Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Luis Represas + Big Band Estarrejazz

O senhor que se segue, no curriculum da jovem formação estarrejense “Big Band Estarrejazz”, chama-se Luis Represas. O cantor e compositor fundador dos Trovante, com uma carreira a solo invejável, aceitou o desafio de colocar a voz ao serviço do Jazz e a sua experiência, num inebriante contraste com a rebeldia dos promissores músicos com quem vai dividir o palco, fatores que por si só, são garante de um inesquecível concerto.

e60SUK2IGxkwUbAwpFpNNXJUS7hwxueQ

Composta por jovens músicos, a Big Band Estarrejazz tem crescido de forma consistente e assim cumprido os objetivos para a qual foi criada: “divulgar e desenvolver a música de jazz, apostar na formação de jovens músicos da região, mas essencialmente dotar o concelho de Estarreja de uma orquestra de jazz jovem com qualidade profissional.” Pedro Moreira, Diretor Artístico e Pedagógico da Big Band Estarrejazz.

 

Cine-Teatro de Estarreja

6 de Maio 2017 | 21.30h

José Gonçalez em Showcases…

José Gonçalez vai estar em dois showcases a apresentar o seu novo disco, “Improvável”. Estes dois encontros com o público, dia 7 de maio, na Fnac de Oeiras, e dia 25 de maio, na Fnac do Colombo, serão uma pequena amostra do concerto que se realizará dia 31 de maio, no Casino Estoril. Este espetáculo será único e irrepetível, ao contar com todos os convidados do disco “Improvável”: Ângelo Freire, Cuca Roseta, David Jerónimo, Edu Miranda, FF, Filipa Cardoso, Gonçalo Salgueiro, Jorge Fernando, José Cid & Big Band, José Manuel Neto, Júlio Resende, Maria da Fé, Máximo Ciuro, Sangre Ibérico e Vitorino.

Jose Goncalez - capa disco Improvavel

Improvável”, o novo disco de José Gonçalez com o selo da Sony Music, marca o regresso do artista às edições discográficas. “Alentejo, Um Ar de Festa” é o single de apresentação deste trabalho, uma ode à região de onde Vitorino e José Gonçalez são naturais.

Neste disco, José Gonçalez assume todas as autorias, letras e músicas dos dez temas que o compõem, à excepção do dueto com Cuca Roseta, uma parceria com Tozé Brito. Para cada tema, José Gonçalez convidou dez dos mais brilhantes artistas portugueses para consigo interpretarem as canções, escritas a pensar em cada um: Cuca Roseta, FF, Filipa Cardoso, Gonçalo Salgueiro, Jorge Fernando, José Cid, Júlio Resende, Maria da Fé, Sangre Ibérico e Vitorino.

 

A produção ficou a cargo do mais galardoado produtor e um dos mais brilhantes músicos portugueses, Jorge Fernando. Na guitarra portuguesa, Ângelo Freire e José Manuel Neto; na viola, Jorge Fernando; no baixo, Francisco Gaspar e Máximo Ciuro; no cavaquinho e bandolim, Edu Miranda; nas percussões, Rafa Zamorano; na bateria, David Jerónimo; e nas teclas, José António Pedro.

 

Nas palavras de José Gonçalez: “Deve ouvir-se este disco, não enquanto um disco de fado, mas um disco de música, feito por muita da gente do fado! Fica o desafio para que se possa ouvir este disco até ao fim, convidando cada um dos ouvintes a uma viagem inesperada e surpreendente, numa clara fusão de géneros, sensibilidades, e influências, onde até a electrónica se mistura e funde com os textos, e os instrumentos tradicionalmente portugueses.”

 

Improvável” é provavelmente o disco mais surpreendente editado em Portugal nos últimos tempos!

David Fonseca… Concertos em Lisboa, Leiria e… Heading West

David Fonseca está de regresso a Lisboa para uma apresentação ao vivo integrada no “Monsanto Primavera Fest” que terá lugar entre 5 e 7 de Maio no bairro lisboeta de Benfica, junto ao CC Fonte Nova. O concerto de David, com entrada gratuita, está agendado para o próximo dia 6, sábado, e ocorre semanas após o lançamento do projecto “Bowie 70”, o disco de tributo a David Bowie tocado e produzido por David Fonseca e no qual contou com a colaboração das melhores vozes nacionais.

davidfonseca_1

photo: Paulo Homem de Melo

 

E ainda que o concerto seja integrado na tour “Futuro Eu” não será de enjeitar que algumas surpresas ocorram em palco, designadamente a recuperação de temas da discografia de David Fonseca e que há já algum tempo não integram o alinhamento. Em termos visuais, a marca habitual de David Fonseca far-se-á sentir – um extremo cuidado plástico num concerto de grande dinâmica musical e interpretativa.

 

Ainda em Maio, também a cidade natal de David Fonseca, Leiria, irá poder assistir à sua mais recente produção em palco, num espectáculo agendado para dia 20 no Estádio Municipal, numa noite partilhada com o grupo Xutos & Pontapés. Um local que a 22 de Maio de 2014 assistiu à última apresentação de “Songbook 2014”, a reunião em palco do grupo de que David foi fundador, os Silence 4.

 

Já a 24 de Maio, num registo e escala completamente diferente, David Fonseca juntar-se-á ao colectivo They’re Heading West na Casa Independente para um concerto único. Um encontro com alguns cúmplices dos últimos anos, como o baterista Sérgio Nascimento ou a guitarrista e cantora Francisca Cortesão. O primeiro, na banda de David Fonseca desde 2003; a segunda, que acumulou com o seu projecto Minta & The Book Trout a presença na banda de David durante a tournée de “Between Waves”.

O maior Festival de cultura ibérica acontece este ano em Belém…

Pela primeira vez o Festival Internacional da Máscara Ibérica (FIMI) realiza-se em Belém, cruzando a riqueza do património histórico e cultural envolvente da zona ocidental da cidade com as tradições ancestrais da Península Ibérica.

Durante quatro dias, de 4 a 7 de maio, o Jardim da Praça do Império oferece, assim, uma programação variada, que junta Portugal e Espanha, entre máscaras e caretos, artesanato e produtos regionais, concertos, exposições e muita animação de rua.

fimi_grupos_detalhe_1-1-750x410

Este ano, assinalando Lisboa como Capital Ibero-americana de Cultura, a Colômbia e o Perú são os países convidados do Grande Desfile da Máscara Ibérica, que se realiza no sábado (dia 6), a partir das 16h30, e contará com um total de 36 grupos participantes, nesta que é a edição mais concorrida de sempre.

Os Caretos de Salsas e os Caretos de Grijó (de Bragança), as Madamas de Torre de Dona Chama (de Mirandela) e o Brutamontes do Auto de Floripes (de Viana do Castelo) são os estreantes portugueses que se juntam, neste desfile, a grupos destas e de outras localidades, como Coimbra, Miranda do Douro, Mogadouro, Macedo de Cavaleiros, Mira, Ílhavo e Vinhais.

De Espanha são esperados, pela primeira vez, Los Gigantes y Cabezudos de Aranda de Duero, de Burgos, e da Catalunha, Los Gigantes de Sant Jordi del Tricentenário.

 

Outra das novidades deste ano é a presença da associação Urban Sketchers Portugal que irá realizar uma ‘open call’, convidando todos e todas para o registo artístico, através do desenho, das diversas iniciativas realizadas ao longo dos quatro dias de festival. Este XII FIMI conta ainda com a presença de uma das bandas de gaitas mais reconhecidas em todo o mundo, a Real Banda de Gaitas de Oviedo que irá presentear o público com música tradicional das Astúrias, em atuações no CCB (dia 5) e o no Jardim da Praça do Império (dia 6). Os ritmos folk de raiz tradicional europeia, com elementos de fusão entre o ska, reggae e rock, serão uma constante durante o fim de semana, no Palco Ibérico, com os concertos da Orquestra de Foles e dos grupos Galandun Galundaina, Los Niños de Los Ojos Rojos e Sons do Douro.

 

Paralelamente a esta XII edição do Festival Internacional da Máscara Ibérica, no Museu Nacional de Arqueologia, na Casa da América Latina e na Casa Pia de Lisboa, têm lugar exposições, debates e atuações de grupos de desfile. A cultura ibérica, património e tradição, a desfilar por Lisboa.

De 4 a 7 de maio, a partir das 11h, com entrada livre!

 

Programa completo aqui

Spring On!... Novas Tendências do Jazz na Casa da Música

Na sua sexta edição, o Spring ON! volta a reunir algumas das propostas mais desafiantes do jazz actual, privilegiando os projectos de jovens músicos europeus. As referências podem distanciar-se mais ou menos da tradição do jazz, para se atravessarem sem qualquer pudor pelas sonoridades do rock, da electrónica, das músicas tradicionais ou das novas tendências urbanas, sempre com um foco intenso sobre a improvisação.

cf985f9f-a39e-4f78-983a-4d070238b040

Um fim-de-semana marcado pela frescura criativa e uma oportunidade para ouvir os projectos e os solistas que estão a deixar as sua marca no jazz europeu contemporâneo

 

4 de Maio 2017 | 22:00 (Café Casa da Música)

Eduardo Cardinho Quarteto (Eduardo Cardinho vibrafone, André Rosinha contrabaixo, Pedro Branco guitarra, Marco Cavaleiro bateria)

 

5 de Maio 2017 | 22:00 (Sala 2)

Ararur + Maniscalco-Bigoni-Solborg Trio

Ararur (António Miguel Silvaguitarra e composições, Ângela Maria Santos voz e letras, João Capinha saxofone alto e tenor, Francisco Brito contrabaixo, João Rijo bateria)

Maniscalco-Bigoni-Solborg Trio (Francesco Bigoni piano, Emanuele aniscalco saxofone tenor e clarinete, Mark Solborg guitarra)

 

6 de Maio 2017 | 22:00 (Sala 2)

Ballrogg + Ciranda

Ballrogg (Klaus Ellerhusen Holm clarinetes, Roger Arntzen contrabaixo, Ivar Grydeland pedal steel guitar, guitarra eléctrica, guitarra acústica, banjo e caixa de ritmos)

Ciranda (Gileno Santana trompete, Inês Vaz acordeão)

 

7 de Maio 2017 | 22:00 (Sala 2)

Watchdog + Axes

Watchdog (Anne Quillier piano, Fender Rhodes e Moog, Pierre Horckmans clarinete)

Axes (Pedro Vasconcelos sax barítono, Rui Teixeira sax tenor, Hugo Ciríaco sax alto, Tomás Marques sax alto e soprano, João Mortágua bateria e percussões, Alex Lázaro bateria e percussões)

“Mão Verde” chega este domingo ao Cine-Teatro de Estarreja

Mão Verde” é um concerto temático, em torno das plantas, da agricultura, da alimentação, dos cheiros das ervas aromáticas, da cor das flores e com uma clara motivação ecologista. Começou por ser um espetáculo a dois que, entretanto, deu origem a um disco e um livro, ou melhor a um “lisco” e um “divro” que, sendo para crianças, não se quer infantil; o disco tem música de Pedro Geraldes e lengalengas originais escritas e cantaroladas por Capicua, aos quais se juntam Francisca Cortesão e António Serginho.

4

Canções alegres, com mensagens importantes e personagens inesquecíveis, numa abordagem tão inteligente quanto divertida, para ouvir, ler e colher, cuidar e crescer.

 

Cine-Teatro de Estarreja

7 de Maio 2017 | 17.00h

Rita Redshoes estreia hoje o vídeo do single "Mulher"

Rita Redshoes estreia hoje o videoclipe de "Mulher", o mais recente single retirado de "Her", o álbum editado no final do ano passado. Realizado pela própria Rita Redshoes e André Tentúgal, o vídeo conta com a participação de convidados como Ana Bacalhau, Carlos Vaz Marques, Catarina Furtado, Ivo Canelas, Rita Blanco, entre muitos outros. "É um vídeo sem artifícios. Somos nós. Reais. Homens e Mulheres. Mulheres e Homens", descreve Rita Redshoes.

foto

"Mulher" tem música e letra de Rita Redshoes e é um dos 3 temas em português do disco, uma estreia que tem sido muito bem recebida pelos fãs.

"A canção nasceu de uma inquietação que foi crescendo à medida que também eu me fui tornando mulher. Senti-me e sinto-me inúmeras vezes, a medir espaços. Senti e sinto muitas vezes que os meus movimentos e voz são ignorados ou arrumados em caixas de preconceitos, por homens, mulheres e por mim mesma. Somos necessariamente diferentes e é isso que torna a vida rica, misteriosa e divertida. É uma canção em desabafo envolta num misto de orgulho e força", diz Rita Redshoes sobre o single.

 

“Filhos das Mães” de Martim Pedroso & Nova Companhia em Sines

"Filhos das Mães" é o espetáculo subsequente a "Consegues Ver os Teus Pés?", uma ideia original de Flávia Gusmão para seis atrizes grávidas, que estreou no Teatro Taborda em maio de 2014, sob direção de Martim Pedroso e produção da Nova Companhia.

Filhos_das_M_es__c__Al_pio_Padilha_1_980_2500

Se o primeiro espetáculo era uma divagação sobre como o estado gestacional influi direta e indiretamente na representação de seis atrizes grávidas, o espetáculo que se segue ("Filhos das Mães") é, agora com os filhos todos nascidos, um monumento poético e político à filiação e responsabilidade.

Como é que as mesmas atrizes se posicionam no teatro após a experiência de serem mães?

O que é que os filhos acrescentam a estas mães?

 

Interpretação e co-criação: Flávia Gusmão, Joana Seixas, Katrin Kaasa, Rita Calçada Bastos e Vera Kolodzig

 

Centro de Artes de Sines

7 de Maio 2017 | 17.00h

Música eletrónica de excelência em comunhão com a natureza…

No próximo sábado dia 6 de maio, a FUSE Records regressa a um dos locais que mais sucesso fez nas festas realizadas no ano passado. A Estufa Circular do Jardim da Tapadas das Necessidades, um dos locais mais bonitos e emblemáticos dos jardins lisboetas, será o palco da próxima matiné que produtora irá realizar.

Estufa da Tapada ReYou

O evento Fuse Matiné: Re.You irá decorrer entre as 15h00 e as 23h00 e conta com a presença exclusiva de mais um artista estrangeiro. Desta vez será o DJ alemão Re.You, da produtora mobilee, que irá acompanhar os artistas da FUSE; Nox, The HYPERLINK e Analodjica, para além de Bodhja, dj português em ascensão que irá abrir a pista de dança com as suas sonoridades  tech house.

 

Com a chegada da primavera e dos meses de calor e bom tempo, todos os caminhos para quem procura uma festa totalmente diferenciadora e em harmonia com a natureza vão dar ao jardim da Tapada das Necessidades.

A Estufa Circular, o palácio, os jardins e espaços circundantes foram construídos na Dinastia de Bragança e são um dos locais mais emblemáticos e lendários da história de Portugal, desde 1850, sendo certamente o local ideal para uma festa FUSE. Este ano a produtora aposta ainda mais no bem-estar de todos os presentes, melhorando a experiência de todos com a refrigeração exclusiva do local da festa, tornando o ambiente ainda mais agradável com o apoio do parceiro Ameno.

"Wax" é o novo tema dos Time For T

Depois de “Tom Tom” e “Rescue Plane”, “Wax” é o mais recente single de avanço do novo álbum dos Time For T a lançar ainda este ano.  O novo tema vai ao encontro da sonoridade que a banda já nos habituou nos três EPs anteriores: uma mistura de influências que atravessa diferentes sons e culturas, desde ritmos do afrobeat ao indie, folk e rock & roll.

a1439130885_10

"Hoping Something Anything" é o nome do primeiro álbum de longa duração dos Time For T, gravado ao longo deste ano nos Spitfire Audio Studios em Londres e masterizado pelo JJ Golden (Rodrigo Amarante, Devendra Banhart, Vetiver) em Ventura, California. Segundo a banda, a gravação deste álbum "foi uma experiência muito especial já que fomos nós próprios a produzir o disco e, com isto, conseguimos explorar, sem limitações, as sonoridades que tínhamos imaginado".

Time For T caracterizam o novo trabalho como clandestino: " Gravámos o disco, quase clandestinamente, sempre pela noite, já que era nessa altura que o estúdio ficava vazio. Acabávamos sempre as gravações de manhã, quando o resto do mundo se estava a levantar".

 

A.M.A. apresentam os síngles "Não Estamos Sós" e "Ama"

Os A.M.A. apresentam os singles “Não Estamos Sós” e “Ama” respetivamente a 12 e 19 de Maio. A banda de Santa Maria da Feira é composta por Joana Andrade e Zé Tó Lemos.

17952599_1473142362727715_1600302508688920859_n

Não Estamos Sós” é o primeiro de vários singles que irão ser lançados este ano. Todas músicas e letras são compostas e produzidas pelos A.M.A. Os A.M.A. desafiam a criatividade e trabalham para lançar uma música por mês.

O estilo é viciante e irresistível num universo entre os sintetizadores e as melodias de piano. As letras, retratam essencialmente histórias de amor com as duas vozes em uníssono num timbre único e original. Uma verdadeira viagem pela Eletrónica, Pop, R&B.

 

Excecionalmente Maio terá 2 singles.

The Quartet Of Woah!... Single "Days Of Wrath" estreia hoje…

O segundo álbum dos The Quartet Of Woah!, banda formada em 2010 por Gonçalo Kotowicz, Rui Guerra, Miguel Costa e André Gonçalves, chegou na passada sexta-feira, dia 28 de Abril às plataformas digitais de venda e streaming. "Days of Wrath", um dos temas do álbum, leva agora uma nova roupagem pensada especialmente para a sua passagem nas rádios.

4a36683e-208b-49c7-a3e1-550235d7a47b

Quase 5 anos volvidos desde o aclamado álbum de estreia "Ultrabomb", e depois de várias tours nacionais e internacionais, o quarteto voltou a estúdio para desenhar este novo álbum que promete voltar a dar que falar pela crítica e pelos ouvintes.

 

Como surpresa para os fãs, para além do novo álbum "The Quartet of Woah!" a banda disponibiliza também digitalmente o antecessor "Ultrabomb".

Um dois em um muito aguardado pelos amantes do Rock Português.

Bell estreia-se em português com "Teia (feat. G.)"

Teia" fala de uma mulher sedutora que lança o seu charme e a sua sedução para conquistar, tal como uma aranha que lança a sua teia, como que um feitiço, mas que acaba por beber do seu próprio veneno e fica presa também ela na teia do amor. Menos fantasiado, fala de muitas histórias de amor que acontecem quando menos esperamos, onde duas almas se cruzam e, inexplicavelmente, não se largam mais. "Teia" é o single de apresentação do EP de colaborações que Bell aka Maria Sampaio vai editar depois do Verão.

39e186d5-6376-412f-b810-8ad339071de1

"Teia" marca uma viragem na carreia da cantora, e também actriz, ao compor todos os temas, e pela primeira vez em português. Com influências musicais da soul, reggae, trap, dance e jazz (aliada à sua formação clássica), Bell dá primazia à junção entre o “old school” e um conceito novo e fresco, aglomerando o melhor de cada influência à sua identidade pessoal e musical, criando um som único e genuíno.

"Teia" foi co-produzido por Bell, Gonçalo Cabral (G.) e pelo produtor Nikaro.