Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Agora é possível conhecer a bela ilha de San Simón na Galiza…

O Milhões de Festa e o Festival Sinsal, na ilha de San Simón, na Galiza tão irmã do Minho, sempre criaram sinergias e partilharam audiências, sempre com vista ao crescimento de ambos, mas 2017 surge como um ano-chave para esta relação: pela primeira vez, os dois festivais vão partilhar audiências, ingressos e proporcionar uma experiência conjunta.

untitled

O bilhete conjunto Milhões de Festa & Festival Sinsal está disponível por 55€ e compreende entrada no festival galego a 21 de Julho, sexta-feira, e no Milhões de Festa na noite de 21 e no dia 22 de Julho. Também incluídas no preço estão as viagens de barco, ida e volta, para a ilha de San Simón, onde decorre o Sinsal, e a viagem de autocarro que parte de Redondela às 22h45 em direcção a Barcelos.

 

O Sinsal é um festival diurno limitado a 800 pessoas, que decorre na ilha de San Simón, nas Cies junto à costa galega. Decorre de 21 a 23 de Julho e apresenta, uma vez mais, um cartaz surpresa a ser desvendado à chegada ao recinto. O Milhões de Festa regressa a Barcelos de 20 a 23 de Julho e já tem confirmados Graveyard, The Gaslamp Killer, GNOD & faUSt, Powell, Meatbodies e Pigs Pigs Pigs Pigs Pigs Pigs Pigs, entre outros

Paraguaii e Hot Air Balloon sobem ao palco do Café Concerto do CCVF...

Maio é o mês que encerra o ciclo de concertos Som de GMR. No âmbito desta iniciativa, passaram pelo Café Concerto do Centro Cultural Vila Flor Captain Boy, Gobi Bear, Toulouse, Lince (integrado no cartaz do Westway Lab Festival) e El Rupe. Agora, mais dois concertos estão reservados para este palco, dando por terminada este ciclo que juntou vários projetos musicais com origem na cidade de Guimarães. No dia 5 de maio, os Paraguaii apresentam o novo álbum, “Dream About the Things you Never Do” e, no dia 19, os Hot Air Balloon fazem uma visita guiada ao primeiro trabalho, “Behind the Walls”. Os concertos têm início à meia-noite e são precedidos, às 19h00, por conversas informais com os artistas, com moderação do jornalista Samuel Silva.

SOM de GMR

No dia 5 de maio, o público do Café Concerto do CCVF vai poder ouvir as músicas que compõem o último disco dos Paraguaii, "Dream About The Things you Never Do", em que a banda se lança num registo assumidamente mais pop. São oito temas que propõem um jogo constante entre os universos mais dançantes da música eletrónica, nascida ou devedora dos anos 80, e a genética rock do coletivo. Composto, gravado e produzido pela própria banda, o segundo registo de originais desconstrói a rotina dos dias, atacando o caráter mortífero do comodismo e do hábito ao mesmo tempo que se fala de mulheres fatais, sonhos e virgindades espirituais.

 

No dia 19, também às 24h00, o SOM de GMR termina o seu ciclo de concertos com os Hot Air Balloon. De pontos opostos da costa Atlântica da Europa, o duo com raízes Irlandesas e Portuguesas carateriza-se por soar profunda e delicadamente. A voz doce, calorosa e indelével de Sarah-Jane Burke encontra-se com a musicalidade técnica de Tiago, complementando-se numa performance harmoniosa, íntima e inesquecível. Os Hot Air Balloon formam-se no verão de 2013 e cativam, desde então, a atenção cuidada de audiências de vários países.

FMM Sines 2017 cresce com mais 15 confirmações

O programa da 19.ª edição do FMM Sines – Festival Músicas do Mundo 2017, que se realiza de 21 a 29 de julho em Sines e Porto Covo, tem 15 novos concertos confirmados. Um reforço do alinhamento com artistas de cinco continentes e uma grande diversidade de géneros musicais.

NessiGomes_1_970_2500.jpg

 

Bareto é uma orquestra de sete elementos que toca e canta música tropical peruana. Por música tropical, no seu caso, entende-se uma mistura de cumbia, salsa e merengue com um substrato de rock, reggae e dub. No reverso do lado solar dos ritmos, estão letras que desvendam as sombras da sociedade peruana.

Boi Akih é um quarteto de jazz sedeado em Amesterdão. Tem uma ligação melanésia na cantora Monica Akihary, com raízes nas Ilhas Molucas, cujos cantos sagrados inspiram o novo álbum do grupo. Os outros músicos são o guitarrista Niels Brouwer, o clarinetista Tobias Klein e o percussionista Ryoko Imai.

Bulldozer é um projeto de música de dança que funde a champeta colombiana com o soukous da R. D. Congo, com recurso à eletrónica. O grupo é liderado pelo guitarrista e produtor colombiano Fabián Morales, acompanhado por Adela Espitia na voz e percussões e por Sandro Londoño na bateria e percussões.

C4 Trío é um agrupamento criado em redor do cuatro venezuelano, cordofone da família do cavaquinho que é considerado o instrumento nacional daquele país caribenho. O núcleo do grupo é formado pelos cuatristas Edward Ramirez, Hector Molina e Miguel Siso. São acompanhados pelo baixista Gustavo Marquez.

Cantos de Cego da Galiza e Portugal é um projeto trazido ao FMM Sines 2017 pelo músico português César Prata e pelo músico galego Ariel Ninas. Em palco, tocam vários instrumentos, mas a sanfona é o que ocupa o papel central, porque, desde a Idade Média, foi a melhor companheira dos cegos cantores.

Coladera junta o violão da herança brasileira do cantor e compositor mineiro Vítor Santana e a viola com fado e flamenco do compositor e guitarrista português João Pires. Unem musicalmente o espaço da língua portuguesa com a colaboração do percussionista e cantor Miroca Paris, natural de Cabo Verde.

Gustavito é um dos principais cantautores independentes de Belo Horizonte. Juntamente com a banda Bicicleta, lançou o álbum “Quilombo Oriental”, homenagem MPB ao "Pena de Pavão de Krishna", bloco do carnaval belo-horizontino que mistura o imaginário indiano com o ritmo afrobrasileiro Ijexá.

Ifriqiyya Électrique traz para o palco os rituais sufi da comunidade Banga do oásis tunisino de Tozeur. É mais um projeto da dupla franco-italiana François M. Cambuzat / Gianna Greco, ou seja, o art rock europeu ao encontro da música de raízes que ainda sobrevive na margem sul do Mediterrâneo.

La Mambanegra é uma das melhores orquestras de salsa da nova geração - uma das cinco bandas colombianas que o mundo não pode deixar de conhecer, segundo a revista Billboard. A sua sonoridade está baseada na salsa nova-iorquina dos anos 70, com elementos de música jamaicana, funk e hip hop.

Maria Arnal i Marcel Bagés é um dos duos mais interessantes da nova cena musical catalã. O seus EPs "Remescles, acoples i melismes" e “Verbena” revelaram-nos como esplêndidos reintérpretes de vários cancioneiros da Península Ibérica. Acabam de lançar o álbum de estreia, "45 cerebros y 1 corazón".

Medeiros/Lucas são Carlos Medeiros e Pedro Lucas, dois ilhéus açorianos separados por 30 anos. A voz de Medeiros é o veículo das histórias. Lucas, que já veio a Sines com o seu projeto O Experimentar Na M'Incomoda, junta-lhe juventude e irreverência na abordagem à guitarra elétrica e à tecnologia.

Nessi Gomes (na fotografia) é uma cantautora de Guernsey, uma das ilhas britânicas do Canal da Mancha. Inglesa filha de imigrantes portugueses, cria e interpreta canções que forte cunho pessoal com influências de folk e do fado com que cresceu. No FMM Sines, apresenta o seu álbum de estreia, “Diamonds & Demons”.

Orlando Julius & Bixiga 70 é o encontro de um clássico da música africana com uma orquestra que, a partir de S. Paulo, está a abrir novos caminhos para o afrobeat, o jazz e as músicas de inspiração africana em geral. O concerto em Sines é um exclusivo europeu e é parte de uma colaboração de que sairá um disco em 2018.

Sumrrá é um trio de jazz oriundo de Santiago de Compostela, um dos mais premiados de Espanha. Caracteriza-se por um jazz melódico, sem escolas nem modelos. Junta o baterista L. A. R. Legido, o pianista Manuel Gutierrez e o baixista Xacobe Martínez Antelo.

Tulegur é um cantor e intérprete de guitarra acústica natural da região chinesa da Mongólia Interior. A herança do lugar onde nasceu é a sua fonte inspiradora. O rock acústico e a música eletrónica são as influências que modelam a sua estética. É acompanhado pelo percussionista e guitarrista Zongcan.

O CHAOS de Luís de Matos em Santa Maria da Feira

Luís de Matos CHAOS é o novo one man show do mágico português mais premiado e distinguido de sempre.

Da mesma forma que o bater de asas de uma borboleta em Tóquio pode provocar um furacão em Nova Iorque, também a presença de cada espectador se reflete em cada representação de Luís de Matos CHAOS. Uma jornada inesquecível, plena de interação e mistério, repleta de feitos inexplicáveis que perduram na memória de cada espectador que os vive.

Capa Site

Em Luís de Matos CHAOS os mais estranhos elementos interagem de forma mágica e surpreendente. Saramago disse um dia que o caos é uma ordem por decifrar. Em Luís de Matos CHAOS, o decifrar não é uma opção. Os noventa minutos de espetáculo são uma combinação única da imaginação coletiva de todos que nele participam.

Luís de Matos CHAOS é uma experiência mágica sem precedentes, uma coleção de mistérios tornados realidade em cada representação, constituindo uma viagem mágica pessoal, intransmissível e memorável. Ilusão ou realidade? A escolha é sua.

 

CineTeatro António Lamoso (Feira)

6 de Maio 2017 | 22.00h

Márcia ao vivo em Ponte de Lima

Márcia queria ser pintora e cursou Belas-Artes. Talvez seja por isso que a sua música tenha a delicadeza de um traço numa página em branco, ou invoque cores pintadas com paciência numa tela. Márcia também fez tangentes ao cinema, e talvez seja por isso que a sua música nos crie imagens tão fortes na cabeça…

Mas Márcia, na verdade, descobriu-se como cantora e compositora, mesmo que ao princípio a música não passasse de um hobby sugerido pela guitarra do irmão. Esse hobby foi conquistando cada vez mais espaço e em 2002 frequenta a escola de jazz do Hot Clube. Estava escrito: foi na música que Márcia se encontrou – e que o público a encontrou.

marcia_4x3_

Foi em 2009 que Márcia se estreou em nome próprio com um EP de cinco temas chamado apenas “Márcia”, publicado pela Optimus Discos, já depois de ter participado com a versão original d’ “A Pele Que Há em Mim” na colectânea “Novos Talentos FNAC” do mesmo ano. Algum público mais atento já a reconheceria como uma das vozes do Real Combo Lisbonense, do qual fez parte entre 2008 e 2012.

 

Desde a edição do primeiro EP as coisas têm vindo a crescer, com paciência e segurança. Como quem se coloca frente a uma tela branca com pincéis e tintas a ver onde a inspiração a leva.

Podemos ter perdido uma pintora ou uma cineasta, mas ganhámos uma cantora e compositora “sem igual” na actual paisagem portuguesa. Márcia está de regresso aos palcos.

 

Teatro Diogo Bernardes (Ponte de Lima)

6 de Maio 2017 | 22.00h

João Oliveira e Rita Afonso representam Portugal no Festival Fashionclash...

No âmbito da parceria de intercâmbio da ModaLisboa com o FashionClash, os jovens designers do Sangue Novo, João Oliveira e Rita Afonso, vão representar Portugal no Festival de Moda de Maastricht, que se realiza entre 29 de junho e 2 de julho, sob o tema “Fashion Makes Sense”.

FashionClash2017

João Oliveira venceu o Prémio FashionClash no Sangue Novo de outubro de 2016 e Rita Afonso foi distinguida com o mesmo prémio em março de 2017. Os dois designers são os únicos portugueses presentes na edição deste ano do Festival de Moda Holandês, que reúne talentos emergentes de todo o mundo.

“Now That We’re Live”… Ensaio especial dos Metallica transmitido em direto no facebook

Os Metallica acabam de anunciar que “Now That We’re Live”, o ensaio especial da banda no M&T Bank Stadium, em Baltimore, será transmitido em direto e em exclusivo no Facebook Live à 1h da madrugada de 9 para 10 de maio, na véspera de arrancarem com a “WorldWired Tour”, digressão que passará por Portugal a 1 de fevereiro de 2018, na MEO Arena, em Lisboa.

Captura_de_ecra_2017_03_15_a_s_17_59_06

Neste ensaio especial “Now That We’Live” os Metallica vão interpretar por completo quatro canções do seu repertório, incluindo o atual single “Now That We’re Dead”. Esta transmissão em direto oferece aos fãs um vislumbre da produção grandiosa que caracteriza a digressão “WorldWired”. Após a transmissão, o especial estará disponível nos serviços on-demand.

Estamos muito entusiasmados por podermos partilhar estes ensaios e a pré-produção final do espetáculo com os nossos amigos que estão espalhados por todo o mundo. Esperemos que se juntem a nós enquanto arrancamos em grande força com a digressão”, disse Lars Ulrich dos Metallica.

Um número muito limitado de membros sortudos do Fifth Club terão a oportunidade de estar presentes neste ensaio, sendo que para concorrer é preciso aceder ao site Metallica.com.

Os espectadores também poderão fazer donativos para a fundação dos Metallica, a All Within My Hands Foundation, que apoia um conjunto representativo de instituições de caridade dos EUA e que os membros individuais da banda apoiam, bem como programas de educação musical e bancos alimentares, através do Facebook Live.

O mais recente álbum dos Metallica, “Hardwired… To Self Destruct” foi lançado a 18 de novembro de 2016, através da editora do grupo, a Blackened Recordings, e entrou diretamente para o n.º 1 dos tops de vendas em todo o mundo, vendendo mais de 800 mil cópias mundialmente na primeira semana. O álbum foi produzido por Greg Fidelman com James Hetfield e Lars Ulrich e está disponível em vários formatos.

Melech Mechaya apresentam “Aurora” ao vivo em Ponte de Lima

Os Melech Mechaya abrem a sua nova tour, em que irão apresentar o seu mais recente trabalho, “Aurora”, prestes a ser lançado, no Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, numa noite em que se espera um concerto marcado pela boa disposição, como sempre acontece nos espectáculos desta formação.

melech_mechaya_4x3_

A comemorar 10 anos de carreira, os Melech Mechaya estão de regresso aos discos com o surpreendente “Aurora”, o quarto longa-duração do grupo. O disco foi misturado por Tony Harris (que trabalhou com nomes como R.E.M., Sinead O’Conner e Verve), e inclui as participações especiais dos portugueses Filipe Melo (piano) e Noiserv (voz), e da cantora espanhola Lamari de Chambao.

 

Depois dos bem-sucedidos “Aqui Em Baixo Tudo É Simples” e “Gente Estranha”, discos que foram apresentados em mais de 150 concertos em 10 países de 3 continentes, “Aurora” representa o trabalho mais inovador e original do quinteto, alargando os horizontes da música klezmer para uma sonoridade única que é só deles.

Os Melech Mechaya são João Graça: violino; Miguel Veríssimo: clarinete; André Santos: guitarra; João Novais: contrabaixo; Francisco Caiado: percussão.

 

Teatro Diogo Bernardes (Ponte de Lima)

5 de Maio 2017 | 22.00h

16 festivais de música portugueses com distinção EFFE Label

Um total de 65 festivais de arte e cultura portugueses, dos quais 16 são festivais de música, tiveram a sua candidatura aprovada para exibição do selo Effe Label no biénio 2017 e 2018. A taxa de sucesso das candidaturas nacionais foi de quase 86%.

EFFE_LABEL_LOGO

De entre os festivais com selo, existem já nomes repetentes, como Festival Med; Fora do Lugar ou FMM Sines. Ao longo destes dois anos existirão várias ações de networking e encontros entre os detentores deste selo com o objetivo de potenciarem o impacto criado por esta distinção, e do qual se destacam os prémios, em diferentes categorias, no final desta ação

 

Este projeto, financiado a nível europeu, teve várias fases de candidatura, culminando com um júri internacional que validou as candidaturas de diferentes países da Europa (os 28, correspondentes aos atuais estados -membros da UE).

A etapa intermédia foi realizada por um conjunto de jurados portugueses que deram a sua opinião sobre as candidaturas portuguesas, e onde se incluiu o atual presidente da Aporfest, Ricardo Bramão.

 

Fonte: Aporfest

Novo single de Katy Perry, “Bon Appétit” (feat. Migos)

Recentemente, Katy Perry levantou novamente a ponta do véu do seu próximo álbum com o lançamento dum novo single, “Bon Appétit”. O tema conta com a participação do trio de hip hop, estabelecido em Atlanta (EUA), Migos. Katy coescreveu “Bon Appétit” com Max Martin, Shellback, Oscar Holter, Ferras Alqaisi e os Migos. A canção já está disponível para streaming e download em todas as plataformas digitais.

katyperry

Katy atuará pela terceira vez no último episódio da atual temporada do programa “Saturday Night Live”, a 20 de maio. “Chained to the Rhythm”, o primeiro single do novo álbum, foi certificado com a marca de Platina nos EUA. No Reino Unido, “Chained to the Rhythm” chegou ao n.º 1 nas tabelas de airplay e tornou-se o maior êxito de airplay dos últimos 12 meses. O single também liderou as tabelas de airplay na Irlanda, Austrália, Alemanha, Itália, Finlândia, Espanha, Dinamarca, Polónia e Japão.

Katy estreou-se na Capitol Records em 2008 com “One of the Boys”, depois de assinar pela editora em 2007. Cimentou o seu estatuto de superestrela global com o álbum seguinte, “Teenage Dream” (2010). “PRISM”, o álbum de 2013, entrou para o n.º 1 dos tops do iTunes em 100 países e vendeu mais de 12,5 milhões álbuns em todo o mundo. Com os singles “Firework” e “Dark Horse” a ultrapassarem, cada um, os 10 milhões de vendas e streams, Katy é a primeira artista feminina a conquistar dois RIAA Digital Single Diamond Awards.

Stax Records celebra 60 anos com muitas novidades

A Concord Music Group e a Rhino Entertainment orgulham-se de anunciar uma campanha conjunta para celebrar o 60.º aniversário da icónica editora de soul, a Stax Records. De forma a homenagear Soulsville, a melhor música produzida pela Stax será editada em novas compilações, LPs, rematerizações em alta resolução digital e caixas de luxo. Estes lançamentos vão abarcar os êxitos incontornáveis da Stax, bem como temas raros de alguns dos artistas lendários da editora, incluindo Otis Redding, Booker T & the MGs, Isaac Hayes, Staple Singers, CarlaThomas, Rufus Thomas, Johnnie Taylor, Eddie Floyd, William Bell, Sam &Dave, Albert King, Mable John, the Mad Lads, e muitos mais.

Stax60_logo_SNAP_horiz_RED

Esta colaboração entre a Rhino e a Concord arranca a 19 de maio com o lançamento da série Stax Classics, que consiste numa série de 10 discos com preços amigáveis que vão destacar cada um dos maiores artistas da editora, que serão acompanhados com novos textos. Disponível em CD, formato digital e em streaming, estes álbuns celebrarão as carreiras prolificas de Otis Redding, William Bell, Johnnie Taylor, Carla Thomas, Booker T & The MGs, The Dramatics, Albert King, Sam & Dave, Isaac Hayes e Staple Singers.

Ao longo do ano, tanto a Concord como a Rhino vão reeditar vários álbuns icónicos da Stax em vinil, incluindo a versão do 50.º aniversário de “King & Queen”, de Otis Redding & Carla Thomas, a banda sonora inovadora de “Sweet Sweetback’s Baadasssss Song”, de Melvin Van Peebles, a raridade que é o disco “John Gary Williams”, do líder dos Mad Lads, e ainda o clássico de 1965 “The Great Otis Redding Sings Soul Ballads”, de Otis Redding.

Ambas as editoras vão ainda colaborar numa caixa de 3CD que celebra este 60.º aniversário, e numa nova edição da aclamada série de caixas “Complete Stax Singles”. O Volume 4 vai focar-se na natureza diversa do catálogo da editora, incluindo singles lançados não só na Stax e Volt, mas também na Enterprise, Hip, Chalice, Gospel Truth, e outras. Tanto a Rhino como a Concord vão continuar a reeditar digitalmente o seu catálogo, revelando masterizações em alta resolução e para o iTunes de alguns dos seus títulos mais populares, além de tornarem muitos álbuns disponíveis pela primeira vez nos serviços de streaming e digitais.

O álbum de estreia de Mary N... “Patience"

Mary N é de Lisboa, nasceu a 21 de Abril de 1995, e é compositora, escritora e intérprete das suas músicas. É uma autodidata e multi-instrumentista, sendo o seu instrumento de eleição a guitarra… Tudo começou aos 10 anos quando recebeu a primeira guitarra.

Começou por aprender música clássica, mas apenas queria saber da Pop e principalmente do Rock. Durante 2 anos teve aulas de guitarra, aprendeu sozinha a tocar baixo, bateria, piano e sempre gostou de cantar. Aos 15 começou a compor e decidiu que um dia partilharia a sua música. Depois de anos a compor sente-se confiante e com maturidade para se mostrar, e estreia o seu primeiro single “Don’t wanna hear you” com o rapper nacional D8.

14670723_1715246715461848_5440583769135425471_n

Em 2016, começou a produzir o seu álbum de estreia “Patience”, lançado em Março de 2017. O disco já se encontra à venda nas principais lojas online. A artista encontra-se já numa digressão pelas Fnacs, começando pelas de Lisboa, tendo tido uma ótima receção por parte do público, com todos os exemplares do álbum em versão física vendidos no próprio dia dos showcases.

Estará presente no festival “Rock In Amadora” em Julho.
Mary N é a primeira aposta da Motim.

Novo single de Carlão… “Viver Pra Sempre”

Viver Pra Sempre” é o novo single de Carlão e o segundo tema do álbum que será editado no último trimestre de 2017, após o primeiro avanço com “Agulha no Palheiro". Com letra de Carlão e música de Boss AC, “Viver Pra Sempre” chega hoje às rádios e está disponível para compra online e escuta nas plataformas digitais.

CARLAO_VPS_COVER

O vídeo, estreado ontem à noite, foi realizado por Fernando Mamede (Fanan), com quem Carlão já havia colaborado nos vídeos de “Os Tais” e “Entre o Céu e a Terra”. Foi gravado em Almada, no bairro onde cresceu, numa festa que juntou várias gerações de elementos da sua família e amigos. Uma celebração da vida que Carlão partilha com os seus e em que transmite uma mensagem universal sobre passado e futuro: vivemos para sempre, uns nos outros.

Carlão já se encontra na estrada, com um espectáculo renovado e a apresentar estes novos temas, com DJ Glue, Nuno Espirito Santo, no baixo, Gil Pulido, nas teclas, e Bruno Ribeiro na voz.

Wim Mertens apresenta novo trabalho ao vivo!

Wim Mertens regressa a Portugal em formato piano solo e voz para interpretar o tríptico Cran aux Oeufs (formado pelos discos “What are we locks to do”, “Charasktersketch” e “Dust of Truths”), obra que questiona as ligações entre a  canção, a poesia e a verdade.

wimmertens-2

A música de Wim Mertens alimenta os mais fervorosos e por vezes até imprevisíveis cultos: Raymond Benson, um dos escritores responsáveis pelas continuadas sagas de James Bond, inclui uma referência à música do compositor belga na aventura do agente secreto britânico que levou o título de “High Time To Kill”, em 1999. O que faz pleno sentido, afinal de contas, mistério é o que não falta nas composições deste prolífico artista que já lançou mais de 60 títulos desde que se estreou em disco em 1980.

 

Mertens já compôs para cinema, teatro e até para passagens de moda da prestigiada casa Dior. E tem uma carreira recheada de prémios e distinções, tendo inclusivamente sido nomeado para Embaixador Cultural da Flandres.

Em Portugal, apresentará este novo espetáculo que tem merecido os mais veementes aplausos nas melhores salas da Europa.

 

5 de Maio 2017 – Teatro Municipal Guarda

6 de Maio 2017 – Centro Cultural Olga Cadaval (Sintra)

7 de Maio 2017 – Teatro das Figuras (Faro)

13 de Maio 2017 – Theatro Circo (Braga)

“A mulher mais bonita do mundo”… de Pierre Aderne

A "Rua das Pretas" é a casa de Pierre Aderne, que se tornou conhecida pelas míticas tertúlias musicais, por onde já passou a fina Flor da música do mundo, que acabou por gerar conteúdo para 3 séries televisivas emitidas pelo Canal Brasil (Globo), Sic Noticias e RTP. Por lá já passaram nomes como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Ana Moura, Carminho, Melody Gardot, Tito Paris, Antonio Zambujo, Jorge Palma, Dadi entre tantos outros. Desta vez a Rua das Pretas recebe "Da janela de Inês". Um concerto intimista de seu novo e bem recebido álbum, onde Pierre apresenta a "sua" Inês a um pequeno público (limitado a 40 pessoas).

untitled

photo: Carlos Mendes Pereira

 

Além das canções do novo disco e de convidados surpresa a cada noite, a malta molha a garganta com os vinhos da Soalheiro e da Niepoort e a noite só termina após uma feijoada servida directamente na cozinha do cantor. A juntar à festa Pierre Aderne lança "A mulher mais bonita do mundo" é o segundo single "da janela de Inês", sexto álbum a solo de Pierre Aderne.

 

"A mulher mais bonita do mundo" é o dia 1, a primeira página deste livro cantado, que revela a ambiguidade de sua personagem Inês - uma mulher bela, corajosa, medrosa, sonhadora, fria e afetuosa... Recebam-na com calor nos olhos e mansidão nos ouvidos.

 

Reservas para o Rua das Pretas : naruadaspretas@gmail.com

Após confirmação o publico recebe a morada por e-mail.

Quando? Todos os sábados de maio às 19:00 horas

 

O Sol da Caparica promete em 2017… Muitas novidades na 4ª edição

António Zambujo, Best Youth, Bispo, Carlão, Bonga, Carlos do Carmo, Criolo, Dealema, Djodje, HMB, Mafalda Veiga, Manel Cruz, Mariza, Matias Damásio, Regula, Sam Alone e Xutos e Pontapés no maior cartaz de sempre na Caparica. A quarta edição do festival O Sol da Caparica, que terá lugar entre 10 e 14 de agosto, foi o pretexto ideal para reunir uma série de artistas na Casa da Cerca, em Almada, com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Almada, Joaquim Judas, de vários membros do executivo e também de muitos dos artistas que integram o cartaz da edição de 2017.

01

photo: Gonçalo Silva

 

Dealema, Bispo, Carlão, HMB, Mafalda Veiga, António Zambujo, Djodje, Bonga, Matias Damásio, Rita Guerra e Xutos e Pontapés marcaram presença na apresentação de um cartaz recheado de grandes novidades. Joaquim Judas, presidente do executivo almadense, salientou "o bom investimento na nossa cultura" que representa O Sol da Caparica: "um bom investimento na nossa língua, inclusivamente apreciado por outras capitais da língua portuguesa", como fez igualmente questão de frisar, depois de uma apresentação aplaudida do evento numa reunião que recentemente teve lugar em Luanda. "Um grande festival da Lusofonia que se realiza em Almada para todo o país e para o mundo", concluiu Joaquim Judas.

02

photo: Anabela Luis

 

António Miguel Guimarães, o diretor artístico do festival, começou por avançar os números de um festival absolutamente singular: "45 artistas, 500 músicos, artistas que vêm de cinco países, fazem d'O Sol da Caparica uma proposta diferente! "São 1300 trabalhadores que erguem o festival, incluindo 250 voluntários que são uma força fundamental para estes quatro dias de cultura", explicou. "Promovemos a cultura urbana na sua diversidade de disciplinas, a musica, claro, mas também as artes plásticas, com a língua portuguesa a afirmar-se como a matriz de todo o festival, com o vídeo, presente nos duzentos filmes da Monstra, a poesia e a palavra declamada, a dança. É de todas estas formas de expressão que se faz o nosso festival", salientou António Miguel Guimarães

03

photo: Anabela Luis 

 

"Queremos que seja um espaço em que a língua portuguesa se possa exprimir, mas também noutras línguas como o crioulo ou as línguas de Angola. Isso faz a diferença e a diferença é um dos princípios que fazemos questão de defender". "O hip hop, a musica popular, a electrónica, o rock, a soul, a musica para crianças, as musicas africanas. Tudo isso está presente no festival", acrescentou, apontando o dedo a uma diversidade que explica o sucesso crescente de um evento que cresceu em espetadores em cada uma das três edições anteriores.

04

photo: Anabela Luis 

 

"Tudo isto é possível!", assegurou ainda António Miguel Guimarães, "porque se trata de um festival público, criado para o público, por uma instituição pública, a Câmara Municipal de Almada, que entende o direito das pessoas de terem acesso à cultura”.

No final da apresentação houve ainda lugar à estreia do novo single de Carlão, "Viver pra sempre", que conta com um vídeo rodado nas ruas de Almada. "Foi aqui que eu andei na escola e pisar este palco tem sempre essa responsabilidade acrescida de saber que do outro lado estão alguns dos meus antigos colegas", explicou o artista.

noiserv apresenta vídeo para "Se o tempo não falasse"

"Há um tempo atrás, há um mundo atrás, a correr por cá, a puxar para cá" é assim que começa a mais recente canção de noiserv.

Distante do piano a várias mãos que nos apresentou em “00:00:00:00”, nesta canção o músico lisboeta faz-se acompanhar pela voz de Inês Sousa e embala-nos de novo com a sua orquestra de sons.

18198417_10155160027496678_2202985478597603048_n

Apresentaram esta canção na edição mais recente do Festival da Canção e divulgam agora o vídeo da mesma, com realização e edição de ambos.

“Se o Tempo não Falasse” faz parte parte do disco “Festival da Canção 2017” recentemente editado pela Sony Music Portugal.

 

Próximos Concertos:

5 de Maio 2017 – Salão Medieval da UMinho (Braga)

6 de Maio 2017 – Teatro Stephens (Marinha Grande)

2 de Maio 2017 – Os Artistas (Faro)

13 de Maio 2017 – Teatro Municipal (Portimão)

20 de Maio 2017 – TAGV - Teatro Académico Gil Vicente (Coimbra)

27 de Maio 2017 – Matadero / Madrid (Espanha)

Kumpania Algazarra de malas feitas para Berlim

Os Kumpania Algazarra são a banda de encerramento do Festival Shake Your Brass no IGA Berlin dia 6 de Maio. No mesmo dia, a banda tem também agendado concerto na mítica sala SO36, onde fará parte da noite Klub Balkanska.

Antes de voltarem a Lisboa a Algazarra passa ainda pela sala Artistania, no Domingo, 7 de Maio, para participar em mais uma noite do Festival Shake Your Brass onde será cabeça de cartaz.

16110a8f-0fb8-4d43-8673-46dbe54f9591

 Reconhecidos pela animação dos seus espectáculos, seja em palco ou nas ruas, os Kumpania Algazarra continuam a apresentar o seu último disco "Acoustic Express" enquanto preparam um novo single a editar muito em breve.

A tour 2017 conta já com passagem por Festivais em 5 países europeus.

 

6 Maio 2017 - Festival Shake your Brass / IGA Berlim (Alemanha)

6 Maio 2017 - Klub Balkanska SO36 / Berlim (Alemanha)

7 Maio 2017 - Festival Shake your Brass Artistania / Berlim (Alemanha)

21 Maio 2017 - Kokopelli Festival / Gullegem (Belgica)

10 Junho 2017 - Festival Millo Verde / Redondela (Espanha)

24 Junho 2017 - Dia Grande Herdade do Esporão (Reguengos de Monsaraz)

7 Julho 2017 - Festival Terra Transmontana (Mogadouro)

Julho 2017 - Festival Íboga Summer Fest / Valência (Espanha)

29 Julho 2017 - Festival Folk Celta (Ponte da Barca)

30 Julho 2017 - Feira de Enchidos, Queijo e Mel (Vila de Rei)

Jonathan Uliel Saldanha… Exposição na Culturgest Porto

A obra de Jonathan Uliel Saldanha tem vindo a centrar-se na criação musical e de ambientes sonoros, por vezes também na produção de imagens. Na Culturgest Porto o artista apresenta uma instalação vídeo em quatro canais pensada especificamente para o espaço da Culturgest, para a qual concebeu um ambiente sonoro que parte de duas composições respetivamente para coro e voz solo.

jonathan_saldanha_afasia_tatica

Nas imagens dos quatro ecrãs vão-se sucedendo cenas cuja relação vai sendo construída pelo espectador a partir de indícios que o artista deixa antever nas diferentes sequências, em boa parte sugeridas por um comum tom ritualístico. Embora saibamos que as sequências fílmicas (bem como o ambiente sonoro) surgiram de um projeto realizado a convite do pároco da Sé do Porto e que se materializou na ação Sancta Viscera Tua, primeiramente apresentada durante a semana santa no antigo convento quatrocentista de Santa Clara, também no Porto, a religiosidade pressentida é convertida numa visão sobre a violência coletiva. Transformada agora em projeto fílmico, a unidade inicial do projeto performativo foi estilhaçada em fragmentos que, em cada um dos ecrãs, envolvem o espectador. Na impossibilidade física de abarcar o panorama visual total, a construção ambiental é unificada pelo som do coro, oriundo de um lugar indefinido do espaço e da voz que irrompe no meio da sala.

 

Durante o período da exposição realiza-se a performance Ilinx, para um coro, que converte o dispositivo cinemático num espaço cénico. Ilinx (vertigem), é uma das tipologias de jogo propostas por Roger Caillois (no seu livro Les Jeux et les Hommes, de 1958) para referir aqueles jogos que têm a perturbação sensorial como finalidade.

 

A proposta de Jonathan Saldanha é, portanto, a de envolver o espectador numa torrente de imagens e sons que remetem para vivências alteradas da linguagem e do corpo no espaço, como se pudéssemos antever que no desvio e no que não pode ser articulado como linguagem se esconde um segredo ao serviço de um desígnio de que só podemos suspeitar.

 

Exposição de 6 de Maio a 2 de Julho

Curadoria: Delfim Sardo / Culturgest Porto (Entrada gratuita)

 

Ilinx – sábado 27 de Maio 2017 | 21.30h

Performance / concerto com o grupo Outra Voz (Entrada livre)

 

Ambulatório AICA – sábado 10 de Junho 2017

16.30h - Visita livre à exposição

17.00h - Conversa com João Ribas, Delfim Sardo e Jonathan Uliel Saldanha na mala voadora (Rua do Almada 277)

Melech Mechaya com novo single “Fado Saltério” e novo álbum

A comemorar 10 anos de carreira, os Melech Mechaya estão de regresso aos discos com o surpreendente “Aurora”, o quarto longa-duração do grupo. O disco está em pré-venda no iTunes a partir de hoje (4 de Maio), e a data é assinalada com o lançamento do 2º single "Fado Saltério". O 1º single "Un Puente" foi lançado no passado mês de Março.

2lol3z0mpc7e

O disco "Aurora" foi misturado pelo britânico Tony Harris (que trabalhou com nomes como R.E.M., Sinead O'Connor e Verve), e inclui as participações especiais dos portugueses Filipe Melo (piano) e Noiserv (voz), e da cantora espanhola Lamari de Chambao. O álbum foi masterizado por Dave Blackman (que trabalhou com Coldplay, Keane, Echo and the Bunnymen, entre outros)

 

Depois dos bem-sucedidos “Aqui Em Baixo Tudo É Simples” e “Gente Estranha”, discos que foram apresentados em mais de 150 concertos em 10 países de 3 continentes, “Aurora” representa o trabalho mais inovador e original do quinteto, alargando os horizontes da música klezmer para uma sonoridade única que é só deles.

 

5 de Maio 2017 - Teatro Diogo Bernardes (Ponte de Lima)

20 de Maio 2017 - Festival de Telheiras (Lisboa)

2 de Junho 2017 - Arraial da Mouraria (Lisboa)

3 de Junho 2017 - Cine-Teatro Avenida (Castelo Branco(

16 de Junho 2017 - Festival Lá Fora (Évora)

30 de Junho 2017 - Being Gathering (Idanha-a-Nova)

20 de Julho 2017 - Fiestas de Verano / Ciudad Rodrigo (Espanha)

6 de Agosto 2017 - Lubián (Espanha)

1 de Outubro 2017 - Fórum Romeu Correia (Almada)

“Os Inimigos do Papa Francisco” de Nello Scavo…

«Se sofrer um atentado», confidenciou o Papa Francisco quando se encontrava nas Filipinas em 2015, «só peço a graça de que não me deixe em mau estado. Não sou corajoso. Tenho medo da dor física, mas também tenho uma boa dose de inconsciência.» Nessa visita a Manila, graças a uma série de operações, foram neutralizadas células islamitas suspeitas de querer assassinar o Papa... Mas os extremistas islâmicos não são os seus únicos inimigos.

A vida de Bergoglio está constantemente em perigo e ele sabe-o. Já o disse em privado e deu-o a entender em público. Francisco tem a perfeita noção de que as suas declarações sobre a homossexualidade, o divórcio, os refugiados, o capitalismo exacerbado, a excessiva concentração de riqueza, o narcotráfico ou o tráfico de seres humanos lhe têm valido olhares de desconfiança, críticas ferozes ou até mesmo ameaças de morte veladas.

untitled

Os seus inimigos estão espalhados pelo mundo inteiro e nas mais diversas áreas de atuação. Encontram-se em sacristias, bairros de lata, paraísos fiscais, corredores de poder ou rotas de tráfico. Envergam a mitra de bispo, o turbante de mujaheddin, a gravata de um banqueiro, a camisa de linho de um oligarca ou as botas sujas de lama de um traficante de seres humanos.

 

Depois de uma exaustiva investigação, o jornalista Nello Scavo apresenta-nos um livro inquietante sobre os inimigos de uma das figuras mais amadas do planeta e sobre os meandros do Vaticano, atribuindo nomes a rostos que costumam ficar na sombra.

Quem são os que querem calar, desacreditar ou mesmo matar o Sumo Pontífice?

 

Uma Edição: A Esfera dos Livros