Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Puro Fun no Musicbox… Cocaine Piss / Sun Blossoms

Os Cocaine Piss são belgas. Andam a varrer a Europa com noise-punk. Na bagagem contam com o disco “The Dancer” produzido por uma lenda do grunge de Chicago: Steve Albini (Shellac).

Um concerto poderoso, alta velocidade, agressivo, eficaz e com alguma dose de doçura... “a maniacal live show that will astound you.”

16463157_10155414552197662_4962647395724839021_o

A primeira parte é dos nacionais Sun Blossoms. Um dos novos putos maravilha da canção lo-fi. Gravações caseiras, em fita, com alma de garagem. Guitarras ondulantes, introspectivas, onde bate sol e sombra. Consigo, Chaby (Mighty Sands) e Luís (Alek Rein) a mostrar novas canções de disco a caminho.

 

Musicbox (Lisboa)

2 de março 2017 | 22.00h

Lucky Chops ao vivo em Portugal...

Os Lucky Chops combinam a improvável condição de serem um fenómeno da internet e uma proposta bastante real que ergueu a sua carreira a tocar regularmente para um dos mais exigentes públicos do mundo: os passageiros do metro de Nova Iorque.

Esta Brass Band de 6 elementos combina um reportório fresco e variado (de "Dança Kuduro" a "Eye of the Tiger" vale tudo) com uma disposição divertida, coreografias dinâmicas e uma energia imparável que faz parar até o transeunte mais apressado.

15128965_10153952965506976_7817867193242876030_o

Foi quando um turista sul-americano colocou nas redes sociais um vídeo gravado com o telefone no metro de Nova Iorque que os Lucky Chops foram catapultados para a ribalta: o vídeo tornou-se viral e rapidamente o sexteto viu-se programado para vários clubes da Grande Maçã embarcando depois numa muito bem sucedida digressão europeia em 2015, com paragens longas em França e na Dinamarca, sempre com aplausos arrebatados de audiências que nem acreditam no que ouvem quando eles começam a tocar.

Hoje, os Lucky Chops coleccionam mais de 40 milhões de visualizações, uma temporada como banda residente no popular programa da MTV "Girl Code Live" e o reconhecimento de cada pessoa com quem já se cruzaram. No metro ou numa qualquer sala de concertos!

 

Lisboa ao Vivo (Lisboa)

3 de março 2017 | 22.00h

 

Casa da Música / Sala 2 (Porto)

4 de março 2017 | 22.00h

Modalisboa apresenta… Fast Talks

O tema da próxima edição das Fast TalksSustentabilidade na Moda: porquê e como?” foca o processo de produção e o consumo massificado da indústria da moda como causas de diversos problemas, tanto a nível ambiental como ético. É um dever de todos nós, intervenientes nesta indústria, enquanto consumidores, promotores ou criadores, informar, promover e indicar caminhos que sejam éticos e sustentáveis e permitam um consumo consciente de moda, tendo os nossos valores e o nosso futuro garantidos.

untitled-3

Moderadora: Joana Bairros

 

Oradores:

Brigitte Stepputtis  - Head of Couture at Vivienne Westwood

Brooke Blashill - Senior Vice President, Director of The Boutique Ogilvy & Mather

Carry Somers – Founder and Global Operations Director Fashion Revolution

Lara Vidreiro – Co-founder Chic by Choice

Mário Jorge Silva – CEO Tintex

Marko Matysik – Creative Director, Illustrator, Writer and Contributing Editor for Vogue Japan and Vogue China

Patrick Duffy  - Founder Global Fashion Exchange

 

Centro Cultural de Belém / Sala Luís de Freitas Branco (Lisboa)

9 de Março 2017 | 18.00h

Señoritas em estreia no Teatro Diogo Bernardes…

No próximo sábado, 4 de Março, o projecto musical português Señoritas – Mitó Mendes (A Naifa) e Sandra Baptista (A Naifa / Sitiados), subirá ao palco do Teatro Diogo Bernardes em Ponte de Lima. “Acho que é meu dever não gostar" é o disco de estreia das Señoritas, um dos mais recentes projectos da nova música portuguesa.

senoritas_mupi_

Em 2015, as Señoritas criam uma nova identidade, partilhando o gosto comum de ensaiar, compor e tocar juntas. Desta vontade, nasceram um conjunto de canções que querem partilhar com o público. São canções que giram em torno de um universo feminino, tendencialmente urbano. Com uma atmosfera densa, feminina e bem portuguesa, numa abordagem singular, canta-se a vida, mas de uma forma crua e directa. As músicas, todas originais, são da autoria da própria banda e as excepções estão enquadradas no mesmo imaginário.

Uma voz, uma guitarra, um baixo e um acordeão, este novo projecto, minimalista, é suportado por sets de programações que realçam a crueza e nudez da linguagem musical.

 

Teatro Diogo Bernardes (Ponte de Lima)

4 de Março 2017 | 22.00h

Gobi Bear e Toulouse apresentam novos trabalhos no Café Concerto do CCVF

O Café Concerto do Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, apresenta, desde o início do ano, um ciclo de concertos, “SOM de GMR”, que tem trazido músicos e bandas da região. Uma mostra de 7 projetos que decorre até Maio, com o objetivo de registar um período de criação particularmente fértil em Guimarães. Em março, dois projetos aterram no palco do Café Concerto do CCVF. Esta sexta-feira, dia 3, Gobi Bear interpreta músicas do seu mais recente trabalho e, no dia 17, é a vez dos Toulouse apresentarem o primeiro álbum da banda.

Os concertos têm início à meia-noite e são precedidos, às 19h00, por conversas informais com os artistas, com moderação do jornalista Samuel Silva.

Gobi Bear_Direitos Reservados

Gobi Bear chega ao Café Concerto do CCVF com um novo trabalho, depois de um período de hibernação. Diogo Alves Pinto é o vimaranense que se esconde por detrás do Urso. Depois de seis discos lançados entre 2011 e 2014, o Urso hibernou. Acorda, agora, com cinco temas novos que anunciam o esperado segundo longa duração, que chega em 2017. Estas cinco músicas representam o seu primeiro disco homónimo. A sua cara. E fazem-no tão bem. Ouve-se a escrita madura, a guitarra bucólica, a voz meiga e os arranjos íntimos que refletem a experiência deste músico de 25 anos. Quando nos entregamos ao som de Gobi Bear desligamos do mundo e partimos para as paisagens recônditas que ele nos pinta enquanto canta. É delicioso e, ao vivo, o Urso camufla-se na sua arte e deixa o público em viagem, de olhos fechados, pelos labirintos mágicos das suas canções.

Toulouse_Direitos Reservados

No dia 17 de março, o Café Concerto do CCVF acolhe uma nova atuação, desta vez com os Toulouse como protagonistas, que aqui apresentam o seu mais recente álbum, “Yuhng”. Lançado no final de 2016, “Yuhng” é um statement: mais do que o desabrochar óbvio da banda, é a prova do talento inato para a pop que começa na melodia e acaba no coração. Os Toulouse sempre tiveram queda para a pintura, para a viagem e para o etéreo — nesta amálgama, existem entre a canção pop, doce, e as cores vivas dos efeitos de imbuir guitarra em açúcar. O quarteto de Guimarães editou a cassete de estreia, “Juice”, em 2015, preparando terreno para a seleção dos pantones com que iriam colorir os próximos passos, dos quais desabrocha o primeiro álbum “Yuhng”, um registo sonhador, enérgico, com um travo naïve.

 

No âmbito deste ciclo de concertos, o CCVF acolherá, num futuro próximo, os concertos de Lince (8 de abril), El Rupe (28 abril), Paraguaii (5 de maio) e Hot Air Balloon (19 maio), trazendo a palco uma série de músicos da região que se destacam no cenário musical nacional.

 

photos: Direitos Reservados

Diana Martinez & The Crib anuncia álbum “How We Do It”

Diana Martinez tem mostrado como se faz com os hits “That’s Just How We Do It”, “Reverie”, “Put Your Love In Me (feat. The Black Mamba)” e a sua interpretação do tema “We Are The Ones (We Trust)”, agora anuncia o álbum de estreia e as primeiras datas de apresentação ao vivo.

Capa_Álbum

“How We Do It” chega às lojas a 10 de março, uma edição da Primeira Linha com o apoio da Sony Music Entertainment. O álbum de estreia de Diana Martinez & The Crib foi produzido e misturado por João André e masterizado por Mário Barreiros entre os Soundhill Studios, Cabriolet Music Studio, Boom Studios e Estúdios Sá da Bandeira. O disco conta ainda com colaborações tão variadas de André Tentúgal (WeTrust) ou Pedro Tatanka (The Black Mamba) ao Coro Infantil da Academia de Música de Vilar do Paraíso.

Do disco de estreia, Diana Martinez adianta que “podemos adivinhar melodias cativantes, ritmos marcantes e letras sem filtro que relatam as principais preocupações e inseguranças da minha geração”. Entre spoken word, beatbox e grandes amplitudes vocais, Diana defende a expressão da autenticidade de cada um. Nas letras aborda questões como a liberdade sexual e as fragilidades emocionais que todos tentamos esconder.

Diana Martinez & The Crib nasce da verdadeira paixão da artista e do produtor João André pelo R&B e as grandes canções. Depois de um período a estudar Jazz na ESMAE, Diana optou por uma formação no Complete Vocal Institute (Copenhaga), que lhe deu a confiança para se mostrar também como compositora, ainda que as suas músicas sejam feitas sem recurso a nenhum instrumento, apenas com a sua voz. Apesar de muito jovem, Diana Martinez já colaborou com Orelha Negra, Pedro Abrunhosa, Agir, The Black Mamba, Valete, We Trust e Souls of Fire.

Os concertos de apresentação de “How We Do It” começam já no dia 10 de março no Theatro Circo em Braga, seguindo-se no dia 30 no Cineteatro Alba em Albergaria-a-Velha. Logo depois a Casa da Música no Porto a 6 de abril e C.C. Olga Cadaval, Sintra, no dia 16 de junho.

OqueStrada celebram 15 anos no Titanic Sur Mer

Num regresso às origens, à sua Lisboa, aos pequenos clubes que abraçam o público, os OqueStrada convidam todos a marcar presença nas quintas feiras de março, dias 9, 16, 23 e 30 no Titanic Sur Mer ao Cais do Sodré , naquela que vai ser a primeira iniciativa para comemorar os 15 anos de estrada e que culminará no final do ano com a edição do seu quarto registo de originais .

16995992_10154316938446592_3244806357901465822_n

Marta Miranda, cantora e líder dos OqueStrada, diz: “regressar às nossas origens, à nossa Lisboa, aos pequenos clubes vai ser muito especial. Estes concertos serão realmente únicos, em cada qual haverá diferentes momentos irrepetíveis tanto pelas cenas que vamos criar para cada concerto individualmente" como pelos convidados, artistas de enorme talento alguns ainda desconhecidos do grande público.

 

Titanic Sur Mer (Lisboa)

9, 16, 23 e 30 de Março 2017

Crying Lobster editam single de estreia... “Starry Night”

É das cordas vocais de Duarte Cadete Inácio, e das promissoras mentes e dedos de João Costa, Rafael Burguete e João Henriques, que nos chega a mais recente aposta nacional da Music For All. Sob o nome Crying Lobster, este é um projecto de rock onde existe espaço para a riqueza do jazz, para a alma do funk e para a irreverência do stoner e do punk.

Digital_new

A estreia acontece ao ritmo de “Starry Night”, poderoso single que apresenta o quarteto ao público nacional. Para o Verão está marcado o lançamento do primeiro EP, ainda sem título. No início havia o nada. E do nada surgiu a Lagosta. Das suas lágrimas floresceu o Universo, dando assim início a uma jornada tão longa quanto a mais antiga das estrelas. Crying Lobster não é um mero projecto musical. naquela que marcará a estreia do colectivo lisboeta.

É uma irmandade composta sob a égide da criatividade musical e da diversidade sonora dos seus quatro elementos. Duarte Cadete Inácio (voz), João Costa (guitarra), Rafael Burguete (bateria) e João Henriques (baixo) são os protagonistas desta aventura maior do que a vida. Navegando nas profícuas águas do rock, jazz, funk, stoner e punk preparam-se, finalmente, para editar o EP de estreia.

O single “Starry Night” serve, assim, de antecipação ao novíssimo EP mas também de celebração do segundo aniversário da Lagosta. Tudo isto apenas se tornará realidade graças ao selo da Music For All.

Mourah com novo single... “No Sour Day”

Filho de dois melómanos, Mourah nasce em Cascais (Lisboa) e cresce em Genebra.

Cedo desperta para a música, cresce a ouvir Jazz e música clássica, dois dos estilos prediletos dos seus pais. Aos 10 anos começa com aulas de música no conservatório. Pré adolescente ele explora o funk (com o Prince como referencia máxima) e o trip-hop, estilo então no auge.

Mourah_still04_©Mei_Fa_Tan

O Mourah sempre procura a liberdade... uma mistura medida entres vários estilos que lhe permite evitar etiquetas o classifcações num estilo rígido. Após o sucesso critico do mais recente disco, “Kardia” (Mole /Listening Pearls), vence um prémio Swiss Live Talents Awards e obtém quatro nomeações no IPMA 2016 em Nova-Iorque. “No Sour Day” é o 3° e ultimo single extraido do album. Mourah trabalha atualmente no próximo álbum, “Silk Armour”, com lançamento previsto para Outubro 2017.

 

Mafalda Veiga ao vivo… apresenta "Praia

Mafalda Veiga apresenta o seu mais recente trabalho, "Praia" ao vivo em Lisboa e no Porto, respetivamente no Tivoli BBVA no dia 4 de março e na Casa da Música, na Sala Suggia, no dia 8 de março. “Praia” é também um espetáculo em que (quase) tudo se renova: nova banda, novo alinhamento, novas canções e novo projeto de luz, palco e som, num trabalho conjunto com a equipa de estrada, produção e técnica que conhece bem a artista e a acompanha de perto neste momento especial.

9aff0546-cc02-4704-87bb-3a56bd9e39ac

Já a partir destes concertos, "Praia" ao vivo, integra também um projeto de vídeo com pequenos filmes inéditos realizados pela artista. O disco novo é tocado na íntegra, mas o público pode também contar com as canções mais emblemáticas e incontornáveis da Mafalda Veiga. Estas também estão no alinhamento para estes dois concertos e para os demais que se seguirão ao longo de 2017, mas com arranjos que se aproximam da sonoridade deste mais recente trabalho.

 

Alguns dos músicos que gravaram o disco e que são de universos musicais como Orelha Negra e Zen, entre tantos outros, estão agora com Mafalda Veiga - voz, guitarra acústica, elétrica, melódica e teclado - também em palco.

São eles:

Fred – bateria e percussão

Marco Nunes – guitarra elétrica

Miguel Barros – baixo

Ricardo Riquier – guitarra elétrica, guitarra acústica e voz

Diogo de Almeida Ribeiro – piano, teclados, guitarra acústica, percussão e voz

 

Segundo Mafalda Veiga, “É um espetáculo mais “solto” e mais direto, com o mesmo conceito que definiu a produção do disco “Praia”, em que quero transportar para o palco a liberdade com que componho e ensaio. Essa atitude tem uma grande energia, e essa foi a intenção que me levou a convidar estes músicos que integram a minha nova banda. Neste espetáculo toco outros instrumentos para além da guitarra, tal como faço ao compor, e todos os músicos colaboram nesse sentido, de forma a criar ambientes que servem o que queremos transmitir em cada canção. O Diogo (piano) toca percussão ou guitarra nalguns temas, assim como o Riquier  (guitarra) tocará teclado noutros, e essa abertura torna o espetáculo mais orgânico e mais rico musicalmente.”

 

Teatro Tivoli BBVA (Lisboa)

4 de Março 2017 | 21.30h

 

Casa da Música (Porto)

8 de Março 2017 | 21.00h

SMSF Beja 2017… Alinhamento distribuído por dias

Rotten Sound fazem as honras de abertura, encabeçando o primeiro dia do SMSF Beja 2017. Krisiun são cabeças cartaz a 9 de Junho, e Exodus a 10. Cartaz fechado e altura de fazer últimos ajustes antes de se finalizarem as contas para a edição de 2017 do SMSF Beja, que decorre no Parque de Merendas da cidade alentejana de 8 a 10 de Junho.

untitled-2

Distribui-se por dias o alinhamento confirmado, que tem como nomes maiores Exodus, Krisiun, Orphaned Land, Mão Morta, Rotten Sound e Wolfbrigade:

 

Quinta-feira, 8 de Junho:

Rotten Sound

Trollfest

Hypothermia

Ranger

Clitgore

Noctem

Dokuga

Booze Abuser

Liber Mortis

 

Sexta-feira, 9 de Junho:

Krisiun

Mão Morta

Urfaust

King Dude

Misthyrming

Nadra

Process Of Guilt

Paulo Colaço

A Coruja

Reactive Lust

 

Sábado, 10 de Junho:

Exodus

Orphaned Land

Wolfbrigade

Fuse (Dealema)

Dread Sovereign

Malthusian

Ho-Chi-Minh

Rdb

Rancor

Tales For The Unspoken

Dark Embrace

 

O SMSF Beja 2017 decorre no Parque de Merendas da cidade alentejana de 8 a 10 de Junho

Luiz Caracol apresenta o novo álbum "Metade e Meia" em Concertos e nas FNACs

O álbum de Luiz Caracol, “Metade e Meia”, com edição marcada para dia 10 de Março pela Ampla Portugal, tem já um single a rodar nas rádios, “Por Acaso”.

Hoje é divulgado o segundo single, “Falhou na Dança".

2llotb0mpc7e

Ao vivo, o álbum está a ser apresentado em concertos e brevemente em showcases nas FNACs.

 

Tour "Metade e Meia":

4 Março 2017 - Casa da Artes (Famalicão)

10 Março 2017 - Cine Teatro João Mota (Sesimbra)

17 Março 2017 - Centro Cultural (Cuba)

30 Março 2017 - Conservatório de Música (Coimbra)

7 Abril 2017 - Teatro Miguel Franco (Leiria)

8 Abril 2017 - Teatro Mascarenhas Gregório (Silves)

17 Maio 2017 - Cineteatro António Lamoso (Feira)

25 Maio 2017 - Casa da Música (Porto)

26 Maio 2017 - Cinema S. Jorge (Lisboa)

 

Showcases Fnacs:

11 de Março 2017 - FNAC Colombo / 17h00

12 de Março 2017 - FNAC Almada / 17h00

31 de Março 2017 - FNAC Stª Catarina / 18h30

31 de Março 2017 - FNAC MarShopping / 22h00

1 de Abril 2017 - FNAC Gaia Shopping / 17h00

1 de Abril 2017 - FNAC Norte Shopping  / 22h00

 

 

Paraguaii editam segundo disco em Março…

"Dream About The Things you Never Do" é, assumidamente, o registo mais pop dos Paraguaii. São oito temas que propõem um jogo constante entre os universos mais dançantes da música electrónica, nascida ou devedora dos anos 80, e a genética rock do colectivo. Composto, gravado e produzido pela própria banda, o segundo registo de originais desconstrói a rotina dos dias, atacando o carácter mortífero do comodismo e do hábito ao mesmo tempo que se fala de mulheres fatais, sonhos e virgindades espirituais.

07bf2823-cca8-4ee3-846c-7a8fa7cf94a5

O primeiro single, “Straight or Gay", já está disponível para escuta. Com selo Sony/Blitz Records, o disco estará disponível a 31 de Março nas várias plataformas online. Com três anos de existência, os Paraguaii editaram um EP homónimo (2015) e "Scope" (2016), donde se extraíram os singles "Scope", "Godz" e "Alien Love", todos com excelente aceitação nas rádios nacionais.

 

"Dream About The Things You Never Do" será apresentado por todo o país ao longo dos próximos meses.

 

31 de Março 2017 - Casa Independente (Lisboa)

13 de Abril 2017 - Festival Walk & Dance (Freamunde)

28 de Abril 2017 - Casa das Artes (Famalicão)

5 de Maio 2017 - Centro Cultural Vila Flor (Guimarães)

12 de Maio 2017 – Roquivários (São Pedro do Sul)

13 de Maio 2017 – ACERT (Tondela)

 

Mais datas a anunciar em breve

ProfJam… Estreia Novo single "Matar o Game"

Ainda com "Xamã" a dar que falar, ProfJam acaba de estrear o novo single, "Matar o Game”. ProfJam volta a surpreender ao dar continuidade à afirmação estabelecida com o seu último single assumindo uma nova posição a nível musical, sendo já considerado uma referência a seguir em Portugal.

9d75ef2f-87ce-467f-a4d7-0157db9b1e4d

A mistura e masterização ficou a cargo da equipa da Think Music Records, produtora do próprio ProfJam, e conta com o instrumental de Dj Kronic. O tema será apresentado ao vivo em primeira mão já na próxima quinta-feira, dia 2 de Março, no Lux Frágil em Lisboa onde o artista atua na noite C.R.E.A.M de DJ Glue.

Durante os últimos dois meses, ProfJam tem estado em tour de norte a sul do país onde tem vindo a sensibilizar os jovens do ensino secundário para a prática do empreendedorismo num workshop promovido pelo Projeto 80 em parceria com o Moche. Há três anos atrás, ProfJam decidiu criar um novo universo no Hip-Hop nacional com “Big Banger Theory” e desde aí não tem parado. 2016 marcava o seu regresso com “Mixtakes”, marcado pelo sucesso do tema “Queq Queres” que conta com mais de meio milhão de visualizações.

 

Depois de estudar a lição em Londres no curso de produção musical, ProfJam voltou a Portugal no ano passado onde atualmente já conta com uma carreira ao vivo nos melhores palcos nacionais.

Noite Bazuuca… Cave Story

A passagem dos Cave Story por Braga vai acontecer no próximo sábado, dia 4 de março, no Sé La Vie. Logo após o concerto Bazuuca SS toma conta da pista de dança com muita animação e boa musica.

cda7963b-df5d-4c1b-a1e1-1e458e4c4d64

O percurso dos Cave Story ficou desde cedo definido, confundindo-se com as suas intenções bárbaras de avançar no panorama pop com a desenvoltura do post-punk e a energia incontível do indie rock: é em direcção à infame revolução em que dançar é condição inegociável. Editadas as primeiras aventuras discográficas em formato EP, o trio das Caldas da Rainha estreou-se no formato longa-duração com "West", registo onde desbravam refrães com a urgência do rock sem pôr de lado a doçura pop que nos agarra e envolve em electricidade.

 

Sé La Vie (Braga)

4 de Março 2017 | 22.30h

António Chainho mergulha o fado no cante alentejano

Guitarrista de génio e exceção, considerado um dos 50 músicos mais influentes da World Music pela revista Songlines, o mestre António Chainho já misturou o fado com a música de artistas tão icónicos como Paco de Lucia, José Carreras, KD Lang, Teresa Salgueiro, Maria Bethania ou Elba Ramalho. Em Fado (en)Cante, o espetáculo que no sábado sobe ao palco do Teatro Municipal de Matosinhos-Constantino Nery, o mestre da guitarra portuguesa concretiza a fusão do fado e do cante alentejano, duas das heranças culturais portuguesas que a UNESCO classificou como Património Mundial.

cartaz-encante3 - Aprovado pela produtora

Nascido numa família tradicional alentejana de São Francisco da Serra, Santiago do Cacém, António Chaínho junta-se neste espetáculo ao projeto Monda, que pratica uma abordagem contemporânea ao cante alentejano, misturando a composição tradicional com os novos sons da World Music. O resultado reinventa e expressa toda a riqueza das raízes do Cante Alentejano e, muito mais do que celebrar dois patrimónios imateriais da humanidade, explora caminhos, encurta distâncias e desenha um novo mapa na geografia da música portuguesa.

 

Concebido por Jorge Roque, Pedro Zagalo e Herlander Medinas, Fado (en)Cante terá a sua estreia precisamente em Matosinhos, iniciando, depois, a digressão que levará pelo país a fusão de dois dos seus emblemas culturais e, sobretudo, as histórias dos homens e das mulheres que, no campo e na cidade, no trabalho e na celebração, mantiveram vivas estas duas formas de expressão da identidade portuguesa.

 

Teatro Municipal de Matosinhos - Constantino Nery

4 de Março 2017 | 22.00h

Março… mais um mês de viagem para We Bless This Mess

As oportunidades surgem e We Bless This Mess não as deixa escapar (seja em banda, seja a solo). Desta feita e, incluindo também Portugal, Alemanha e Estados Unidos estão na rota do músico Nelson Graf Reis. Com o apoio da Filter Music Group, estão agendadas cinco datas seguidas para a capital alemã, a irreverente cidade de Berlim, onde todos os recantos são propícios para se montar um evento.

8303fa0b-3e12-4cb6-aa2a-69830d8ccf75

De seguida, de regresso ao país de origem, We Bless This Mess (em conjunto com Dirt Miles) junta-se a Matt Drenik, vocalista e compositor de Battleme, banda que se faz representar na banda sonora da reputada série televisiva "Sons Of Anarchy". A Barbearia Porto, o CRU (Famalicão) e o Popular Alvalade (Lisboa) são as casas eleitas pela Oh Lee Music e pela Infected Records para mais um conjunto de espectáculos acústicos em ambiente intimista.

A engrossar o número de milhas percorridas somente num mês, o destino final chama-se South by Southwest (SXSW), o maior festival-conferência do mundo que acontece anualmente no Texas (na cidade de Austin). We Bless This Mess está confirmado para o dia 17, no Stephen F'S Bar.

Joana Barra Vaz apresenta “Mergulho em Loba” ao vivo…

No próximo dia 3 de Março, “Mergulho em Loba”, o primeiro longa duração de Joana Barra Vaz, será apresentado na íntegra em Lisboa, no Musicbox. Com as primeiras datas deste ano, chega também o 4º single do disco… “Loba” foi produzida por José de Castro e e co-produzida pela própria Joana e por Luís Nunes (Benjamim) e revela uma nova faceta de “Mergulho em Loba”

joana barra vaz

photo: Paulo Homem de Melo

 

Mergulho em Loba” foi editado pela Bi-du-Á no mês de Setembro e mostrado ao público no Teatro do Bairro e no festival Vodafone Mexefest. O álbum tem sido muito bem acolhido pela imprensa especializada, figurando no topo de várias listas de melhores discos do ano. O novo trabalho de Joana Barra Vaz é uma viagem sonora com canções que se sobressaltam sem paragens, em suites, convidando o ouvinte a fazer esse percurso e a sentir a urgência de chegar ao fim com uma resposta na ponta da língua ou no embalo da dança.

Produzido pela autora, “Mergulho em Loba” existe num universo entre o folk e a electrónica. Foi escrito e composto entre 2012 e 2013, conta com arranjos em conjunto com David Pires, e foi gravado entre os Estúdios Iá com Bernardo Barata, Alvito ‘Road’ com o co-produtor Luís Nunes, nos Fanqueiros do Som com o co-produtor José de Castro, na SMUP e em casa de Joana Barra Vaz.

 

Joana Barra Vaz divide o seu tempo entre a realização e a música e, desde o lançamento do EP “Passeio Pelo Trilho” em 2012, actuou sob a designação de “f l u m e” em várias salas do país. Apresenta-se ao vivo em Lisboa acompanhada pelos músicos: Daniel Neto na guitarra eléctrica, David Santos no baixo eléctrico, Inês Pimenta e Madalena Palmeirim nos coros, Manuel Pinheiro na bateria e programações e Manuel San Payo no som. A abrir a noite estará Marco Luz que editou recentemente o álbum “Cores”.

 

Quintas de cinema com o documentário “Hitchcock/Truffaut”…

No dia 2 de Março, pelas 21h00, nas “Quintas de Cinema”, no Cine-Teatro de Estarreja será exibida a longa-metragem “Hitchcock/Truffaut de Kent Jones. Em 1962, Hitchcock e Truffaut encontram-se longe de Hollywood durante uma semana para esmiuçar os segredos por detrás da encenação no cinema. O filme revive a longa e detalhadíssima entrevista (500 perguntas no total) feita pelo ex-crítico dos “Cahiers du Cinéma”, na altura ainda jovem mas já brilhante realizador francês, ao seu idoso e consagrado colega britânico. Durante toda essa semana do verão de 1962, viria a resultar no livro “Hitchcock/Truffaut, que está na origem deste filme. Este documentário ilustra a que pode ser a maior lição de cinema de todos os tempos, levando-nos a viajar pelo universo do criador de Psycho, Os Pássaros e Vertigo.

Hitchcok

Kent Jones, autor do filme, convoca realizadores como Martin Scorsese, David Fincher, Arnaud Desplechin, Kiyoshi Kurosawa, Wes Anderson, James Gray, entre outros para falarem da influência daquele que é um dos grandes cineastas da história do cinema.

 

Após o filme o espaço de debate estará aberto. Na conversa participarão Luís Oliveira Santos e Romena Laranjeira. Luís Oliveira Santos é docente do Agrupamento de Escolas de Estarreja, arquiteto, fotógrafo e realizador. O seu documentário “A Luz da Terra Antiga” foi nomeado para os prémios Sophia 2013 da Academia Portuguesa de Cinema, distinguido e exibido em diversos festivais de cinema. Romena Laranjeira é igualmente docente, atriz e Presidente da Direção do CETA- Círculo Experimental de Teatro de Aveiro.

 

Esta sessão é a terceira de uma série de conversas que vão decorrer na programação de cinema realizada pelo Cine-Clube de Avanca nas Quintas de Cinema. As “Quintas de Cinema” são uma organização do Cine-Clube de Avanca com o apoio do ICA/Ministério da Cultura, Cine-Teatro e da Câmara Municipal de Estarreja.

“O Vendedor”… vencedor do Óscar de Melhor Filme Estrangeiro no cinema e em DVD / VOD

“O Vendedorde Asghar Farhadi venceu no domingo o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro. O filme, que teve estreia nas salas de cinema nacionais em Dezembro passado, já tinha vencido os Prémios de Melhor Argumento e de Melhor Actor na última edição do Festival de Cannes. É também o segundo óscar do realizador iraniano que tinha sido premiado em 2012 na mesma categoria pelo seu filme “Uma Separação”.

x-default

Numa declaração publicada na sexta-feira passada, os realizadores dos cinco filmes nomeados para Óscar de Melhor Filme Estrangeiro denunciaram o “clima de fanatismo e nacionalismo” nos Estados Unidos e noutros lugares e dedicaram o prémio à “união e liberdade de expressão”. Asghar Farhadi não compareceu aos Óscares, em protesto contra o decreto proibindo temporariamente a entrada nos EUA de cidadãos de sete países de maioria muçulmana. "A minha ausência é por respeito às pessoas do meu país e das outras de seis nações, que foram desrespeitadas pela lei desumana que proíbe a entrada de imigrantes nos EUA (…) Cineastas podem usar as suas câmaras para capturar qualidades humanas partilhadas e quebrar estereótipos de várias nacionalidades e religiões. Criam empatia entre nós e os outros. Uma empatia necessária hoje mais do que nunca”, afirmou o realizador num discurso escrito, lido em palco.

 

Para celebrar o prémio, O Vendedorpode ser (re)visto nos Cinemas Medeia Monumental em Lisboa e no Cinema Trindade no Porto, a partir da quinta-feira.

No mesmo dia, chega em DVD às lojas, juntamente com uma colecção especial Asghar Farhadi incluindo os três últimos filmes do realizador: “Uma Separação” (Óscar de Melhor Filme Estrangeiro), “O Passado” (Prémio de Melhor Actriz no Festival de Cannes) e O Vendedor (Óscar de Melhor Filme Estrangeiro).

O filme já está igualmente disponível nas plataformas de Video-On-Demand (VOD)

Royal Blood… a nova confirmação do NOS Alive 17

Royal Blood, a banda de rock n’ roll que conquistou as bocas do mundo em 2014 com o lançamento do primeiro álbum de estúdio, vai marcar presença na 11.ª edição do NOS Alive. A dupla sobe ao Palco Heineken dia 6 de julho para apresentar o novo longa duração, que de acordo com a dupla será editado este ano, em data a revelar.

royalblood-poonehghana2

Após o sucesso da estreia da banda de Brighton, com o lançamento do disco homónimo, que conquistou os tops das tabelas mundiais, os Royal Blood aguçaram a curiosidade de todos e as apostas sobre o segundo registo de originais já são altas. Para dar a conhecer a edição do novo trabalho o grupo lançou nas redes sociais um teaser que pode ser visto aqui.

O duo de rock n’ roll, composto pelo cantor e baixista Mike Kerr e pelo baterista Ben Thatcher, junta-se dia 6 de julho ao cartaz com os já anunciados The Weeknd, The xx, Phoenix, Alt-J, Ryan Adams, Rhye, Blossoms e Glass Animals.