Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Sean Paul é a primeira confirmação para o Sumol Summer Fest 2017

O Sumol Summer Fest regressa à Ericeira nos dias 30 de junho e 1 de julho, mesmo a tempo de celebrar o início do verão e das férias, junto à praia, com a melhor música. E o primeiro cabeça de cartaz confirmado não podia combinar melhor com estes atributos: Sean Paul atuará no Palco Sumol no dia 1 de julho.

Sean_Paul_Promo_2

A família do avô emigrou de Portugal, a avó paterna era afro-caribenha e a mãe tem origem inglesa e chinesa… Esta ascendência tinha de resultar numa música eclética, festiva e virada para o mundo. A fama de Sean Paul à escala global chega com o disco “Dutty Rock”, editado em 2002, e graças a singles tão poderosos como “Gimme the Light” e “Get Busy”, canções que alcançaram o Top 100 da Billboard Hot e puseram toda a gente a dançar no início do século XXI. “Dutty Rock” vendeu seis milhões de cópias e ganhou um Grammy. Mas os sucessos não ficaram por aqui. Em 2005 editou “The Trinity” e com ele alcançou mais quatro milhões de discos vendidos e um American Music Award na categoria de melhor artista Pop/Rock Masculino.

 

Tem no currículo duetos com 50 Cent, Rihanna ou Beyoncé. Com a cantora britânica Dua Lipa gravou o novíssimo single “No Lie”, cujo vídeo conta com mais de 40 milhões de visualizações no YouTube em apenas um mês, e que deixa já antever o que vamos poder encontrar no novo álbum de Sean Paul: em 2017, promete manter essa tendência de sucesso, celebração e grandes momentos de partilha e que estão garantidos para os seus fãs no dia 1 de julho, no Sumol Summer Fest.

 

Com uma localização de excelência, num cenário de praia na emblemática vila da Ericeira e toda a mística associada à meca do surf, o Sumol Summer Fest convida a desfrutar de um fim-de-semana inesquecível num dos melhores parques de campismo do país - o Ericeira Camping.

 

Snarky Puppy regressam a Portugal com mais um Grammy

Colectivo de 40 músicos radicado em Brooklyn, Nova Iorque, mas com origem no Texas, os Snarky Puppy são vistos pelo seu líder e baixista, Michael League, como “uma banda pop, sem vozes, que adora improvisar”, embora estejam sobretudo associados a um jazz de pendor fusionista.

carousel1.jpgCom mais de uma década de existência, deram concertos um pouco por todo o mundo e tocaram ao lado de celebridades como Erykah Badu, Marcus Miller, Justin Timberlake, Roy Hargrove ou Snoop Dogg. A Portugal vêm apresentar "Culcha Vulcha", o seu último álbum, e primeiro de estúdio em oito anos, que mal foi lançado saltou para o top de várias tabelas de discos de jazz.

O colectivo Snarky Puppy, passou de "Best Kept Secret" para uma das bandas mundiais mais requisitadas da música instrumental, funk, freejazz e R&B da actualidade.

 

Casa da Música (Porto)

26 de abril 2017 | 21.30h

 

LX Factory (Lisboa)

27 de abril 2017 | 21.30h

Spoon chegam ao Palco Heineken do NOS Alive’17

Spoon, uma das bandas mais distintas e criativas do indie rock, são a mais recente confirmação para o NOS Alive’17. A banda de Austin, Texas, atua dia 8 de julho no Palco Heineken, mesmo dia e palco dos já anunciados Cage The Elephant.

Spoon_by_Zackery_Michael_2-HI-RES

Conhecidos pelas suas produções arrojadas e arranjos experimentais, os Spoon têm uma sólida carreira de 24 anos, com oito discos de estúdio - o último, “They Want My Soul”, foi considerado o 9.º melhor disco de 2014 para a Pitchfork - e um novo a caminho, “Hot Thoughts”, com data de edição agendada para dia 17 de março.

Tidos como “perfeitos” para a Rolling Stone e com uma “carreira imaculada” para a Pitchfork, os Spoon construíram uma carreira assente em fortes elogios da imprensa especializada e o apoio incondicional de uma grande base de fãs.

Os Spoon são Britt Daniel (voz e guitarra), Jim Eno (bateria), Rob Pope (baixo, guitarra, teclados e voz) e Alex Fischel (teclados e guitarra).

Red Bull Music Academy apresenta Mutual, Romare e Twofold

No dia 17 de Fevereiro há passagem obrigatória pelo Musicbox Lisboa para numa noite desenhada pela Red Bull Music Academy para abastecer a alma de referências electrónicas.

bb1be7d8-f033-424f-82df-48b224d3eb78

Archie Fairhurst, nasceu em Londres antes de nascer como ROMARE. Nome que foi inspirado no artista e autor afro-americano Romare Bearden. Estudou Cultura Visual Afro-americana e seria de esperar que isso se visse no que faz, mas no caso de Romare ouve-se, muito, claramente. O tempo marca-se com percussão que tanto é meditativa como, de repente, frenética. House, sonoridades jazz e às vezes disco.

 

TWOFOLD veio de Londres para Lisboa e aí vive desde 2009. Não é a primeira vez que está no Musicbox nem é a primeira vez que é convidado da família Red Bull Music Academy (em 2014, esteve no Boiler Room de Lisboa). Mas a novidade de Twofold está impregnada na música e na sua particular combinação rítmica, hipnótica e underground.

 

Bastava dizer que trabalham com a editora Hush Hush Records do DJ da KEXP, Alex Ruder, mas queremos conhecer melhor os MUTUAL. São portugueses e “After Finitude” é o EP que sucede à distorcida selva ambiental de A1017. É feito de samples que alternam entre a nostalgia e um ritmo urbano denso, mas fresco. No dia 17 de Fevereiro abrem a noite Red Bull Music Academy no Musicbox em formato live..

 

Musicbox (Lisboa)

17 de fevereiro 2017 | 00.30h

Killimanjaro + Black Bombaim no Musicbox

Killimanjaro… Auto definem-se como Búfalos a galope, sem destino algum, apenas o de estremecer aqueles por quem passam. Só lhes interessa o palco, como a savana onde o búfalo se alimenta, para continuar a galopar.

Captura-de-ecrã-2017-01-23-às-16.43.07

Depois de “Hook”, lançado em 2014, trazem um novo EP, lançado pela Lovers & Lollypops em 2016.

 

Black Bombaim. O trio que vem de Barcelos, conhecidos pelo rock psicadélico e sem medos do experimentalismo. Apresentou-se em mundo em 2009 e desde então vem construindo um sólido percurso, extrapolando fronteiras – geográficas e musicais.

 

Musicbox (Lisboa)

18 de Fevereiro 2017 | 21.00h

Capicua… Agua e Sal no Teatro Aveirense

Espetáculo original de palavra dita com textos de vários autores, resultado de uma encomenda do Teatro Municipal São Luiz, selecionados e adaptados por Capicua para declamar em base musical composta por Pedro Geraldes. A temática do concerto gira em torno da presença da água nos quotidianos e na forma como as suas diferentes dimensões (mar, rio, chuva, névoa, etc.) influenciam a nossa vida individual e os espaços coletivos. 

image.aspx

A base musical é uma mistura de ambientes densos e texturados, criados a partir de uma linguagem eletrónica, com guitarras tocadas ao vivo. Criam-se ambientes etéreos e introspetivos, pontuados por momentos mais rítmicos e vigorosos, sempre em diálogo com a emoção das palavras e com a intimidade da voz. 

É ainda convidado o artista plástico João Alexandrino aka JAS que faz desenhos na areia, em tempo real para projetar no palco

 

Teatro Aveirense (Aveiro)

17 de fevereiro 2017 | 21.30h

The Beatles “Eight Days a Week - The Touring Years” conquista um Grammy

O aclamado documentário do oscarizado cineasta Ron Howard, “The Beatles: Eight Days A Week – The Touring Years”, venceu o Grammy para Melhor Filme de Música no passado domingo. Nomeado ao lado de “Lemonade”, de Beyoncé, “The Music of Strangers”, de Yo-Yo Ma & The Silk Road Ensemble, “I’ll Sleep When I’m Dead”, de Steve Aoki, e “Saturday Night Live: Live from the Grand Ole Opry”, “The Beatles: Eight Days A Week – The Touring Years” conquistou o Grammy perante uma competição renhida numa das cerimónias mais emblemáticas da indústria musical.

Beatles_HWB_Cover_RGB

Nigel Sinclair, Brian Grazer e Scott Pascucci afirmaram: “Estamos muito contentes por vencer este prémio. Este projeto foi uma grande aventura e fomos abençoados por termos contado com a liderança do Ron para nos guiar. Juntamo-nos ao Ron no agradecimento à Academia Discográfica por este prémio, que tem um significado enorme para o grande número de pessoas que trabalhou no filme. Agradecemos ao Jeff Jones e à equipa da Apple Corps por todo o apoio e, claro, aos Beatles por nos confiarem a sua história incrível.”

 

O filme, que tem imagens de arquivo raras e exclusivas, foi produzido em total cooperação com Paul McCartney, Ringo Starr, Yoko Ono Lennon e Olivia Harrison. Nigel Sinclair, Brian Grazer e Scott Pascucci produziram este premiado documentário com Ron Howard. Jeff Jones e Jonathan Clyde, da Apple Corps, são os produtores executivos, em parceria com Michael Rosenberg, Guy East e Nicholas Ferrall. O premiado montador Paul Crowder também trabalhou no filme com o seu colaborador de longa data, o argumentista Mark Monroe. Marc Ambrose é o produtor de supervisão.

 

O documentário é baseado na primeira fase da carreira dos Beatles (1962-1966), período em que andaram em digressão e foram aclamados por todo o mundo. O filme de Ron Howard explora como John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr se juntaram e se tornaram neste fenómeno extraordinários: The Beatles. O filme explora como o grupo tomou várias decisões, criaram a sua música e construíram uma carreira coletiva em conjunto, ao mesmo tempo que aborda os talentos únicos da banda e as suas personalidades muito peculiares. O filme vai desde os dias em que os Beatles atuavam no The Cavern Club, em Liverpool, até ao último concerto no Candlestick Park, em São Francisco, em 1966.

Mais respeito que sou tua mãe…

A mãe de família e dona de casa mais desesperada da Baixa da Banheira e de Portugal está de volta nesta nova versão de Mais respeito que sou tua mãe. Esmeralda Bartolomeu continua a sua luta pela sobrevivência no caos de um seio familiar onde tem de lidar com um marido desempregado que só tem apego a futebol; um sogro de 80 anos tão ou mais adicto à marijuana que o seu filho mais novo; uma filha adolescente com um comportamento sexual mais desenvolvido (e desenvolto) que o seu; e um filho mais velho que é gay, e depois deixa de ser… e depois volta a ser… e depois deixa de ser outra vez!

Newsletter_Mais_Respeito

O aguardado regresso de Mais respeito que sou tua mãe, assinala os 30 anos de carreira de Joaquim Monchique que veste a pele de Esmeralda Bartolomeu e assina, também, a encenação e adaptação de uma das peças de maior sucesso na Argentina, de autoria de Hernán Casciari. Aquando da sua estreia em 2010, Mais respeito que sou tua mãe, foi um êxito de bilheteira em Portugal e foi visto por mais de 35 mil espectadores.

 

Texto: Hernán Casciari 

Encenação e Adaptação: Joaquim Monchique

Cenografia: Joaquim Monchique e Rui Filipe Lopes

Desenho de Luz: Luís Duarte

Assistente de Encenação: Ana Brito e Cunha

Produção: Força de Produção

Interpretação: Joaquim Monchique, Luís Mascarenhas, Joel Branco, Tiago aldeia, Rita Tristão da Silva, Rui Andrade, Diogo Mesquita, Bruna Andrade e Leonor Biscaia

 

Auditório dos Oceanos / Casino Lisboa

A partir de 29 de Março | 5ª a sábado às 21h30 e Domingo às 16h30

Ronda dos Quatro Caminhos lança novo álbum

A Ronda dos Quatro Caminhos, lança "Sopas do Espírito Santo", um novo trabalho dedicado à música tradicional dos Açores, com edição da Ocarina. É o 14º disco da carreira da Ronda, na continuação das últimas grandes produções editoriais - Terra de Abrigo e Tierra Alantre.

O disco foi composto e pensado com base na Orquestra Regional Lira Açoriana, uma orquestra de instrumentos de sopro e percussão, que integra jovens músicos das Bandas Filarmónicas das várias Ilhas e que participa em todos os temas, todos eles populares, com orquestrações dos músicos da Ronda. Além da Orquestra, participam no disco vários Coros Polifónicos e músicos populares e eruditos de todas as Ilhas do Arquipélago, num total de mais de 300 músicos e cantores

8044fe02-2242-4faf-927a-22505cb8e614

Neste trabalho, a música regional dos Açores é vista sob a perspectiva das Bandas Filarmónicas e da harmonia coral religiosa e pagã. As Bandas Filarmónicas têm um papel de grande relevo e destaque na vida comunitária dos Açores, quer pela formação musical que proporcionam à juventude, quer pela participação nas festividades religiosas e populares. O mesmo acontece com os Coros Polifónicos, geralmente ligados à celebração litúrgica, mas também com um repertório clássico e popular, tendo-lhes sido dada neste trabalho, a par com a Orquestra, a relevância que na verdade têm e certamente merecem.

Depois a “Viola da Terra”, com as suas variações e diferentes maneiras de tocar,  certamente o instrumento mais representativo da tradição popular, participa por direito próprio neste disco.

Problema maior foi em relação aos vários grupos e formações de danças e cantares populares, guardiães maiores do cancioneiro popular, dos cantadores dos vários estilos e canções populares, dos tocadores de instrumentos também relevantes na música tradicional, como o violino, o bandolim, o violão, etc., que pessoas e agrupamentos convidar, numa terra de brilhantes músicos e instrumentistas?

Já sobre o repertório, como escolher uma dúzia de cantigas numa terra onde se respira música popular e com um cancioneiro tradicional tão vasto e variado? A escolha foi assim, como certamente podería ter sido outra dúzia diferente e mais outra e outra.

Almanaque - Design Português em Revista na Casa do Design

Depois de BURILADA | arte-factos para a sobrevivência, a Casa do Design de Matosinhos inaugura na quinta-feira, pelas 17 horas, a mostra Almanaque - Design Português em Revista, que passará a ocupar o espaço dedicado à exposição permanente. Constituída por revistas da Coleção de José Bártolo, Almanaque permite recompor a história do design gráfico, da ilustração e da tipografia em Portugal.

Almanaque

Dando continuidade a uma programação especialmente centrada no design português, aquele que é atualmente o único grande espaço de exposição dedicado ao design em Portugal, inaugurado no ano passado, reúne agora um vasto conjunto de revistas de diferentes épocas, permitindo uma viagem pelos estilos, modas, correntes, ideias e autores. Almanaque mostra, assim, cerca de 150 anos de design gráfico em Portugal, iluminando-o sob diferentes perspetivas. Permite uma visão panorâmica sobre a história das ideias, das correntes estéticas, das transformações tecnológicas e sociais, estimulando também a observação de pormenor e a análise autoral.

 

“Uma história do design não pode ser dissociada de uma história cultural - dos meios técnicos, das correntes artísticas, do contexto político ou económico - que, na sua liberdade ou condicionadas pela censura, com carácter de vanguarda ou defendendo valores instalados, as revistas acabam por espelhar”, considera José Bártolo.

O colecionador, recorde-se, coordenou recentemente as coleções Designers Portugueses (2016), Almanaque Português (2015) e Design Português (2015), distribuídas com o jornal Público.

 

Casa do Design (Matosinhos)

Inauguração: 16 de Fevereiro 2017 | 17.00h

Riding Panico com novo disco em Março

"Rabo de Cavalo" chega ao mercado na segunda quinzena de Março e marca o regresso do colectivo às edições de originais. Gravado, misturado e masterizado no HAUS estúdio, o novo registo constrói-se em torno de oito temas que reafirmam o espaço de culto que os Riding Panico assumiram no rock instrumental nacional.

71843976-464b-4179-9eb6-e1e0cc1ff011

Os Riding Pânico são Fabio Jevelim (PAUS), João Nogueira (Cruzes Credo), Makoto Yagyu (PAUS), Miguel Abelaira (Quelle Dead Gazelle), Shela e Zé Penacho (Marvel Lima).

O concerto de apresentação de "Rabo de Cavalo" acontece a 16 de Março no Musicbox em Lisboa.

Celebrando 10 anos da Discotexas, Moullinex, Xinobi, Throes + The Shine e Da Chick vão atravessar o Atlântico

A tour Norte-Americana de Moullinex continua com dois elementos da família: Xinobi e Da Chick vão acompanhar o músico e produtor pelos estados unidos em 5 datas em Los Angeles, São Francisco, Nova York e Washington.

657aefb4-1deb-46db-a3fe-ce70876cc88a

Moullinex está de volta às edições e concertos em 2017, com o lançamento de uma nova música com mira bem apontada à pista de dança. E se “Open House” é indicativa da direcção do seu novo álbum, a sair já este ano, então podem estar certos: o caminho para o novo álbum é para ser percorrido a dançar.

 

2017 marca também os 10 (dez) anos da Discotexas, editora criada por Moullinex e Xinobi. Para além do lançamento dos novos álbuns de ambos há muitas outras edições previstas para a celebração desta efeméride.

 

15 de Março - Austin TX - SXSW

16 de Março - Los Angeles - The Echo

17 de Março - São Francisco - Neck of the Woods

18 de Março - Nova York - Baby's All Right (com participação especial de GPU Panic)

20 de Março -Washington - Songbird Music House