Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

“Worst Summer Ever” de Bruno Pernadas em Espinho

Depois de ter fechado o ano de 2016 com o lançamento de dois álbuns, Bruno Pernadas chega ao Auditório de Espinho para apresentar o disco “Worst Summer Ever”. O disco, com um registo jazz muito próprio, considerado um dos melhores  trabalhos do músico português, amplamente elogiado pela crítica especializada.

PD_web_steph_cole_veryLOWres.jpg

Este será a primeira vez que o público do norte terá a oportunidade de embarcar nesta viagem pelo disco de jazz de Bruno Pernadas. Para isso, conta com a ajuda de Sérgio Rodrigues, no piano, Francisco Brito, no contrabaixo, Joel Silva, na bateria, e João Mortágua, no saxofone alto e soprano.

 

Auditório de Espinho
13 de Maio de 2017 | 21.30h

Threshold Magazine apresenta Rolando Bruno, Sun Blossoms e Môno!

No próximo dia 13 de maio, além de Fátima receber a Sua Santidade para as festividades das Aparições, o Sabotage Club irá acolher a primeira noite de festa da Threshold Magazine. Como na Santíssima Trindade existem três entidades divinas (o Pai, o Filho e o Espírito Santo), e o cartaz irá também contar com 3 bandas.

17634419_10210713349901885_2402786852006938662_n.j

O cabeça de cartaz, Rolando Bruno vem directamente da América do Sul, casa de culto do garage punk que já dura desde os anos 60, com bandas como Los Saicos a fazer exemplo disto. É em Buenos Aires, Argentina, que Rolando Bruno se afirma neste meio, primeiro como guitarrista de Los Peyotes, e depois a "solo" com a sua orquestra de computador. O som de Rolando Bruno Y Su Orquestra MIDI resulta como uma mistura de garage punk clássico, e um género muito único deste lado das Américas, o cumbia. Ao vivo, tudo isto resulta numa festa como não se costuma muito ver.

 

A sonoridade especial de Rolando Bruno, descrita pelo próprio como "Cumbia Trash", origina muita dança de uma maneira peculiarmente enérgica. O guitarrista argentino vem a Lisboa com o seu último registo na bagagem, de nome “Bailazo”, e também com algumas músicas novas do seu próximo álbum, a sair no outono de 2017.

 

Os lisboetas Sun Blossoms, projecto formado por Alexandre Fernandes na sua adolescência. A sonoridade que resulta nesta banda é toda uma mistura entre o pop mais doce e calmo de “Tomorrows Tulips”, com o garage cheio de fuzz de White Fence. Ao vivo, Alexandre Fernandes é acompanhado por Luís (Alek Rein) na bateria, e Chaby (Mighty Sands) no baixo. Uma combinação explosiva para assistir em dia santo.

 

Os Môno! vão abrir a noite com o lançamento do seu mais recente EP, “Ribamar”, editado em março de 2017 via French Sisters Experience, percorrendo os caminhos do pop ao rock, do stoner ao psicadelismo, viajando também no experimentalismo. Tudo isto cantado em português. A banda lisboeta vai contar um convidado especial em palco, Miguel Gomes (a.k.a. Alex Chinaskee), que faz parte da mesma editora que os Môno!.

 

Sabotage Club (Lisboa)

13 de Maio 2017 | 22.30h

Rock and Roll Circus apresenta… Repórter Estrábico

Após um interregno de 10 anos o Repórter Estrábico volta aos palcos. No próximo dia 13 de Maio (sábado) data de grande devoção portuguesa, a Cave 45 no Porto irá ter uma nova aparição…

Rep+¦rter Estr+íbico.jpg

A emblemática banda de Luciano Barbosa, Anselmo Canha, Paulo Lopes e Manuel Ribeiro, que desde a decada de 80 deixou uma marca inconfundível  com a sua combinação de minimalismo electrónico, rock ‘n’ roll e letras de crítica social repletas de ironia, voltam à sua terra natal.

O repertório recupera clássicos como “MamaPapa”, “Lolita”, “John Wayne”, “Biltre!”,  “Velcro”, “Eurovisão”, “Sr. Arrumador”, “Weather Girl” ,entre outros. É um olho no passado e outro no futuro e a certeza de que este Repórter Estrábico continua bem atento ao presente e não é de todo um regresso saudosista.

 

A noite começa com Sacapelástica, o mais recente projecto de Paulo Lopes (guitarrista do Repórter Estrábico), com Eduardo Baltazar (bateria) e Pedro Fragoso Lopes (baixo). “Rock’n’Sample” é o mote da banda, que apresenta temas originais e versões, exclusivamente instrumentais, que vão do funk à pop, passando pelo hard-rock, o dub ou o punk.

 

 

Cave 45 (Porto)

13 de Maio 2017 | 22.00h

Carviçais a aldeia do rock...

The Legendary Tigerman, Blasted Mechanism, Sean Riley & The Slowriders e The Poppers são os primeiros nomes apresentados para a edição de 2017 do Carviçais Rock.

18077392_1953730911527522_1654267187052462662_o.jp

photo: Paulo Homem de Melo 

 

Paulo Furtado, o one man band mais seminal da Europa vai atuar na aldeia do rock a 12 de Agosto, ele que conta com um espetáculo que não permite indiferença na assistência. O Tigerman prepara-se para lançar novo álbum em Setembro, o qual foi gravado nos Estados Unidos.

Os míticos Blasted Mechanism estão de regresso à aldeia do rock a 12 de Agosto! Um conceito que quebra as barreiras do palco onde a música e as letras inspiradas são aliadas às artes visuais e conceitos tecnológicos. Eles que já percorreram vários dos melhores festivais a nível mundial sendo “Egotronic” o seu mais recente álbum, lançado em 2015.

Aclamados pela crítica, sustentado com grandes prestações ao vivo Sean Riley & The Slowriders marcam presença no carviçais a 11 de Agosto. Com passagens por festivais de renome a nível nacional, como é o caso de Vodafone Paredes de Coura ou Alive, Sean Riley estão na estrada com o álbum de originais homónimo “Sean Riley & The Slowriders”, lançado a 1 de Abril de 2016.

Como o Rock’n’roll não passa de moda, não entra em desuso e muito menos morre. Os The Poppers são a prova disso mesmo, agarrando na herança de um dos mais transversais géneros da música e transformando-a em provocação, intensidade e atitude. E sim é de palco que se fala aqui, esse que é terra natal para o quadrado composto por Rai, Bonés, Kid e Bruno prontos para espalhar magia a 11 de Agosto na aldeia do rock.

 

O ano de 2017 marca a 15ª edição do Carviçais Rock, um dos mais antigos Festivais de Verão do nordeste transmontano, que tem datas marcadas para os dias 11 e 12 de Agosto, com um cartaz totalmente nacional e com elevado destaque para o género musical rock/alternativo. Brevemente será anunciada mais uma cartada de nomes que compõe o cartaz do Carviçais Rock bem como uma série de novidades preparadas para a edição de 2017.

“Meia grade de vinil”... um set de Batida em Londres

Esta sexta-feira, Batida é cabeça de cartaz num evento da Kartel, um colectivo Londrino que promove eventos com foco na cena Afro Electrónica. Esta será a última de uma série de festas, que celebram o terceiro aniversário deste evento a acontecer no CLF Art Cafe, um espaço com vários andares e salas para Música, Teatro, Cinema e workshops, que faz parte do Bussey Building um armazém com mais de 120 anos transformado naquele que é um dos centros de artes do momento em Londres, mais conhecido pela sua noite de soul a South London Soul Train.

sem nome (5).png

Esta apresentação, a que Pedro deu o nome de “Meia grade de vinil”, faz também parte das celebrações dos 10 anos de existência do seu universo artístico que batizou como Batida. Um Set único, feito com base em meia grade de vinil: “...músicas e discos raros que já samplei e outras que poderei vir a samplar no futuro, assim como algumas que me inspiraram.”

Twin Transistors com novo vídeo “Foggy Notion” em homenagem a Velvet Underground

Na primeira semana de Maio de 1968, em Nova Iorque, os Velvet Underground gravavam "Foggy Notion", uma pérola quase esquecida que só veria a edição em 1985 na compilação VU.

1494248401416-Twin-Transistors-por-Tiago-Gomes.jpe

photo: Tiago Gomes

 

Este foi um dos temas que acompanhou pessoalmente os elementos dos Twin Transistors desde há muito e, ao comemorar um ano desde o lançamento do seu disco de estreia "Sun Of Wolves", a banda de Leiria apresenta um vídeo ao vivo da "Foggy Notion" no M|i|m|o (Museu da Imagem em Movimento em Leiria).

Os Twin Transistors continuam a trabalhar em novo material e, depois da Figueira da Foz, no Direito de Resposta - Associação Cultural, no dia 13 de Maio, são uma das formações que subirá ao palco do Estádio no Leiria Festival no dia 20 de Maio.   

10.000 Russos apresentam “Distress Distress” ao vivo

Este trio portuense é uma formidável força dentro da psicadelia moderna com o seu industrial psych/post-puk. Assinados Fuzz Club Records após um mitico concerto no Festival Reverence em 2014 não deixaram de percorrer toda a Europa com sucessivas digessões.

17807624_1518555998195380_5322680984292413271_o.jp

Apresentam-se para mais uma aventura além portas para promover o novissimo "Distress Distress" que foi lançado em todo o mundo a 7 de Abril via Fuzz Club Records.

 

Café au Lait (Porto)

10 de Maio 2017

 

Sabotage Club (Lisboa)

11 de Maio 2017 | 22.00h

Sopa de Pedra no Maus Hábitos

As Sopa de Pedra são a prova de que é possível, de facto, viajar no tempo. Seja pelos adornos airosos, os arranjos novos e as harmonias que nos aquecem o peito, seja pela forma como nos mantêm presos ao chão, as Sopa de Pedra são a prova de que o tempo não é uma linha uniforme, mas sim turva.

maxresdefault.jpg

O grupo de a cappella transporta-nos, através de uma fórmula ainda codificada, para os nomes e anos de ouro da música tradicional portuguesa, com o preciosismo e delicadeza que tanto merece.

É com um disco novo no forno e o reportório revivalista de sempre que o grupo de dez se apresenta, a 13 de Maio, no Maus Hábitos.

Les Plages Electroniques Lisboa... as confirmações da 2ª edição

Depois do sucesso da 1ª edição, uma das melhores beach parties europeias está cada vez mais com os pés bem assentes em areias nacionais. Dias 2 e 3 de Junho, alguns dos melhores DJs, MCs e produtores nacionais e estrangeiros vão transformar o Waikiki, na Praia da Sereia na Costa de Caparica, na mais apetecível pista de dança, a mesma que inaugura os festivais de Verão em 2017. Após 10 anos de enorme sucesso na praia de La Croisette, em Cannes - uma das mais belas da Côte d'Azur - o prestigiado evento francês de música electrónica Les Plages Electroniques escolhe, em 2016, a capital portuguesa como primeiro destino fora de portas.

Gramatik-Compressed-1024x682.jpg

Denis Jašarević dá cara ao fenómeno mundial Gramatik.

A partir de uma imensidão de instrumentais que o mantêm fiel aos sons do Jazz, Funk e R&B, o artista eslovaco leva à pista o encontro contemporâneo entre o universo do Hip Hop e o mundo da electrónica. Entre 10 álbuns, inúmeros singles, EPs, remixes e compilações, Gramatik já mereceu uma nomeação pelos European MTV Music Awards em 2014 e “Epigram”, álbum que lançou em 2016, é um cristalizar das sonoridades que melhor o definem.

61119-etienne-de-crecy-article_top-4.jpg

Etienne De Crécy, depois do fabuloso set que deixou rendido o público da primeira edição deste Les Plages Electroniques, o lendário DJ francês, pai do House assume-se como o verdadeiro padrinho da edição portuguesa e regressa!

Lado a lado com Philippe Zdar, em 1994, formou os Motorbass, responsáveis por “Pansoul”, álbum que introduz a House em França. Desde então, o artista manteve-se na boca e nos pés do mundo: do French Touch, Etienne saltou para o Techno e encabeçou a revolução europeia da música electrónica. Já em 2008, com Beats’n’Cubes, fez ao techno o mesmo que a si: tirou-o do ghetto e levou-o para o mundo.

 

Moullinex é o alter-ego de Luís Clara Gomes, uma das maiores referências no que toca ao mundo da electrónica nacional - músico, produtor, compositor ou DJ, tudo cabe no tamanho do artista que desde criança é precursor do seu próprio som e caminho. Querendo eliminar rótulos e barreiras entre géneros musicais, sabe-se que partiu do amor ao Disco e ao House e de um cuidado muito especial com as melodias- depois disso, abraça a música de que gosta. Da engenharia e ciência espacial aos estúdios e palcos, Moullinex já lançou 6 EPs e 2 álbuns que roubaram a atenção do meio, do público e imprensa à escala global.

 

Møme é Jérémy Souillart, o mais recente prodígio do movimento French Touch. Depois de “Aloha”, o single que explodiu com os tops franceses do Verão de 2016, Møme partiu à descoberta: De um estúdio sobre rodas, numa viagem pela costa australiana, nasceu o seu primeiro álbum, Panorama. Amante das ondas e da estrada, Møme traz à música electrónica a frescura da viagem, que promete ser tão longa quanto boa.

 

Pfel&Greem, DJ Pfel e DJ Greem, importados do colectivo C2C - Quatro vezes campeão do mundo em DMC e merecedor de quatro troféus no Victoires de La Musique 2013- lançam-se agora numa nova aventura electrónica. A receita é infalível: quilos de talento, criatividade, técnica e trabalho regressam à pista com sonoridades que se balançam entre o Hip Hop, ritmos latinos e o Electro bass.

 

Matias Aguayo é, no seu sentido mais puro, um artista. Aguayo distorce, transforma, mascara e o produto é, em si, uma ilusão, fruto de imaginação. Não há rótulos que lhe sirvam ou géneros que o definam: a sua voz é o instrumento e o que crê ser a fonte de singularidade daquilo que produz. Aguayo é impulsionador das irreverentes e polémicas festas BumBumBox e criador do label Cómeme.

 

Archie Fairhurst aka Romare ou o novo prodígio do ''cut'n'paste'': O artista londrino passou pela bateria e pela guitarra mas foi nos discos e na cultura afro-americana que encontrou a sua matéria-prima. Hoje, com dois LPs, e três EPs cá fora, Romare lança a sua premissa: samplar memórias para que se tornem História.

 

dOP são actualmente uma das mais aclamadas duplas do universo da electrónica/house. O projecto agora composto por Damien Vandesande e Jonathan Illel (na sua formação inicial contava também com Clément Aichelbaum) traz à pista uma mala cheia de influências e experiências. dOP são muito mais do que músicos: numa onda experimental que engloba sonoridades que tanto passam pelo Rock e Pop como pelo Jazz e Hip Hop, elevam a música House a performance e enchem a pista como verdadeiros entertainers. Depois de 20 anos de amizade, dOPcontinuam a ver o seu sonho de crianças realizado!

 

iZem, Jérémie Moussaid é um globetrotter por excelência e contador de histórias a partir do que mistura. iZem, ou in ze early morning parte tanto de influências pós-tropicais como de ritmos urbanos e move-se entre o orgânico e a exploração de sons nativos em confronto com beats contemporâneos. Viajamos com iZem e ficamos entre continentes.

 

 

“Goodbye Angels”… o novo video dos Red Hot Chili Peppers

Goodbye Angels” é o novo vídeo dos Red Hot Chili Peppers. Realizado por Thoranna “Tota” Sigurdardottir, cabeças de cartaz do primeiro dia do Festival Super Bock Super Rock, foi filmado em Março no concerto da banda em Atlanta.

imager.jpg

Por cá, o espetáculo será garantido no dia 13 de julho no Palco Super Bock do Super Bock Super Rock.

 

 

“Heroes” de David Bowie… pelos Depeche Mode

Aconteceu na noite de 5 de maio, no arranque da digressão “Global Spirit Tour”, os Depeche Mode apresentaram ao vivo em Estocolmo uma versão do original de David BowieHeroes”.

GettyImages-679379032-depeche-mode-david-bowie-920

photo: GettyImages


Heroes” foi apresentado no encore do concerto da banda de David Gahan.
Os Depeche Mode prosseguem hoje na Belgica a sua digressão que os vai trazer a Portugal a 8 de Julho com concerto agendado para o Festival NOS Alive

 

55 Anos de Carreira de Paulo Carvalho celebrados com o disco “Duetos”

Nome incontornável na música portuguesa das últimas décadas, Paulo de Carvalho assinala 55 anos de carreira com o lançamento de um novo álbum, intitulado “Duetos”, para o qual convidou vozes importantíssimas do panorama nacional. O álbum chega às lojas no próximo dia 19 de maio, pouco depois do músico celebrar 70 anos de vida, e já está em pré-venda na Fnac, Worten e iTunes.

AF_CAPA_Duetos.jpg

São várias as gerações que Paulo de Carvalho reuniu neste álbum de duetos. Diogo Piçarra é uma das vozes que se ouvem no disco, no single “Flor Sem Tempo”, que é também o tema de abertura. Agir, que é também produtor do álbum, canta com Paulo de Carvalho o tema “O Meu Mundo Inteiro”. Entre os convidados deste “Duetos” estão ainda artistas como Carlos do Carmo (no icónico “Lisboa Menina e Moça”), António Zambujo (“Os Meninos de Huambo”), Camané (canta em “Os Putos”), Raquel Tavares (“O Homem das Castanhas”), José Cid (“Nini Dos Meus Quinze Anos”) ou Marisa Liz (no histórico “E Depois Do Adeus”, que serviu como primeira senha no 25 de Abril de 1974).

 

Em “Duetos” estão reunidos alguns dos maiores êxitos de Paulo de Carvalho, graças aos quais se afirmou como uma das mais importantes vozes da música nacional nestes últimos 55 anos, aqui partilhadas com vozes de várias gerações e panoramas musicais, refletindo assim o quão marcante e influente é o seu percurso. Como intérprete já percorreu muitos caminhos e viveu várias experiências. Foi, por exemplo, duas vezes vencedor no Festival RTP da Canção (Portugal – 1974 e 1977) e participou em festivais na Bulgária, Polónia, Bélgica, Chile, Rio de Janeiro e Espanha. Aos 30 anos de profissão foi homenageado pela Casa da Imprensa na Grande Noite do Fado.

 

Como autor-compositor tem mais de 300 canções escritas, compondo canções para muitos companheiros de profissão como Carlos do Carmo, Simone de Oliveira, Sara Tavares, Martinho da Vila, Anabela, Vasco Rafael, Lena D’Água ou Mariza. Paulo de Carvalho foi condecorado com o grau de Oficial da Ordem da Liberdade, em 2009, pelo Presidente da República.

Quatro drones participam no espetáculo pirotécnico do Senhor de Matosinhos

Os anos e os séculos passam – e a romaria do Senhor de Matosinhos não para de crescer. O programa das Festas da Cidade de Matosinhos arranca já na próxima sexta-feira, 12 de maio, para um mês inteiro de animação que ficará marcado pelos concertos de José Cid e Jimmy P. no jardim da Biblioteca Florbela Espanca e, claro, pelo grandioso espetáculo pirotécnico agendado para o dia maior da festa, sábado, 3 de junho.

evento_Senhor_de_Matosinhos_2017_1_2500_2500.jpg

O monumental fogo-de-artifício do Senhor de Matosinhos contará este ano com novidades: pela primeira vez em Portugal, o espetáculo vai incluir quatro drones que largarão uma torrente de fogo prateado, somando-se aos restantes efeitos pirotécnicos para produzir um momento único e inesquecível. As novidades não ficam por aqui: as tradicionais iluminações da romaria vão beneficiar da tecnologia LED, produzindo uma decoração noturna em constante movimento e mutação, a qual, este ano, será alargada ao espaço fronteiro dos paços do concelho e à Rua Alfredo Cunha, onde haverá também uma nova entrada para a área das diversões mecânicas.

 

Com um orçamento de 250 mil euros, as Festas da Cidade de Matosinhos contam com um programa diversificado e que dá resposta aos gostos mais variados, passando pelo fado e pelas tunas, pelo folclore e pela música popular, pelo hip-hop e pelo rock clássico, entre outros. Não faltarão também a feira de artesanato e a secular Feira da Louça, os comes-e-bebes e as diversões, as tardes dançantes e o espetáculo do Fogo de Bonecos, único em Portugal, regressando este ano a tradição do encontro de coros.

 

Até ao fim-de-semana maior da festa, agendados para os dias 1, 2, 3 e 4 de junho, a animação será contínua e em crescendo. Já esta sexta-feira, pelas 16 horas, o programa do Senhor de Matosinhos cruza-se com o programa do festival Dias da Dança: a escadaria da Casa do Design, na Rua Alfredo Cunha, recebe “À Lagardère”, coreografia de Isabel Barros para a música de Vítor Rua. No dia seguinte, às 19 horas, será a vez de a Biblioteca Municipal Florbela Espanca receber a estreia da performance sonora “Efígie/Choros Landscape”, de Flávio Rodrigues.

 

O sempre aguardado concerto de José Cid está marcado para as 22 horas de 1 de junho, seguindo-se, no dia 2, os ritmos mais urbanos de Jimmy P..