Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

24 Horas Figuras… no Teatro das Figuras

O Teatro das Figuras prepara-se para ser invadido, durante 24 horas consecutivas, pelas mais diversas expressões contemporâneas das artes performativas, com a realização da primeira edição do evento 24 Horas Figuras.

24-horas-figuras-festa-de-arte-contemporanea-2700

Na área da música estão já confirmadas as presenças de Batida, D’Alva, Sensible Soccers, Salvador Sobral, Branko, XINOBI, DJ Glue, Ghost Hunt, Mike El Nite, Reflect e The Gift. Neste evento será estreado o espetáculo de novo circo O Grande Embrulho, uma produção do Teatro das Figuras, que nos últimos meses acolheu o artista Thorsten Grutjen em residência artística.

 

O subpalco do grande auditório será cenário improvável para as peças de teatro I Can’t Breathe com Ana Monte Real e Elmano Sancho e Nem Sempre o Silêncio é d’Ouro, pela Dois Mais Um. Os Calceteiros de Letras espalharão a poesia pelo recinto. Para os mais pequenos haverá concertos de tÉssa e a banda troilarÉ, teatro com o Varredor de Marés, pela companhia de teatro te.Atrito, oficinas de malabarismo, acrobacia criativa e bolas de sabão, dinamizadas pela Amarelarte e serão também convidados a dançar nas Conversas com o Corpo.

 

Teatro das Figuras (Faro)

29 e 30 de Abril 2017

“Somos uma banda rock de Lisboa”… na Casa da Música

A simplicidade com que os Capitão Fausto se descrevem desarma qualquer um. Porque é assim que se sentem e é assim que vivem. A história de Tomás, Salvador, Francisco, Manuel e Domingos tem o seu primeiro capitulo em 2011, com “Gazela”, o álbum de estreia. Ali encontra-se a urgência das canções juvenis, dos hinos pop que se cantam e sabem sempre a pouco.

Image1

Em 2014 “Pesar o Sol” chega aos escaparates. E é neste segundo álbum (muitas vezes o tudo ou nada de tantos Artistas) que se impõem como uma das mais originais e criativas propostas do nosso país. Defendem-no ao vivo, com espectáculos memoráveis nos grandes e pequenos festivais, nos clubes, nos teatros, um pouco por todo o Portugal que os recebe e obriga a crescer. Como cresce exponencialmente a sua base de fãs, agora transformada em legião. Em 2016 são as canções de “Capitão Fausto Têm os Dias Contados” que os levam a superar todas as expectativas.

 

Pouco mais de 30 minutos de musica e palavras, em modo pop recheado de primor e requinte, que contam as estórias de vida de cada um dos Capitão Fausto, mas que são muito mais que isso, porque crescer é para todos. Não se poupam os elogios e os aplausos, que chegam em catadupa. Os Capitão Fausto “afirmam-se como a voz de uma geração”, diz quem sabe. E esta geração quer elevar a clássicos imediatos as oito canções que lhe são oferecidas.

 

Num ápice esgotam (em menos de uma semana) os dois Espectáculos de apresentação no Lux, em Lisboa. Passam pelo Rock in Rio, Super Bock Super Rock, Festival de Paredes de Coura, Festival Sol da Caparica. 2016 confirmou que os Capitão Fausto são uma aposta segura. Uma aposta no bom gosto musical e na sensibilidade apurada. Uma aposta na criatividade e no fulgor de uma banda que parece imparável. “Amanhã Tou Melhor” foi seguramente um dos refrões mais cantados de 2016. Para os Capitão FaustoOs Dias Estão Contados”. Porque crescer é inevitável. E sabendo isso, vão continuar a fazê-lo nesta digressão de teatros em 2017 e chegam dia 22 à Sala Suggia da Casa da Música.

Diogo Piçarra… na Queima das Fitas de Coimbra

Diogo Piçarra tem-se afirmado como uma das maiores certezas da nova música nacional. Desde a edição de “Espelho”, em Março de 2014, tem ultrapassado todas as fasquias que o posicionam agora como um dos mais requisitados e multifacetados artistas nacionais.

17630025_1941049252795688_8281262842185045229_n.jp

Espelho” atingiu o galardão de Ouro, os seus vídeos foram vistos mais de 15 milhões de vezes, percorreu o país e ilhas com dezenas de concertos, onde actuou perante centenas de milhares de pessoas.

Ao segundo álbum, Diogo Piçarra dá um salto qualitativo nas suas composições, tornando a sua música mais diversa, mais rica, com mais camadas emocionais e mesmo assim, mais única e mais identificável. 2017 é, definitivamente, o ano de Diogo Piçarra.

Dia 6 de Maio, marca presença na Praça da Canção.

 

 

Novidades no Festival MED 2017

Niyaz (Irão), Boogat (México/Canadá) e Delgres (Guadalupe/França) são os 3 nomes multipremiados que irão juntar-se aos primeiros doze artistas já anunciados e que farão parte do cartaz da 14ª edição do Festival MED.

17883878_1474281295929377_8789347691241418366_n.jp

Considerada como uma “força evolutiva na música contemporânea do Médio Oriente”, Niyaz criou uma visão atual de fusão entre a eletrónica, a poesia Sufi medieval, a música tradicional do Irão e do Golfo Pérsico com uma forte componente de instrumentos acústicos. Fundado em 2004, em Montreal, o grupo junta a vocalista e compositora nomeada duas vezes para o Juno Award, Azam Ali, e o multi-instrumentista e compositor, também ele nomeado para os Juno Awards, Loga Ramin Torkian. Os 3 álbuns, editados pela Six Degrees Records, estrearam-se no primeiro lugar do iTunes e receberam excelentes críticas por parte da imprensa especializada.

Em 2015, foi lançado o quarto álbum, “The Fourth Light”, um tributo à primeira mulher Sufi, a poetisa Rabia Al Basri, que nasceu no Iraque no século VII.

444.jpg

Boogat é um músico canadiano, com origens mexicanas e paraguaias, que funde o Hip-Hop a vários estilos de música latina como a Cumbia ou o Reggaeton. Iniciou a carreira na língua francesa mas, após colaborar com o grupo Roberto Lopez Project e o produtor Poirier, passou a usar a língua como veículo de expressão musical, o que lhe abriu portas para uma série de colaborações com prestigiados artistas da América Latina. Com o álbum “Neo-Reconquista” venceu o “World Music Album of the Year” no Juno Award e no Félix Award. Este trabalho, lançado em 2015, contou com as colaborações de La Yegros, Sonido Pesa’o e Pierre Kwenders.

445.jpg

Da Guadalupe ao Louisiana… ao delta do Mississipi, Delgres é o elo perdido do Blues. Com sua música de raízes profundas, íntima embora universal, Delgres “resgata a memória das músicas, dos sons e das lágrimas das almas perdidas de Nova Orleães”. Nascido em Paris, filho de pais caribenhos, Pascal Danae tem mapeado o seu amor intuitivo pelo blues de volta à sua casa ancestral de Guadalupe. Deu o nome a este trio em homenagem a Louis Delgrès, o oficial de ascendência africana que deu sua vida na Ilha de Guadalupe, na luta contra Napoleão quando este, em 1802, tentou repor a escravidão, através da repressão e exílio de muitos que fugiram para o Louisiana. O contributo que esses exilados afro-caribenhos tiveram para o nascimento do blues serviu de fonte de inspiração para a música dos Delgres.

 

A estes três nomes juntam-se aos já anunciados Ana Moura, Rodrigo Leão, Fábia Rebordão e Marta Ren (Portugal), Throes + The Shine (Portugal/Angola), Rachid Taha (Argélia), Fanfare Ciocarlia (Roménia), BNegão (Brasil), Tout-Puissant Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou (Benin), Canzoniere Grecanico Salentino (Itália), Akua Naru (Estados Unidos) e Mayra Andradde (Cabo Verde).

Os premiados da 10ª Festa do Cinema Italiano…

Fiore, de Claudio Giovannesi, é o grande vencedor do Prémio do Júri da 10ª Festa do Cinema Italiano, havendo ainda uma menção honrosa para La ragazza del mondo, de Marco Daniele. Premiados de forma unânime, o júri - composto por Cláudia Varejão, João Braz e Rita Blanco - justifica esta escolha sublinhando que “ambos os filmes tecem-se a partir de forças muito idênticas que moldam os gestos das suas protagonistas: a procura de uma identidade e a conquista da liberdade. As batalhas interiores das personagens criam um forte laço de intimidade com o nosso olhar e, sem nunca nos desampararem, guiam-nos pelas sucessivas lutas a que são expostas. São, mais do que tudo, filmes sobre o rigor e a dedicação das suas actrizes, remetendo-nos para a longa tradição do trabalho da representação no cinema italiano”.

fiore

Fiore foi apresentado e nomeado, em 2016, na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, no Festival de Munique, com uma nomeação para melhor filme internacional e seis nomeações nos prémios David di Donatello (entre eles, melhor filme, melhor realizador, melhor argumento original e melhor atriz principal), tendo recebido ainda o prémio especial do Sindicato Italiano de Jornalistas de Cinema. Claudio Giovannesi mostra-nos o dia a dia numa prisão juvenil, captando a rotina das personagens, onde Dafne vive como um gato selvagem e, ao apaixonar-se por Josh, começa a sonhar com um final feliz, bem diferente daquilo que sempre acreditou. É neste cenário que acontece uma grande cumplicidade criada com os atores, na sua grande maioria não-profissionais, como o jovem protagonista, Josh Algeri, que faleceu tragicamente no passado mês de março.

20_11_2015 48 (1)

Vencedor de três prémios no último Festival de Veneza (Brian Award para o realizador Marco Danieli e Prémios Pasinetti para Melhor Ator – Michele Riondino - e Melhor Atriz – Sara Serraiocco), La ragazza del mondo, de Marco Danieli retrata uma história de amor que implica uma escolha difícil relacionada com o mundo onde a protagonista se move, regido pelos textos sagrados e pelos princípios das Testemunhas de Jeová.

Cópia de 6 Abril 18h30-Un Bacio

Un bacio, de Ivan Cotroneo venceu o Prémio do Público Canais TVCine&Séries. O filme preferido dos espectadores desta 10ª Festa do Cinema Italiano - onde foi apresentado em ante-estreia nacional -  é um conto com cores pop, sobre exclusão, preconceito e amizade. Um filme enérgico e musical sobre as difíceis etapas da adolescência e a aceitação da própria sexualidade, com interpretações que valeram aos seus protagonistas o prémio Guglielmo Biraghi - atribuído pelo Sindicato Italiano de Jornalistas de Cinema - que distingue atores revelação o cinema italiano.

 

A 10ª Festa do Cinema Italiano aconteceu, pela primeira vez, simultaneamente em cinco cidades, Lisboa, Porto, Coimbra, Almada e Setúbal, com excelente adesão de público, com várias sessões esgotadas no Cinema São Jorge, na Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, no UCI El Corte Inglés e no Teatro Rivoli. Em Lisboa, mais de 10 mil pessoas visitaram o festival, ultrapassando os 13 mil espectadores nas cinco cidades. Um dos filmes com lotação esgotada foi a antestreia de Se Deus Quiser (Si Dio Vuole), de Edoardo Falcone, já em exibição comercial nos cinemas UCI El Corte Inglés e UCI Arrábida 20, pelo menos, até 19 de abril.

 

A Festa continua agora em várias cidades: Aveiro (19 a 21 de abril) Loulé e Caldas da Rainha (12 a 14 de maio), Viana do Castelo (16 e 17 de maio) e Tomar (25 a 27 de maio), seguindo depois para Angola, Moçambique e Brasil.

 

Serralves celebra o dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Em 2017, o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios tem como tema "Património Cultural e Turismo Sustentável". Numa época de marcada globalização económico-cultural, de profundas transformações sociais e do aumento exponencial do número de turistas, a salvaguarda, estudo, interpretação e apresentação do património e da diversidade cultural dos territórios e dos países, constituem um fator chave para o Turismo.

cabecalho

Neste contexto Serralves preparou uma programação exclusiva centrada na exposição patente no Museu “Álvaro Siza: Visões de Alhambra” que visa refletir sobre a relação entre o patromónio e a intervenção contemporânea

 

18:30 - Visita orientada à exposição "“Álvaro Siza: Visões de Alhambra”

Orientação: António Choupina, comissário da exposição

 

19:00 - Debate "Património Arquitetónico e Intervenção Contemporânea”

Oradores:

- José Aguiar (ICOMOS – Portugal)

- Ana Paula Amendoeira (ICOMOS –Portugal)

- Roberto Cremascoli (Co-Comissário da Representação Portuguesa na Bienal de Veneza 2016)

- Nuno Grande (Co-Comissário da Representação Portuguesa na Bienal de Veneza 2016)

- Ann Pitt (Wenworth Institute of Technology, Boston)

- Nuno Sampaio (Diretor-Executivo do Centro Português de Arquitectura)

- Ana Tostões (Docomomo International)

 

Moderador: António Choupina comissário da exposição "Álvaro Siza Vieira: Visões de Alhambra"

DNCE lançam esta sexta-feira o single “Kissing Strangers”

OS DNCE acabam de anunciar nas redes sociais que o novo single “Kissing Strangers”, com Nicki Minaj, ficará disponível a partir desta sexta-feira, 14 de abril. Nicki Minaj também colocou uma fotografia da rodagem do vídeo oficial do single no seu Instagram, onde conta com 77,8 milhões de seguidores.

17523395_1884264391815941_6741247251960223228_n

“Kissing Strangers”, com Nicki Minaj, sucede-se ao multiplatinado single de estreia do grupo, o fenómeno global que foi “Cake by the Ocean”, que já conta com mais de mil milhões de streams áudio e vídeo e 3 milhões de downloads.

 

Os DNCE são o grupo liderado por Joe Jonas (dos Jonas Brothers) e constituído ainda pelo baixista e teclista Cole Whittle (cofundador da banda Semi Precious Weapons), pela guitarrista sul-coreana JinJoo (que já andou em digressão com os Jonas Brothers, Charli XCX e CeeLo Green) e pelo baterista Jack Lawless, sendo um dos grandes fenómenos pop da atualidade.

Coachella ao vivo... no Youtube…

Decorre este fim de semana a primeira parte da edição de 2017 do Festival Coachella. Como já vai sendo hábito, o festival tem programada a transmissão em direto no canal do Youtube um conjunto alargado de concerto.

13407152_10154086045576648_6392594014533049764_n

São 85 concertos em 3 canais em simultâneo.

Estes são os concertos agendados para os dias 14, 15 e 16 de Abril (Os horários indicados são as horas em Portugal)

14 de Abril 2017
23:35 – Tennis (1)

23:35 – Preservation Hall Jazz Band (2)

23:35 – Klangstof (3)

00:05 – Joseph (3)

00:10 – King Gizzard & The Lizard Wizard (1)

00:25 – Sampha (2)

00:50 – The Lemon Twigs (3)

01:00 – Bonobo (1)

01:10 – Broods (2)

01:35 – SOHN (3)

01:50 – Mac DeMarco (1)

02:00 – Francis and the Lights (2)

02:50 – Oh Wonder (2)

02:55 – Glass Animals (1)

03:20 – Big Gigantic (3)

03:40 – Banks (2)

03:45 – Father John Misty (1)

04:10 – Crystal Castles (3)

04:30 – Richie Hawtin (2)

04:45 – Phantogram (1)

05:00 – Mac Miller (3)

05:30 – Jagwar Ma (2)

05:35 – The XX (1)

05:55 – Steve Angello (3)

06:20 – DJ Shadow (2)

06:40 – Radiohead (1)

06:55 – Empire of the Sun (3)

07:15 – Capital Cities (2)

07:50 – Dillon Francis (3)

08:10 – D.R.A.M. (2)

 

15 de Abril 2017
23:35 – Local Natives (1)

23:35 – Arkells (2)

23:35 – Blossoms (3)

23:55 – Kaleo (2)

00:20 – Shura (3)

00:30 – Chicano Batman (1)

00:45 – Car Seat Headrest (2)

01:00 – Banks & Steelz (3)

01:15 – The Head and the Heart (1)

01:40 – The Atomics (2)

01:45 – Autograf (3)

02:10 – Bastille (1)

02:25 – Roisin Murphy (2)

02:35 – Little Dragon (3)

03:15 – DREAMCAR (2)

03:20 – Two Door Cinema Club (1)

03:25 – Mura Masa (3)

04:05 – Moderat (2)

04:15 – Gryffin (3)

04:20 – Future (1)

05:05 – Warpaint (2)

05:10 – Tory Lanez (3)

05:15 – ScHoolboy Q (1)

05:55 – Tycho (2)

06:00 – Röyksopp (3)

06:15 – Bon Iver (1)

06:45 – DJ Snake (2)

06:55 – Martin Garrix (3)

07:25 – Lady Gaga (1)

08:00 – Gucci Mane (2)

08:05 – Classix (3)

 

16 de Abril 2017
23:35 – Ezra Furman (1)

23:35 – Grace Mitchell (2)

00:15 – Anna Lunoe (3)

00:25 – Whitney (1)

00:25 – Preoccupations (2)

01:15 – Toots & The Maytals (1)

01:15 – Goldlink (2)

01:15 – NAO (3)

02:10 – Grouplove (1)

02:10 – Jack Garratt (2)

02:55 – Kaytranada (3)

03:00 – Kiiara (2)

03:20 – Future Islands (1)

03:55 – Tove Lo (2)

04:10 – DJ Khaled (3)

04:15 – Porter Robinson & Madeon (1)

04:40 – Hans Zimmer (2)

05:00 – Galantis (3)

05:20 – Lorde (1)

05:45 – Kehlani (2)

05:45 – Justice (3)

06:25 – Kendrick Lamar (1)

06:30 – New Order (2)

07:05 – Marshmello (3)

The Art of Techno… Neopop em exposição

Entre hoje e amanha, o Convento da Trindade recebe a exposição The Art of Techno, um conjunto de 10 telas pintadas pelos movimentos de dança ao som de 10 artistas que fazem parte do cartaz do festival NEOPOP, que se realiza de 3 a 5 de Agosto em Viana do Castelo.

Screen_Shot_2017-04-14_at_08_22_54

The Art of Techno é um tributo à cultura Techno. Um estilo de vida que abrange um espectro alargado de música electrónica instaurado no NEOPOP há já 12 anos. É também uma prova de que os artistas não se resumem aos músicos. Esta é uma arte comum a todos os que integram esta cultura de dança e que, apesar de não estar pendurada nas paredes, vive em cada um de nós.

 

A exposição The Art of Techno é uma forma de questionar até que ponto esta onda artística tão pouco palpável pode ou não estar exposta nas paredes de uma galeria. Um ensaio que prova que um artista tanto pode ser alguém que toca violino como o produtor de um beat. Um bailarino que actua num palco ou alguém que dança completamente despreocupado com o amanhã. E porque cada um de nós se exprime de uma forma tão única e pessoal, podemos contemplar alguns dos muitos movimentos que encontramos na pista de dança, representados em telas e interpretados ao som dos grandes nomes presentes na edição deste ano do festival de Viana do Castelo. Um olhar fresco sobre os movimentos de dança, dos mais mecânicos aos mais angelicais.

 

Porque o NEOPOP é um palco onde a identidade de cada um conta.

 

Convento da Trindade (Lisboa)

14 e 15 de Abril 2017 | 15h às 21h