novo homónimo para o Chaos Stage, os brasileiros Krisiun, e os portugueses Holocausto Canibal e Revolution Within.

Em relação a bandas espanholas surgem agora confirmados os Blaze Out, os progresivos Quaoar, Porco Bravo, Vice Presidentes e os galegos Ånima e Late to Scream.

 

Nomes agora confirmados:

Mastodon, Sabaton, Enter Shikari, Annihilator, Obituary, Soziedad Alkoholika (Fiesta de bienvenida), Krisiun, Holocausto Canibal, Blaze Out, Quaoar, Revolution Within, Porco Bravo, Anima, Vice Presidentes e Late To Scream

 

Anunciados anteriormente:

Rammstein, Rancid, Dropkick Murphys, Airbourne, Suicidal Tendencies, Arch Enemy, Agnostic Front, Mayhem, Eluveitie, Architects, Red Fang, Comeback Kid, Napalm Death, Animals As Leaders, Terror, The Bouncing Souls, Orange Goblin, Snapcase, Korpiklaani, Pentagram, Warbringer, The Devil Wears Prada, Truckfighters, The Black Dahlia Murder, Deez Nuts, The Vintage Caravan, Lost Society, Alcest, Northlane, Karma To Burn, All Out War, Taake, Bury Tomorrow, Wisdom In Chains, Conan, Lords of Black, Wolf Down, Mantar, D.Y.S., Benighted, Adrift, Besta, Malevolence, Stray Train, Noctem, Vita Imana, Bastards, Guerrera, Legacy of Brutality, Reality Slap, Böira, Mutant, The Inspector Cluzo, CRIM, Killus, Morphium, Trashnos, The Blackjaw, El Altar del Holocausto, Teething, Bala, Tragic Vision, Brothers Till We Die e One For Apocalypse

Câmara Municipal de Sintra homenageia os Corvos

Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra, estará presente no concerto dos Corvos nos próximo dia 4 de fevereiro no Centro Cultura Olga Cadaval para prestar homenagem a Cláudio Panta Nunes, membro da banda que partiu no início do ano.

093c82e7-e505-42b4-b4d9-71740b73b9d1

O Presidente da Câmara atribuirá o grau prata da medalha de mérito municipal na classe de cultura a Cláudio Panta Nunes, sendo que será o seu pai, João Panta Nunes, que a irá receber em seu nome. Esta condecoração acontece depois de Nunes se juntar aos Corvos numa atuação ao vivo. Este é um concerto que marca também o regresso da banda Corvos aos palcos em 2017 e que acontecerá em Sintra, no Centro Cultural Olga Cadaval. Um espectáculo que homenageia também o percurso de 18 anos desta já icónica banda que interpreta alguns dos êxitos da música moderna e contemporânea portuguesa através de instrumentos clássicos.

 

Depois de um longo percurso e muitas provas dadas quanto à versatilidade, dinamismo e profissionalismo do grupo, Corvos viajam no tempo - à luz da contemporaneidade e formação musical atual - para revisitar Xutos & Pontapés e com a presença de Tim neste espectáculo agendado para o próximo dia 4 de fevereiro.

 

Formação:

Pedro Silva: 1º violino                                     

Luís Santos: Viola d’arco

Tiago Flores: 2º violino 

Nuno Correia: Viola Baixo                                 

Valter Freitas: Violoncelo                                    

Pedro Silva: Bateria

 

TREMOR #4… Bonga, Camera e Ghost Hunt juntam-se à festa

Depois dos últimos acrescentos de cartaz, a acrescentar a valência de Geoff Barrow enquanto líder dos Beak>, a voz desconcertante de Circuit des Yeux e a performance arrepiante de Yves Tumor, o cartaz do TREMOR muda as coordenadas para África e o centro da Europa.

untitled

A encabeçar as novas adições ao cartaz do abalo do ano, apontado para acontecer em Ponta Delgada, São Miguel, de 4 a 8 de Abril, está nem mais, nem menos do que Bonga, filho do semba em Angola, padrinho e embaixador do mesmo no mundo. Com ele vêm os krautrockers Camera, discípulos de Michael Rother e NEU! e banda de rua explosiva, e os conimbricenses Ghost Hunt, que levam o rock para territórios de dança sem qualquer vergonha.

 

Aos valores locais, acrescem agora os 3rd Method, acto de improv meio funk, meio electrónico, 100% merecedores de atenção, e os The Quiet Bottom, projecto de tensão entre a pop e a rock, sempre com esgares detalhados a fugir às limitações de ambos os géneros.

“Climas” no Teatro Aveirense

“O clima é a variável mais potente a atuar sobre nós”. 

O paralelismo entre o aquecimento global e um estado febril e inquietado aproximaram-nos das temáticas do fim das possibilidades e dessa forma de pântano no limiar da rebentação. Um espaço feito de cruzamentos foi tomando forma: estação meteorológica, sanatório, estância termal, laboratório artístico. 

15181326_1356651221035736_4639998602013508623_n

Tomando como ponto de partida o desígnio goethiano de “reintegrar o céu na paisagem humana”, Climas desafia o potencial performativo dos diálogos felizes entre poesia e climatologia, contemplação e pensamento, explorando a vitalidade e a imprevisibilidade de nos deixarmos atravessar pelas mais variadas forças naturais. 

Climas deixa-se seduzir pela ideia que a observação atenta da natureza poderá desenvolver no homem uma espécie de novo órgão, uma outra forma de lucidez. 

 

Direção e conceção do espaço cénico: André Braga 

Dramaturgia: Cláudia Figueiredo 

co-criação e interpretação: Costanza Givone, Daniela Cruz, Gil Mac, Margarida Gonçalves, Paulo Mota, Ricardo Machado 

Sonoplastia: André Pires 

Vídeo: Gonçalo Mota 

Desenho de luz: Francisco Tavares Teles, João Abreu 

Realização plástica: Nuno Brandão, Sandra Neves 

Produção: Ana Carvalhosa (direção), Cláudia Santos 

Coprodução: Circolando, Teatro Nacional São João, Culturgest, CMA/Teatro Aveirense 

 

A Circolando é uma estrutura subsidiada por República Portuguesa / Direção Geral da Artes

 

Teatro Aveirense (Aveiro)

3 de Fevereiro 2017 | 21.30h

Diego Miranda edita novo single… “Never Surrender”

Diego Miranda acaba de lançar o seu novo tema: “Never Surrender”, com a participação do cantor e compositor francês Mod Martin. A mensagem é de força e esperança, para que nunca nos rendamos, apesar das dificuldades que podemos encontrar pelo caminho, porque amanhã há sempre uma nova oportunidade. Ironicamente, este videoclip foi gravado na véspera da grande final do Campeonato Europeu de Futebol, no ano passado.

Diego Miranda - Never Surrender - capa

Com uma carreira de enorme reconhecimento Mundial, Diego Miranda é o único DJ Português a ter sido nomeado duas vezes para um MTV Music Award (na categoria Best Portuguese Act, em 2011 e 2014). Pelo segundo ano consecutivo, desde 2015, foi nomeado pela conceituada revista DJ Mag como o 58º melhor DJ da atualidade, sendo o único DJ português distinguindo nesta nomeação. Diego Miranda é também, a nível nacional, o único a ter atuado nos 3 maiores festivais Internacionais de Dance Music: Ultra Miami, Tomorrowland Belgium e Tomorrowland Brazil.

Mod Martin é um artista versátil cujo repertório e colaborações realizadas falam por si. Fez parte do grupo E-SENSES e tem várias colaborações com DJs, nomeadamente Laurent Wolf (nos temas “Suzy” e “Seventies”), Anton Wick, DJ Kaio (M6 Music), Greg Armano, Joe Mendes, Natty Rico, The Nycer, Maxime Torres, Anton Wick e Nasti & Clarks.

 

Este é o segundo single de Diego Miranda a ser editado com o selo Sony Music Portugal, depois do bem sucedido “Crystalized”.

 

Alice Creischer… exposição na Culturgest

A par do seu trabalho artístico, que tem vindo a realizar também em colaboração regular com o artista Andreas Siekmann, Alice Creischer (Gerolstein, Alemanha, 1960) tem desenvolvido ao longo dos anos uma incisiva intervenção crítica que se corporiza quer em textos acerca da arte e da instituição da arte na era do capitalismo avançado, quer na curadoria de exposições coletivas em torno do capitalismo e do colonialismo que envolvem um aturado processo de investigação (por exemplo, Violence is at the Margin of All Things, em 2002, ExArgentina, em 2004, e The Potosi Principle, em 2010).

alice

Creischer aborda no seu trabalho realidades complexas através de um método laborioso que se estriba na investigação acerca da atualidade política e económica e das suas raízes históricas, num pensamento associativo e em procedimentos de colagem e montagem. Exposições individuais como The Greatest Happiness Principle Party (Secession, Viena, 2001), Apparatus for the Osmotic Pressure of Wealth During the Contemplation of Poverty (MACBA, Barcelona, 2008), The Establishment of Matters of Fact e In the Stomach of the Predators (ambas na galeria KOW, em Berlim, respetivamente em 2012 e 2014), entre outras, contribuíram para afirmar Creischer, de forma lenta mas inelutável, como uma artista de enorme relevância. O núcleo duro desta exposição é um conjunto de novos trabalhos, produzidos desde 2014, que problematizam a chamada "crise da dívida soberana" em vários países europeus, nomeadamente em Portugal, e as políticas de austeridade que lhes estão associadas.

A instalação The Greatest Happiness Principle Party, de 2001, que tem como campo de referência a crise financeira na Europa durante a década de 1930, oferece um contraponto a esta nova constelação de obras.

 

Culturgest (Lisboa)

4 de Fevereiro a 30 de Abril 2017

Street Art Lisbon 2… A Arte Urbana de Lisboa em livro...

Depois do sucesso do primeiro volume, a ZEST e a GAU reuniram agora as obras de artistas nacionais e internacionais que coloriram a cidade de Lisboa entre 2014 e 2016. Com o mesmo formato prático e leve do primeiro (com as coordenadas GPS das obras e mapa incluído), este é um álbum totalmente ilustrado que presta homenagem aos que continuam a tornar Lisboa num centro de arte urbana de referência mundial.

Image1-1

Obras de diversas escalas, padrões e cores, auto-retratos ou composições abstratas, em murais ou objetos banais, juntam-se neste suporte físico, possibilitando e convidando o leitor a apreciar as suas preferidas. Um álbum rico sobre o melhor da street art em Lisboa, que nos mostra porque é que esta cidade é considerada uma das maiores e melhores capitais do mundo da street art!

 

Espaço de liberdade criativa dedicado pela Câmara Municipal de Lisboa ao graffiti e à street art, a GAU – Galeria de Arte Urbana tem vindo a afirmar-se como a principal plataforma de atuação do município nestes universos plásticos que hoje se manifestam transversalmente, no espaço público das cidades globalizadas.

A apresentação de Street Art Lisbon 2 acontece já no próximo dia 10 de fevereiro pelas 18h30 no espaço Mu Workspace Lisboa.

 

Caraterísticas do livro Street Art Lisbon 2

Formatação: 170 x 110 | 208 páginas | Capa mole com bandana completa

Edição: Zest - Books for life

Preço: 11,00€

 

The Pretenders… Digressão Mundial da banda passa pela 14ª Edição do EDPCOOLJAZZ

Chrissie Hynde e a sua banda vão estar em Portugal para este concerto único no EDPCOOLJAZZ e vão fazer desta noite uma das mais marcantes desta 14ª Edição ao proporcionarem ao público do festival alguns dos seus melhores hits como “Back on the Chain Gang” ou “Don’t Get Me Wrong” juntamente com os temas do novo álbum “Alone”, que será uma estreia em palcos nacionais.

Promophoto2

photo: Naomi Jellicoe

 

Alone” é a mais recente produção discográfica da banda e o primeiro a ser produzido nestes últimos oito anos. Chrissie Hynde gravou o álbum, em Nashville, com a produção de Dan Auerbach, o multi-instrumentista e mais conhecido como guitarrista e vocalista da banda americana de blues e rock The Black Keys. Neste novo trabalho dos Pretenders, Dan Auerbach assume o papel de produtor e multi-instrumentista do disco, que já é considerado um êxito perante a crítica, e um dos melhores trabalhos de sempre.

O novo álbum da banda conta também com Dave Roe (ex-baixista de Johnny Cash) e Kenny Vaughan (guitarra), além de membros do projeto The Arcs, de Auerbach: Richard Swift (bateria), Leon Michels (teclado) e Russ Pahl (pedal steel). De sublinhar ainda a participação do lendário guitarrita norte-americano Duane Eddy, que toca uma das faixas do novo disco “Never Be Together”.

O EDPCOOLJAZZ vai receber esta banda mítica formada no final da década de 70, com Chrissie Hynde, a cantora, guitarrista e compositora norte-americana ao comando. Na altura, Chrissie formou a banda com Pete Farndon (baixo), James Honeyman-Scott (vocais, teclados e guitarra) e Martin Chambers (bateria), e alguns dos seus álbuns tornaram-se autênticos clássicos do rock, tais como “Pretenders” (1980) ou “Learning to Crawl” (1984).

 

Uma banda incontornável e intemporal do panorama mundial da música e que marcou gerações com os seus êxitos mais aclamados pela crítica como  “Packed!” (1990), “Last of the Independents” (1994), do qual fez parte a balada "I'll Stand by You", e “Viva el Amor” (1999) e um registo acústico ao vivo, “Isle of View” (1995), que contou com o acompanhamento do Duke String Quarteie, um conjunto de inspiração clássica, Damon Albarn dos Blur nas teclas e o percussionista Mark Smith.

Falta apenas uma semana para a estreia de “As Cinquenta Sombras Mais Negras”

A espera está quase a chegar ao fim! Na próxima semana, no dia 9 de fevereiro, chega finalmente às salas de cinema a sequela “As Cinquenta Sombras Mais Negras” (“Fifty Shades Darker” no título original), um dos filmes mais aguardados da temporada e que está a criar um grande entusiasmo em todo o mundo. Apenas um dia depois da estreia do filme, chega às lojas a banda sonora de “As Cinquenta Sombras Mais Negras”, que já está disponível em regime pré-venda.

fiftyshades_cover

A banda sonora é apresentada pelo single “I Don’t Wanna Live Forever (Fifty Shades Darker)”, das superestrelas mundiais ZAYN | Taylor Swift, cujo vídeo oficial já ultrapassou as 16,8 milhões de visualizações no YouTube, tendo merecido grandes destaques em publicações como Billboard, Entertainment Weekly, Time, Fader, Teen Vogue, Rolling Stone, Pitchfork, entre outras.

Pedro Mexia, Daniel Jonas e Maria Fernandes na 7ª edição do Festival Literário da Madeira (FLM)

FLM junta três poetas, Pedro Mexia, Daniel Jonas e Maria Fernandes, numa conversa moderada pela jornalista Susana de Figueiredo. Estes autores juntam-se aos já anunciados Svetlana Alexievich, Pepetela, Ondjaki, Valter Hugo Mãe e Marcelino Freire.

bigImg

O momento musical desta 7ª edição será marcado pela voz singular de Teresa Salgueiro. “Literatura e a Web – entre o medo e a liberdade” é o tema para uma semana de encontros, debates, concertos, sessões de autógrafos, entre muitos outros momentos que o evento proporciona em vários pontos da ilha, de 14 a 18 de Março.

Festa do Chocolate volta a adoçar corações em Matosinhos

“E derrete-se, que deus me perdoe, derrete-se lentamente na língua e tortura-te de prazer”… a frase, para quem não se lembre, pertence ao filme “Chocolate”, de Lasse Hallström, e talvez ajude a explicar a ancestral associação entre o chocolate e o amor. Com o dia de São Valentim aí a chegar, a Festa do Chocolate de Matosinhos volta, por isso, a abrir portas já no próximo sábado, 4 de fevereiro, para garantir que não falta cacau, doçura e prazer aos apaixonados.

16143066_1398978893498252_3642336338402858106_n

O certame, instalado, como é hábito, no Parque Basílio Teles, diante dos paços do concelho, conta este ano com 22 expositores e oferece delícias tão tentadoras como os brigadeiros, as bombocas, os bombons, os brownies ou o pão-de-ló de chocolate, para além, claro, das simples tabletes de marcas tão conhecidas como a Nestlé, a Avianense ou a Leonidas. Não faltará, por isso, doçura a Matosinhos nos dias que aí vêm, com as portas da festa abertas até dia 19 de fevereiro (entre as 12 e as 23 horas, nos dias úteis, e entre as 11 e as 23 horas ao fim-de-semana).

 

Coorganizada pela Câmara Municipal de Matosinhos e pela Andarte, a Festa do Chocolate tem entrada gratuita e permite adquirir e degustar uma grande quantidade de iguarias doces. Para além disso, a iniciativa contará também com workshops dedicados aos mais pequenos e com várias sessões de showcooking dinamizadas por profissionais da Escola de Hotelaria e Turismo do Porto.

 

Jardim Basílio Teles (Matosinhos)

De 4 a 19 de fevereiro 2017