Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Stoned Jesus playing “Seven Thunders Roar” no Porto

No próximo dia 10 de março, os Stoned Jesus tocam ao vivo no Hard Club do Porto. Um concerto incluído na digressão "Five Thunders Roar Tour." O mítico trio ucraniano  interpreta o seu aclamado segundo álbum "Seven Thunders Roar" e o melhor de "First Communion" e "The Harvest" num concerto que será memorável.

9c10405f-3043-46ee-873c-fe09e6c74945

A primeira parte deste concerto único está a cargo dos The Black Wizards, banda de rock portuguesa com uma sonoridade Hard Blues que passou pelo palco do SonicBlast 2016.

Este concerto é organizado pela equipa do SonicBlast Moledo e antecipa a sétmia edição deste festival no Minho dedicado ao rock e que se assume como um encontro perfeito entre praia, piscina, surf, skate e muito rock.

O SonicBlast Moledo 2017 acontece de 11 a 12 de agosto e conta já com as confirmações de Orange Goblin, Kadavar, Elder, Sasquatch, Monolord, Kikagaku Moyo, entre outros

Luísa Sobral compõe canção vencedora do Festival RTP da Canção

"Amar pelos Dois" foi a canção vencedora da edição deste ano do Festival RTP da Canção, qualificando-se assim para representar Portugal no Festival da Eurovisão, que decorre em Kiev, na Ucrânia, em Maio. A canção, da autoria de Luísa Sobral e com interpretação do seu irmão Salvador Sobral, venceu a final disputada ontem no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, numa gala que também celebrou os 60 anos da RTP.

Salvador Sobral e Luisa Sobral - Foto - Creditos Pedro Pina (RTP) - FESTIVAL DA CANCAO 2017

photo: Pedro Pina / RTP

 

Luísa Sobral lançou o seu mais recente álbum, "Luísa" no final de 2016 e tem integrado semanalmente o top nacional de álbuns mais vendidos. A autora de "Amar pelos Dois" tem percorrido as salas mais prestigiadas do país e prepara-se para editar em breve este seu novo disco no mercado internacional.

Salvador Sobral chegou ao Coliseu dos Recreios no rescaldo de um concerto esgotado, na véspera, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, onde apresentou os temas de "Excuse Me", o seu registo de estreia, amplamente aclamado pela crítica

Recorde-se que, já após a meia final, "Amar pelos Dois" se tinha revelado um impressionante fenómeno viral, sendo que, neste momento, as visualizações no YouTube já ultrapassam o meio milhão.

Ressonância #3 apresenta Um ao Molhe com Ana Deus + Eosin

Nesta 3ª edição do ciclo de concertos intimistas Ressonância, a VIC terá o prazer de acolher uma proposta do festival itinerante UM AO MOLHE. A sessão contará com a presença de Ana Deus e Eosin que, além de darem música, brindarão a sala com dois dedos de conversa em torno do papel da mulher na indústria musical portuguesa.

17038726_400129493670164_2885483181387657047_o

Entre os Três Tristes Tigres e os Ban, as colaborações com Rádio Macau ou Dead Combo e, mais recentemente os projectos Osso Vaidoso e Bruta, Ana Deus dispensa apresentações. Irá desta feita interpretar “Colo”, um solo ao colo de ruídos e imagens falantes, onde loops de filmes alimentam a base sonora que acompanha textos ou canções quase a nascer.

Eosin é uma das facetas musicais de Diana Combo, que integra outros projectos como Linden, dağ ou David Maranha Ensemble. Em Eosin, Combo explora o disco de vinil enquanto campo aberto ao erro e à experimentação, fazendo uso de discos deformados e de diversas técnicas de manipulação do suporte, para criar uma composição que ultrapassa a mera sobreposição das camadas sonoras utilizadas, dotando-as de novos e inesperados significados.

 

VIC / Aveiro Arts House
7 de março 2017 | 21.30h

emmy Curl disponibiliza “Nobody Else But You”…

Nobody Else But You” é o nova faixa de emmy Curl disponibilizada hoje.

Depois da edição do álbum de estreia “Navia” em 2015, emmy Curl esta a preparar seu novo trabalho, dando para já a conhecer “Nobody Else But You”, um tema mais antigo mas até agora não disponibilizado pela cantora.

a3832621852_10

Em “Nobody Else But You”, emmy Curl é acompanhada ao piano por Carlos Lázaro. O tema já este disponível no bandcamp da cantora para escuta e download.

Catarina Miranda continua assim a apresentar canções sonhadoras que caracterizam o seu reportório, materializando na música o universo que as inspira

Teatro Oficina apresenta uma grande Festa em torno da obra de Raul Brandão

De 8 a 12 de março, a cidade de Guimarães é palco para várias atividades e espetáculos dedicados à vida e obra de Raul Brandão, no aniversário que marca os 150 anos do seu nascimento. Todo o teatro de Raul Brandão será apresentado numa grande Festa que envolve 13 Grupos de Teatro de Amadores do concelho, os finalistas da Licenciatura em Teatro da Universidade do Minho e os alunos das Oficinas do Teatro Oficina. Pela primeira vez, (quase) toda a família teatral de Guimarães reunida com o seu público para conhecer, discutir, representar e ver o teatro completo de um autor assombrado.

TO_Teatro da Alma_3

O Teatro Oficina, em parceria com o Húmus – Festival Literário da Câmara Municipal de Guimarães, convoca a cidade para uma celebração em torno de um autor que escolheu Guimarães como sua casa. A Festa de Teatro Raul Brandão junta mais de 150 atores e atrizes, que se reúnem com o seu público em torno de um evento ímpar, que enaltece uma malha criativa vibrante da cidade. Associam-se também a Sociedade Martins Sarmento, que permitirá espreitar o espólio do autor, e o Cineclube de Guimarães, nas suas habituais sessões de cinema ao domingo. A Bando À Parte, também obcecada por Raul Brandão, filma a Festa para memória futura. Para abrilhantar o evento, foram convidados livreiros e alfarrabistas de Guimarães para tirar da estante todo o teatro e o Cor de Tangerina e o Círculo de Arte e Recreio para nos darem petiscos redentores. Entre espetáculos, leituras, comes e bebes e filmes celebram-se os 150 anos de Raul Brandão como deve ser, com alma e em festa.

 

A Festa arranca no dia 8 de março e é o próprio Teatro Oficina a abrir as hostes com a estreia da sua mais recente criação, “Teatro da Alma”, uma peça de dor e de sonho a partir de Raul Brandão, que terá lugar no Pequeno Auditório do Centro Cultural Vila Flor (CCVF), às 22h00. A partir de cenas de 3 peças: “A Noite de Natal” (1899), “O Gebo e a Sombra” (1923) e “O Avejão” (1929), nasce uma ficção quase metafísica e nada aleatória. Cenas e personagens de peças diferentes parecem responder umas às outras, ecoando os temas principais da obra de Raul Brandão: a natureza do homem, os seus fantasmas e duplos, a relação com a morte, a falta de redenção, a vontade de viver, as sombras… Ainda antes do Teatro Oficina entrar em cena neste primeiro dia da Festa, que é igualmente o Dia Internacional da Mulher, a cantautora Rita Redshoes sobe a este mesmo palco às 21h00 para falar sobre o processo de escrita e composição das músicas que compõe o seu repertório, traçando o percurso de 20 anos de carreira, iniciados em 1996, com as primeiras incursões musicais.

TO_Teatro da Alma_5

No dia seguinte, às 22h00, o teatro viaja até à ‘casa’ do Raul Brandão, onde estão os seus cadernos e notas inacabadas de teatro. A Festa estende-se, assim, à Sociedade Martins Sarmento, local onde o Teatro Oficina e os alunos do 3º ano da Licenciatura de Teatro da Universidade do Minho apresentam “Um Sonho Adiado”, a partir de diálogos inéditos do espólio do escritor.

Na sexta-feira, às 21h30, o Festival Literário Húmus, iniciativa da Câmara Municipal de Guimarães, junta-se à Festa de Teatro Raul Brandão com uma sessão imperdível. O palco do Grande Auditório do CCVF serve de cenário para uma conversa sobre os temas que percorrem toda a obra brandoniana – família e amigos, Portugal, a vida e a morte, esfera privada e pública – mas que irá muito além dos livros. Este momento conta com a moderação do jornalista e escritor Francisco José Viegas e os convidados Álvaro Laborinho Lúcio (jurista, professor universitário, ex-Ministro da Justiça e escritor português) e Abraão Vicente (Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde, sociólogo de formação com percurso ligado ao jornalismo, à escrita e às artes plásticas). Na mesma noite, às 22h30, a Festa prossegue no Pequeno Auditório do CCVF com a apresentação do espetáculo “O Maior Castigo” (1902) pelas mãos do grupo de teatro amador ATRAMA, coletivo desafiado a dar vida a esta que é uma das peças perdidas de Raul Brandão.

 

O fim de semana de 11 e 12 de março traz uma nova dinâmica à Festa e o teatro não para ao longo de dois dias. No sábado, pelas 15h00, “O Gebo e a Sombra” (1923) chega ao Grande Auditório do CCVF com o carimbo do TEC – Teatro Experimental do Cano, chamando o público a sentar-se no palco para assistir ao espetáculo. Às 16h30, a Festa de Teatro passa também pelo Café Concerto do CCVF com a peça “A Pedra ainda espera dar Flor”, a partir das Crónicas de Teatro (1895-1923), apresentado pelo CETE – Convívio e Teatro Experimental. Às 18h00, de regresso ao Pequeno Auditório, chega a vez do Teatro Coelima e do grupo Jovidém subirem ao palco com “O Doido e a Morte” (1923). O sábado termina com um projeto que envolve vários grupos de teatro de amadores num grande espetáculo apresentado na sala maior do CCVF, às 22h00. “Jesus Cristo em Lisboa” (1927), com Teixeira de Pascoaes, junta no mesmo palco o Grupo de Teatro Citânia, o Cem Cenas, o Grupo de Teatro da ADCL, o Grupo de Teatro de Campelos e o Grupo de Teatro da ARCAP.

 

A Festa de Teatro Raul Brandão encerra no dia 12, domingo, em grande espírito celebratório. Pelas 11h00, o teatro sai à rua e leva ao Largo de Donães os alunos das Oficinas do Teatro Oficina, que aqui apresentam “Árvore da Vida Rauliana”, uma peça que integra excertos de “Húmus” (1966), do poeta Herberto Helder. De tarde, o teatro instala-se novamente no Centro Cultural Vila Flor, onde se mantém bem vivo até ao término da Festa. Às 15h00, a programação prossegue no Grande Auditório do CCVF com o TERB – Teatro de Ensaio Raul Brandão a apresentar “A Noite de Natal”, com Júlio Brandão, num espetáculo que junta, uma vez mais, público e artistas em cima do palco. À tarde, pelas 16h30, o teatro sai para os jardins do Palácio Vila Flor com a Astronauta Associação Cultural a apresentar as peças “O Rei Imaginário” (1927) e “Eu sou um Homem de Bem” (1923). O grupo Osmusiké fecha a maratona de teatro às 18h00, no Pequeno Auditório do CCVF, com “O Avejão” (1929). Às 21h45, o Cineclube de Guimarães encerra este intenso programa com uma sessão de cinema em torno de Raul Brandão.

 

Na sexta-feira, das 19h00 às 22h00, e no sábado e domingo, das 13h00 às 22h00, a praça do Centro Cultural Vila Flor estará habitada por uma Feira do Livro que junta livreiros e alfarrabistas de Guimarães para tirar da estante todo o teatro, acompanhada por duas barracas de Comes e Bebes com a marca do Cor de Tangerina e do Círculo de Arte e Recreio, assegurando o convívio, a leitura e um brinde ao aniversário de Raul Brandão antes e entre os espetáculos.

“Hallo” de Martin Zimmermann… na Culturgest

Ao cabo de 20 anos de carreira, grande parte dela trabalhando em conjunto com Dmitri de Perrot, o suíço Martin Zimmermann, formado pelo Centre National des Arts du Cirque, cria, em 2014, o seu primeiro (até agora único) espetáculo a solo, este extraordinário Hallo. Martin forma um personagem com um corpo de boneco articulado e a agilidade de um contorcionista, um tipo ingénuo e desastrado que faz rir sem querer, que mora numa pequena caixa de madeira e sai dela para entrar num cenário que lembra uma montra de loja.

hallo

photo: Augustin Rebetez

 

O cenário, e os objetos vários que nele vão surgindo, têm vida própria e passam o tempo a pregar-lhe partidas, colocando-o em situações embaraçantes, desconfortáveis e divertidas, de onde dificilmente sai. Mas sai, porque a sua destreza ingénua é bastante para triunfar. Há um bocadinho de cenário que frequentemente se ri do personagem, amesquinhando-o. Ele faz de conta que não percebe.

O espetáculo resulta dos choques múltiplos entre o homem e as suas diversas personalidades, ou aparências, e o cenário e adereços. A esses personagens por que o artista se multiplica, acrescem outros que são extensão do seu corpo, representados por um manequim, jogos de espelhos, ou mesmo pela breve aparição de um duplo. Martin procurou dar vida às múltiplas maneiras de sermos nós próprios. Com a sua dramaturgista, que com ele concebeu o espetáculo, tentou "desenhar com delicadeza o esboço de uma vida".

 

Hallo (Olá) é a única palavra que se ouve durante todo o espetáculo e ainda assim, só por três vezes. Para chamar a atenção de alguém que não se sabe quem é. Gostávamos que fossem atraídos por esse chamamento, porque verão coisa que nunca viram, que está entre o céu e a terra, entre o sono e a realidade, entre a fantasia e a vida.

 

Culturgest (Lisboa)

10 e 11 de Março 2017 | 21.30h

Portugal Por/By Urban Sketchers… Um álbum gráfico sobre Portugal

Na sequęncia do Lisboa por Urban Sketchers a Zest Books associa-se uma vez mais aos Urban Sketchers Portugal para a criaçăo de um projeto de maior fôlego.

Surge assim Portugal por Urban Sketchers – Norte, Sul e Ilhas. Um álbum de médio formato que reúne cerca de 250 imagens de quase 90 desenhadores, ao longo de 272 páginas, com técnicas e estilos diferentes, que retratam Portugal com o olhar e a mão de uma maneira mais humana e intimista. Os desenhos, feitos no local, retratam o momento, a alma, as paisagens, monumentos, vivências, cidades e serras. Aqui encontramos a riqueza total de um dos mais belos e variados países do mundo – o nosso –, vividos e registados pela sensibilidade e técnica dos artistas.

_Image1

Com a participação de todos, temos o prazer de ter entre a escolha dos mais consagrados aos mais novos, com somente 6 anos de idade. Disponível em português e inglês, esta viagem especial por Portugal através dos diários gráficos dos urban sketchers tem a particularidade de dar início a uma projeto inovador da Zest que permitirá a quem o quiser poder adquirir através de www.zestbooks.pt as imagens do livro em poster de diversos formatos, com qualidade superior.

Westside Gunn e Conway juntam-se à Shady Records de Eminem

A Shady Records anunciou recentemente que acaba de assinar um acordo exclusivo com a Griselda Records para os artistas Westside Gunn e Conway. Os rappers, que também são irmãos, tornaram-se os primeiros a assinar um contrato com uma editora de grande distribuição. A Griselda foi fundada por Westside Gunn em 2014.

pr

Os dois rappers iniciaram o seu percurso no início dos anos 2000, quando Conway começou a ganhar a reputação de um dos mais talentosos rappers da região, enquanto Gunn trabalhava então como seu agente, sendo que pouco depois começou a desenvolver o seu percurso como artista e lançou a Griselda. Desde que lançaram, de forma independente, as primeiras mixtapes e divulgaram as suas músicas no SoundCloud que Gunn e Conway ganharam a atenção da imprensa e de muitos fãs, conquistando o respeito de artistas como DJ Premier, Pete Rock, Anderson.Paak ou Mahershala Ali. Rapidamente criou-se uma base de fãs de culto em torno dos rappers, o que resultou em lançamentos em vinil pela Griselda e produtos de merchandise que esgotaram em poucos minutos, enquanto murais dos dois rappers e das capas dos seus álbuns apareceram em cidades dos EUA, Austrália, França, Roménia e Reino Unido.

 

“O estilo e energia da Griselda Records, de Gunn e Conway são viciantes. Mal podemos esperar por colocá-los na plataforma que eles conquistaram e merecem”, afirmou Eminem, também fundador da Shady Records. “Trazemos uma nova sonoridade, mas que também é reminiscente do hip hop grimey dos anos 90”, disse Westside Gunn, fundador da Grisela. “A arte está em tudo o que fazemos… É a essência. Fazemos uma fusão de sonoridades negras com um estilo de vida hipster e porreiro. Está a ser traçado um novo caminho.”

Além dos seus projetos a solo, Gunn e Conway também gravam juntos como Hall n’ Nash. Recentemente concluído um projeto com The Alchemist, além de que o duo ainda vai lançar um novo álbum no âmbito do acordo com a Shady Records. O último projeto de Westside Gunn foi a mixtape “Hitler Wears Hermes 4”, lançada em outubro do ano passado. O disco de 11 temas inclui participações de Stalley, Conway, Smoke DZA, entre outros. Já Conway tem vindo a lançar temas da série de mixtapes “Devil’s Reject”.

 

ExpoGaming, youtubers, desporto e jogos de tabuleiro animam Qualifica 2017

A Qualifica, a maior Feira de Educação, Formação, Juventude e Emprego do País, que se realiza de 16 a 19 de março, na Exponor, vai contar com uma forte vertente lúdica e desportiva, proporcionando momentos de convívio e competição entre os mais jovens. O grande enfoque da edição de 2017 é o uso adequado das novas tecnologias, designadamente no que concerne à orientação da comunidade estudantil para as oportunidades de emprego e formação existentes no mercado.

DSC_0348

photo: Paulo Homem de Melo

 

Uma das atividades que concentrará as atenções dos jovens é a ExpoGaming, um evento ligado à comunidade do eSports e que engloba os desportos eletrónicos de videojogos, com uma vertente competitiva entre vários jogadores ou equipas. Sejam jogos de estratégia, como o StarCraft ou o WarCraft, jogos de tiros na primeira pessoa, como o Counter-Striker ou Call of Duty, ou simuladores de futebol, este evento promete concentrar os interesses de uma vasta audiência.

 

Durante a Qualifica 2017, vai realizar-se um Torneio de CS:GO, com qualificadores abertos a equipas portuguesas, que competem por uma fase final com quatro equipas nacionais e quatro estrangeiras. Um Torneio de League of Legends, torneios de 1vs1 em consolas ou um concurso de Cosplay, são outras das propostas da ExpoGaming. Momento alto será ainda a presença do youtuber SirKazzio, um dos nomes mais em voga nos canais digitais e que estará na Exponor para o contacto direto com os muitos fãs que regularmente seguem as suas actividades online.

 

O desporto, entendido como fundamental no processo de educação e formação dos mais jovens, também assume papel central nesta Qualifica. Desde logo com o basquetebol, através da realização de um Torneio Ibérico do escalão sub-18 masculino e feminino, concursos de lançamentos para todos os visitantes, Torneio de 3vs3, concentração de minibasquete e aconselhamentos médico-nutricionais. No que diz respeito ao voleibol, estão previstos torneios de 2vs2 de street volley, concentração de minis (sábado e domingo de manhã), concurso de skills entre outros passatempos.

 

Fundamental para estudantes, e não só, é também o exercício mental. Por isso, os jogos de tabuleiro vão marcar presença na Qualifica, com mais de 50 jogos disponíveis, uma área que tem organização do Grupo de Boardgamers do Porto, que existe há dez anos e que realiza encontros semanais e mensais gratuitos na cidade para divulgação desta actividade. A certame vai uma vez mais reunir num só espaço as propostas educativas mais inovadoras, procurando traçar caminhos para a (re)orientação profissional, ao mesmo tempo que congrega ofertas de emprego nos mais diversos setores da economia.

DSC_0421

photo: Paulo Homem de Melo

 

“Find your balance” é o mote da edição deste ano, onde o ponto de equilíbrio entre os benefícios do meio digital e os comportamentos excessivamente viciantes vai estar em destaque, com conselhos de especialistas para um uso equilibrado e adequado das tecnologias.

 

A Qualifica cumpre assim a sua missão de ajudar os jovens a traçarem um rumo para a sua vida futura, mantendo-os conectados à rede, mas também focados no mundo real e, muito particularmente, nas oportunidades de qualificação que também necessitam de outro tipo de competências que estão para lá do uso constante das funcionalidades digitais.

Os Flechas… A Tropa Secreta da PIDE/DGS em Angola

Em 1967, seis anos depois do início da guerra em Angola, a PIDE/DGS começa a recrutar entre algumas etnias locais e dissidentes dos movimentos de guerrilha, com a intenção de melhorar a capacidade de recolha de informações estratégicas, operacionais e tácticas e desenvolver acções clandestinas além-fronteiras. Deste recrutamento resultam os Flechas.

convite_Os_flechas_Casa_das_letras

Baseado em documentos e fontes históricas inéditas, nomeadamente no testemunho do criador dos Flechas, o PIDE Óscar Cardoso, que assina o prefácio, este livro descreve o impacto até agora desconhecido desta tropa secreta, composta por bosquímanos, no contexto da guerra em Angola e no contexto internacional.

 

José Manuel Anes apresenta a obra escrita pelo capitão de fragata Fernando Cavaleiro Ângelo, chefe de divisão de Informações do Comando Naval e Director do Centro de Análise e Gestão de Dados Operacionais da Marin

 

Edição: Casa das Letras / Leya

Apresentação: 9 de Março | 18.30h - FNAC do Colombo