Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Um ano em grande para a música portuguesa… Desde a participação no Eurosonic à vitória na Eurovisão…

A EBU (European Broadcast Union) felicitou Portugal pelo seu ano de excelência na internacionalização da música portuguesa. Referindo a participação na edição de 2017 da Conferência Profissional e Festival Holandês Eurosonic Noorderslag e a vitória de Salvador Sobral no Festival da Eurovisão em Kiev.

"Parabéns Portugal, neste impressionante ano que estão a ter na música", escreve Laurent Marceau da Euroradio na nota enviada ao WHY Portugal por parte da EBU. "Desde o country focus em Janeiro no Eurosonic até à vitória na Eurovisão agora em Maio, os resultados atingidos pelos artistas portugueses têm sido vitórias importantes que estão a construir sucesso além fronteiras".

44e1e133-faaf-428e-a9a1-aafa157b653c.jpg

O WHY Portugal, cluster da música portuguesa e plataforma de internacionalização da mesma, foi o principal organizador da comitiva levada pelo nosso país ao Festival holandês em janeiro deste ano. Em ano de celebração da música portuguesa, sendo country focus, o evento contou com a presença de 23 artistas nacionais e mais de 70 profissionais da indústria da música que representaram muitos dos espectros da música feita em Portugal e características da sua indústria atual. Depois do sucesso desta comitiva portuguesa, a plataforma de internacionalização WHY Portugal marca presença em mais duas feiras profissionais de referência na Europa, promovendo a indústria da música portuguesa nas suas várias vertentes no estrangeiro e em Portugal: The Great Escape e EXIB Música.

 

A presença no evento The Great Escape, que acontece de 18 a 20 de maio em Brighton, Inglaterra, trata-se de uma missão de prospecção de mercado. No caso do EXIB Música, a participação WHY Portugal será mais alargada. Neste evento, serão apresentados os resultados das missões WHY Portugal desenvolvidas até ao momento num workshop a 9 de junho, que analisa o passado e presente da associação empresarial WHY Portugal, preparando o futuro.

De 7 a 10 de junho realiza-se o EXIB Música em Évora, Portugal, uma expo-mercardo especializado em música Ibero-americana, onde encontrarás showcases de música proveniente de toda a Ibero-América (América Latina – Espanha e Portugal), fóruns de debate, mesas de trabalho, concertos especiais, conferências, lançamentos, trabalho em rede e instalações.

 

WHY Portugal?: Porque está na hora de internacionalizar a música portuguesa, a plataforma de music exchange WHY Portugal apresenta o seu plano de trabalhos. O workshop visa a capacitação profissional no contexto da exportação da música e serviços do cluster da música e irá relatar os eventos internacionais levados a cabo pela WHY Portugal durante o primeiro ano de actividade de 2016, do SXSW ao Reeperbahn Festival, até às missões mais recentes tais como o EUROSONIC Country Focus em Janeiro, o WHY Portugal Event no Westway LAB Festival com convite ao SXSW Film e a missão de prospecção ao Jazzahead na Alemanha.

 

O orador responsável pelo workshop será Hélder Bruno da Cherry Blossom Consulting.

Sonic Blast'17 fecha o cartaz com mais 7 confirmações

SonicBlast 2017 fecha o cartaz com mais sete confirmações. Colour HazeAcid KingBlack BombaimStone DeadIt Was the ElfAna Paris e Bar de Monjas! juntam-se à sétima edição do Festival que decorre de 11 a 12 de agosto em Moledo.

f37a3935-7708-4dc5-b824-78f4fe6a97f4.jpg

Os Colour Haze são facilmente considerados um dos expoentes máximos dentro da cultura Stoner Psicadélica Europeia. No seu percurso, contam com inúmeras presenças por toda a Europa e também nos EUA, no entanto, nunca se estrearam em terras lusas. Após terem lançado o seu mais recente álbum “In Her Garden, o trio Alemão apronta-se para pisar pela primeira vez na sua carreira solo português, recebidos com todo o entusiasmo nesta sétima edição do SonicBlast Moledo. 

Formados pela carismática Lori S. durante o ano de 1993, os Acid King são, sem dúvida alguma, um dos clássicos do género stoner doom. O seu som intenso e possante tornou-os rapidamente uma das bandas mais influentes dentro deste circuito musical, tendo apenas passado uma única vez por Portugal. 

Depois de terem sido obrigados a cancelar a sua presença na edição transata, os barcelenses Black Bombaim, expoente máximo do stoner psych português, preparam-se para voltar a espalhar por Moledo o seu contagiante rock psicotrópico.

Chega a esta edição a nova promessa do rock’n’roll dos Stone Dead, assim como o enérgico stoner metal dos It Was the Elf, o retorno dos Ana Paris com o seu stoner rock característico e a descarga estrondosa do duo Bar de Monjas!

O festival que se assume como um encontro perfeito entre praia, piscina, surf, skate e muito rock conta já com nomes como: Orange Goblin, Kadavar, Elder, Sasquatch, Kikagaku Moyo, Monolord, The Machine, Yuri Gagarin, The Well, Death Alley, Blaak Heat, Dead Witches, Toxic Shock, Holy Mushroom, Vinnum Sabbathi, Löbo.

Guitarras ao Alto 2017… 3ª edição em Junho com Peixe e Frankie Chavez

O Guitarras ao Alto chega à terceira edição em 2017, com a mesma ambição de trazer ao Alentejo os melhores guitarristas portugueses para tocar música inédita num espectáculo original. Com o vinho, a gastronomia, a paisagem e o património alentejano em pano e fundo. Peixe fez parte dos “míticos” Ornatos Violeta, e tem-se afirmado nos últimos anos como compositor, estudioso e guitarrista em nome próprio, já com dois álbuns a solo: “Apneia” e “Motor”. Frankie Chavez é um homem do folk, do rock e dos blues, e dá à sua guitarra um mundo cada vez mais vasto. Com dois álbuns na mala (“Family Tree” e “Heart & Spine”), tem outro a sair do forno muito brevemente.

A3_Geral_Guitarras_2017_af.png

Juntos, a quatro mãos e a duas guitarras, Peixe e Frankie Chavez vão subir ao palco no Claustro do Convento de S. Bento de Avis (15 de Junho), no claustro do Convento das Maltezas/Centro Ciência Viva em Estremoz (16 de Junho), e na antiga estação de comboio da Beirã-Marvão, onde fica a guest house Train Spot (17 de Junho), e que já no ano passado recebeu o Guitarras ao Alto.

 

Três noites de Primavera ao ar livre que prometem ser memoráveis. Pela música. Pela envolvência cénica. Pelo cartaz sempre espectacular, que este ano é da responsabilidade do ilustrador Pedro Lourenço. Pelo vinho que marca sempre presença; este ano, tal como em 2017, com a cortesia do Virgo/Torre do Frade do Diogo Albino, já uma referência incontornável do vinho alto alentejano. Pelo apoio da Antena 3, que vai dar ainda mais antena ao projecto.

Pelas parcerias que estamos a estabelecer para tornar o evento ainda mais único e integrado com o Alentejo, e que iremos anunciar brevemente.

Pelo Alentejo que o Guitarras ao Alto convida a visitar.

 

Nas duas edições anteriores do evento, sempre no Alentejo, o Guitarras ao Alto contou com o Tó Trips e o Filho da Mãe em 2014, e com o Norberto Lobo e o Luís Martins em 2016. Para além disso, o evento tem promovido actividades paralelas nos últimos dois anos, como a gravação do 3º disco a solo do guitarrista Grutera na Herdade do Esporão, e os concertos dos guitarristas americanos Glenn Jones (Portalegre) e Steve Gunn (Évora).

"Rua Direita" é editado hoje com o selo da Azul de Tróia

Os Rua Direita são gente nova com espírito fresco. O duo de Leiria composto por Donato Rosa e Paulo Ladeiras, iniciou actividade em solo comum e rapidamente fez da Rua Direita o epicentro do encontro dos riffs e palavras de um com as batidas assertivas de outro. A missão? Criar temas memoráveis, povoados por histórias do aqui e agora e pintados por laivos certeiros de quem chegou à cena nacional para ficar.

Screen_Shot_2017-05-19_at_11_14_33.png

O single de avanço “Mariana” mostrou como um nome comum pode abrir as portas para um universo pop que tem tanto de novo como de familiar. Hoje, são mais 7 os temas que nos abrem as portas para a Rua Direita, temas que provam o porquê da cidade do rio Lis ser actualmente um dos pulmões que alimenta o futuro da nova música portuguesa.

 

 

Produzido por Pedro de Tróia, gravado e misturado por Bruno Pedro Simões no Black Sheep Studios, editado pela Azul de Tróia, "Rua Direita" está já disponível nas principais plataformas digitais a partir de hoje e chega às lojas a dia 26 de Maio.

FRESH STREET#2... 24 a 26 de Maio em Santa Maria da Feira

Mais de 400 participantes de 41 países têm presença confirmada no maior seminário internacional para profissionais das artes de rua. O FRESH STREET#2 realiza-se nos dias 24, 25 e 26 de maio, no Europarque – Centro de Congressos e Cineteatro António Lamoso, em Santa Maria da Feira.

Convite_Conferência de Imprensa_9 nov 2016.jpgEntre 24 e 26 de maio de 2017, Santa Maria da Feira recebe o maior evento mundial para profissionais do setor das Artes de Rua – o FRESH STREET#2 –, que vai trazer a Santa Maria da Feira centenas de profissionais, decisores políticos, jornalistas e investigadores de todo o mundo. O estado das Artes de Rua, a partilha de boas práticas e os novos modelos económicos de apoio à criação artística, com foco em potências emergentes como a Coreia do Sul, vão ser esmiuçados neste encontro à escala global, que inclui ainda uma feira de artistas e um encontro internacional de decisores políticos. O secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado estará presente na sessão de abertura do seminário, no dia 24 de maio, às 14h00.

 

“Esta conquista confirma a estratégia de posicionamento de Santa Maria da Feira nas redes europeias, o que reforça o título de capital portuguesa das Artes de Rua. Este acontecimento é uma consequência do trabalho continuado, ao longo de duas décadas, de Santa Maria da Feira na exploração da criação artística no espaço público, assumindo a rua como o seu natural e principal palco. Enquanto centro produtor de conteúdos artísticos para a rua, Santa Maria da Feira tem gerado desenvolvimento social e económico no território, confirmado hoje pelo trajeto ascendente nos desafios da internacionalização”, sustenta Emídio Sousa, presidente da Câmara Municipal.

 

A segunda edição do FRESH STREET não será apenas um momento privilegiado para refletir e questionar o estado do setor. Será, também, uma oportunidade para construir o futuro das artes de rua e formular recomendações concretas que contribuirão para estruturar o setor em Portugal, na Europa e no mundo. Quando a inovação se transforma numa ferramenta no caminho da sustentabilidade até os desafios mais urgentes podem ser atingidos.

No Porto… O Fim-de-Semana começa às Sextas…

A proposta é simples… Todas as sextas deste Verão, a Música e o espetáculo juntam-se para dar vida a um novo Pôr-do-Sol na Casa das Artes.

A partir das 17h00 de dia 2 de Junho, no jardim da casa das Artes no Porto, será apresentado um novo conceito do Pôr-do-Sol. É o culminar de um projeto desenvolvido ao longo dos últimos meses que visa mostrar a cultura Portuense, os seus artistas e o que de bom se faz no Porto.

Por do Sol nas Artes_P4-page-001.jpg

A ideia surge no convívio com amigos, o local escolhe-se pela tranquilidade e beleza característica, o evento nasce para que todos possam desfrutar de tudo isto. Semana após semana, a partir de dia 2 de Junho, a cidade do Porto ganha um novo ponto de encontro para quem sai do trabalho e que começar em grande o seu Fim-de-Semana. Não faltará música, arte e espetáculo neste que promete ser um dos eventos que marcará o Verão.

 

Às sextas, na Casa das Artes, a entrada faz-se de forma Livre e sem restrições de idade, para um início de final da semana onde se intensifica o sinónimo de festa e descontração. Será apresentado o trabalho de artistas Portuenses, a sua cultura e o que de bom se faz no Porto mesmo no coração da cidade. O projeto é levado a cabo por uma empresa jovem, que pela vontade de criarem algo seu pela cidade que os adotou, arriscaram no conceito e pretendem deixar na memória daqueles que com eles se cruzem um momento diferente.

5º Indie Music Fest… Paraguaii… Uma das primeiras confirmações

Indie Music Fest volta ao Bosque do Choupal, em Baltar, nos dias 31 de Agosto, 1 e 2 de Setembro de 2017 e as primeiras confirmações estão aqui… Nasce da procura na amizade musical e experiências entre Igor Gonçalves e Giliano Boucinha aquando, ainda, partilhavam palco em Utter. Segue-se o tempo e só na segunda metade do ano de 2014 surge realmente o reflexo de toda esta interacção e a oportunidade de assegurar e dar vida ao projecto. Em agosto desse mesmo ano, junta-se o terceiro elemento, Zé Pedro Caldas Correia e por fim Rui Sousa que vem ultimar a formação. Toda uma nova história é criada.

13855d50-b0d8-41f4-a0f3-1b43ddb9a985.jpg

"Paraguaii é denso, é chuvoso. É um mergulho no mar num dia cheio de luz."

O primeiro single, "She", foi editado em Dezembro de 2014 pela Elephante MUSIK com um lado B, "Tucano Baby´s". Em Março de 2015 foi lançado o 2° single, "Black Ships" que serviu como tema de apresentação do primeiro EP de Paraguaii. 2016 foi o ano de apresentação do primeiro álbum com o nome de "Scope".

Regressam em 2017 com novo álbum. “Dream About The Things you Never Do" é, assumidamente, o registo mais pop dos Paraguaii. São oito temas que propõem um jogo constante entre os universos mais dançantes da música electrónica, nascida ou devedora dos anos 80, e a genética rock do colectivo. Composto, gravado e produzido pela própria banda, o segundo registo de originais desconstrói a rotina dos dias, atacando o carácter mortífero do comodismo e do hábito ao mesmo tempo que se fala de mulheres fatais, sonhos e virgindades espirituais.

“Straight or Gay" foi o single de avanço do segundo álbum de Paraguaii. O videoclipe, produzido pela Elephante MUSIK & Estudio Lobo Mau, convidando-nos para uma viagem que apela à liberdade de escolhas e de modos de ser e fazer.

 

O projeto é formado por Giliano Boucinha na guitarra e voz , Igor Gonçalves na bateria , Zé Pedro Correia nos Synths e Baixo. Paraguaii conta, sempre que possível, com a participação de um 4° elemento, Rui Sousa no Hammond, Synths, e Saxofone.

Yasmin Levy… A cantora regressa a Portugal para concerto único no Castelo de Bragança

Yasmin Levy, considerada pelo The Guardian como “uma das melhores cantoras do Médio Oriente”, regressa a Portugal para um concerto único, no Castelo de Bragança, dia 17 de junho, às 22h30. Depois do deslumbrante concerto no FMM de Sines e de ter na sua última passagem por Portugal esgotado o Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, e a Casa da Música, no Porto, Yasmin Levy volta para mais um concerto, o qual se encontra inserido na programação de Terra(s) de Sefarad | Encontros de Culturas Judaico-Sefardita, que decorrem em Bragança de 15 a 18 de junho.

Yasmin Levy mail.tif

Cantora e artista Israelita, Yasmin é “a extraordinária intérprete de música Ladino, que com grande dramatismo produz ecos do fervor do Flamenco Espanhol, Tango Argentino e do “blues” do Fado Português.” "... não há como não perceber o ar do Mediterrâneo na voz de Levy. A sua voz é líquida - vem em ondas e marés, apaixonada, mas sem mostrar esforço... carregada de história e de significado. É também um prazer escutá-la e encontrar algo de surpreendentemente contemporâneo na sua travessia quase casual de diásporas musicais distantes. Levy reorganiza os fios emaranhados do mundo passado para chegar a um presente mais ordenado e mais bonito. ", Banning Eyre.

 

Nascida em Jerusalém, em 1975, filha de um profundo conhecedor de 500 anos de repertório da tradição ladina, Yasmin Levy usa a música dos judeus sefarditas da Península Ibérica como base das suas canções desde o seu primeiro álbum, “Romance & Yasmin” (2004). No seu segundo álbum, “La Judería” (2005), continuou a transformar as canções ladinas, mas começou a fazer experiências com o flamenco (que mais tarde viria a estudar em Sevilha), num cruzamento entre a pureza e o romantismo da música judaica e a paixão do flamenco que ainda hoje define a sua identidade musical e que viria a merecer a aclamação da crítica internacional, com duas nomeações para os prémios de world music da BBC Radio 3.

 

Depois de outro álbum de originais de grande sucesso internacional editado em 2007, “Mano Suave”, surge “Sentir” (2009), um trabalho maduro que contou com a produção de Javier Limón. “Tango”, lançado no final de 2014, é o sexto álbum de Levy. Enquanto “Libertad” (2012) a estabeleceu como uma cantora-compositora de reputação inequívoca, incidindo fortemente sobre influências da música espanhola e turca - sem esquecer a sua “marca registrada” - as suas canções ladino, em “Tango” apresentou-nos a outra das suas grandes paixões com um álbum e DVD ao vivo de concertos de tango argentino, de Carlos Gardel a Astor Piazzolla, sublimemente organizado e apaixonadamente produzido.

 

Atualmente integra o elenco de Salomé, do consagrado Yaël Farber, em cena em Londres no National Theatre até 15 de julho, ao que se seguirá nova tournée pelos Estados Unidos, pelo que o concerto de Bragança será uma das últimas oportunidades de a podermos ver a solo na Europa em 2017.

5º Indie Music Fest… Twin Transistors … Uma das primeiras confirmações

Indie Music Fest volta ao Bosque do Choupal, em Baltar, nos dias 31 de Agosto, 1 e 2 de Setembro de 2017 e as primeiras confirmações estão aqui… Os Twin Transistors (que nasceram em 2009 e só agora se estreiam em edições) são um caso sério e justificam o falatório que os vai começando a aclamar a partir da cidade natal de Leiria.

6c0355be-ecf7-40e8-861e-37af21af93b4.jpg

Produzidos, gravados e misturados por João Santos (membro dos The Allstar Project e produtor de First Breath After Coma e Born A Lion), os Twin Transistors transpiram rock, groove e alma.

Se inicialmente a sonoridade dos Twin Transistors era caracterizada por sintetizadores e teclados e influenciado por Sonic Boom/Spectrum, LCD Soundsystem, com algumas nuances de experimentalismo, actualmente caminham para um psicadelismo em formato canção, com influências de Spacemen 3, Spiritualized ou Brian Jonestown Massacre.

"Sun Of Wolves", o disco de estreia, foi lançado no dia 6 de Maio de 2016 pela Omnichord Records

Língua Franca… Novo Projecto de Capicua, Emicida, Rael e Valete

Capicua e Valete são portugueses, Emicida e Rael brasileiros.

Partilham a sua paixão pelo Rap e pelo Português, essa língua generosa que une os dois continentes e que os uniu num disco - “Língua Franca”.

Lingua Franca - capa disco.jpg

Ela”, o single de apresentação deste ambicioso projecto, é uma sentida canção em que Capicua, Emicida, Rael e Valete confessam o seu amor extremo pela música, afinal aquilo que lhes comanda a vida, que os levou ao Rap e a essa “Língua Franca” que os trouxe até aqui.

Um beat cósmico, profundo e moderno, eminentemente electrónico, temperado pelo Dub, recebe a mestria de quatro MC’s, numa elegia à música que lhes moldou o futuro, que parece voltar a ganhar forma nas canções deste disco singular. Um álbum em que dois dos mais talentosos MCs brasileiros colaboram de perto com dois dos mais significativos Rappers nacionais, fundindo diferentes experiências, realidades e sensibilidades musicais num corpo comum, que tem a rima e a palavra como ponto de encontro.

Produzido por Kassin, Fred Ferreira e Nave, “Língua Franca” é um disco único que leva Rap feito em Português a lugares onde nunca chegou. O disco foi gravado entre Lisboa e São Paulo e tem edição agendada para o dia 26 de Maio de 2017

A XXIII no Hard Club (Porto)

No dia 26 de Maio, a XXIII acontece novamente. Desta vez, o evento desce umas ruas e vai até ao Hard Club (Sala 2) para uma noite em que os future beats são reis e senhores.

215ebc1c-ca32-4611-b59b-a2cfdf70177b.jpg

A editora e promotora sediada no Porto traz a Portugal pela primeira vez o dj e produtor, FS Green, directamente de Amesterdão. Além de ser uma peça fulcral no movimento hip-hop holandês como produtor, é também considerado um dos melhores dj's de hip-hop e future beats dos Países Baixos. Em 2013, torna-se conhecido devido à colaboração com Major Lazer no tema "Bumaye", do qual é autor da faixa original com The Flexican. As suas influências remontam ao funk e soul dos anos 70, criando sets únicos e que não deixam ninguém parado.

Ao seu lado vai estar KKing Kong, um dos produtores prodígio da Enchufada, com colaborações com projectos como Buraka Som Sistema, Carlão e Fred (Orelha Negra). Para fechar o line-up com chave de ouro, a XXIII faz-se representar por dois artistas do seu roster: Cash From Hash, produtor de ball room e future bass; e Baltazar, que se diz não estar agarrado a nenhum género, mas a sua aura gira à volta do dancehall e do future beats.

5º Indie Music Fest… Them Flying Monkeys… Uma das primeiras confirmações

Indie Music Fest volta ao Bosque do Choupal, em Baltar, nos dias 31 de Agosto, 1 e 2 de Setembro de 2017 e as primeiras confirmações estão aqui... Os Them Flying Monkeys são uma banda de rock alternativo, feita nascer em Sintra pelas mãos de Diogo Sá (guitarrista), Francisco Dias Pereira (teclista), Hugo Luzio (baterista), João Tomázio (baixista) e Luís Judícibus (vocalista e guitarrista), cinco amigos de longa data. As suas canções espelham o contraste entre a atmosfera mais tensa e negra da cinzenta florestação sintrense e as melodias mais brilhantes e luminosas da maresia costeira que circunda a antiga sala de ensaios onde todas as suas músicas foram escritas: a eterna Penca.

46ca0f13-f93d-4b03-bbde-66d1d59921d4.jpg

2016 foi um ano em cheio para os Them Flying Monkeys. A banda lisboeta chegou aos palcos de dois dos maiores Festivais Europeus da atualidade, o BBK em Blibau e o NOS Alive em Lisboa sendo bastante aclamados pela critica e mostrando que o EP homónimo de 2015 não era obra do acaso.

“Golden Cap” é o primeiro LP dos Them Flying Monkeys, editado pela Sony Music Entertainment. Nele conta-se a história de Molly e unem-se as duas facetas da banda, uma mais negra e sombria, onde o ruído e a energia turbulenta encarnam a figura da bruxa má que envenena e atraiçoa e a outra mais cintilante e luminosa, onde a melodia e os sintetizadores flutuantes encaminham a “Molly” pela célebre estrada dos tijolos amarelos, conduzindo-a aos macacos alados. As canções acompanham este imaginário, alternando entre ambientes de tensão e luminosidade: as contra-partes consolidam-se.

“Double or Nothing”… o novo álbum de Frankie Chavez já à venda

Frankie Chavez está de volta com um novo álbum de estúdio, “Double or Nothing”, três anos depois de “Heart & Spine” (2014), um disco que é uma verdadeira prova de fogo na qual aposta todo o seu potencial num conjunto de canções influenciadas pelo contexto social dos nossos dias…

frankie.jpg

Whatever Happened to Our Love” é o mais recente single revelado deste “Double or Nothing” e na próxima quarta-feira, dia 24 de maio, será divulgado o novo vídeo deste tema, realizado por André Tentugal. “Whatever Happened to Our Love” segue-se a “My Religion”, o primeiro single, que é um autêntico espelho do momento social conturbado que se vive atualmente, refletindo sobre os recentes ataques terroristas que têm acontecido no mundo. “Escrevi esta canção no dia a seguir aos atentados em Paris e pelo tema da canção lembrei-me imediatamente de convidar o Poli Correia (Sam Alone) para a cantar comigo."

Frankie Chavez convidou ainda o músico Benjamin para produzir o tema.

 

"Double or Nothing" é, segundo Frankie Chavez, "um álbum de histórias que vão desde a perda ao nascimento, ao andar na estrada, ao tempo que perdemos em coisas fúteis. Fala também de amor e de relações impossíveis. E fala de atentados terroristas e de privação de liberdade." Além de Poli Correia e Benjamim, Frankie Chavez contou ainda com outros colaboradores, nomeadamente João Correia e Donovan Bettencourt, que formam a sua banda, e ainda o baterista e produtor Fred Ferreira e o teclista Paulo Borges, que trouxe alguns ambientes mais psicadélicos a estas novas canções.

 

O álbum já se encontra à venda e está disponível nas várias plataformas de streaming, conta com o apoio da Antena 3 e será apresentado ao vivo em outubro no Teatro da Trindade, em Lisboa.

 

Digressão 2017:

20 Maio 2017 – The Surf Experience (Lagos)

15 Junho 2017 – Guitarras Ao Alto com Peixe (Avis)

16 Junho 2017 – Guitarras Ao Alto com Peixe (Estremoz)

17 Junho 2017 – Guitarras Ao Alto com Peixe (Beirã-Marvão)

24 Junho 2017 - Montemor-o-Novo

5 Julho 2017 – Villa Ada / Roma (Italia)

6 Julho 2017 – TBC (Italia)

7 Julho 2017 – Botanique / Bologna (Itália)

8 Julho 2017 – Rocka In Musica / Roccamandolfi (Itália)

20 Julho 2017 – Orientoccidente / Terranuova Bracciolini (Itália)

30 Julho 2017 – Arrifana Sunset Fest (Arrifana)

14 Agosto 2017 – Festival Bons Sons (Cem Soldos)

21 Outubro 2017 - Hard Club (Porto) 

Exposição “Vinte Retratos” de Ricardo Leite inaugura em Tomar

A exposição “Vinte Retratos”, de Ricardo Leite, é inaugurada no próximo sábado, 20 de maio, pelas 16 horas, na galeria temporária do Núcleo de Arte Contemporânea (NAC) de Tomar. Patente até 30 de junho, integra a comemoração do 13.º aniversário do NAC e o Dia Internacional dos Museus. Nestes retratos, Ricardo Leite reinterpreta, através de desenhos em papel ou pintura a óleo, os rostos de personalidades como Júlio Pomar, Siza Vieira, José de Guimarães, Maria do Céu Guerra, Maria Teresa Horta, Mário Cláudio, José Sasportes, Gonçalo Byrne, entre outros.

auto-retrato_barroco.jpg

Esta é a 54.ª exposição temporária do NAC, criado na sequência da doação feita pelo professor José-Augusto França. “Folheia-se pois o álbum num salão actualíssimo, e nele deparamos com a nitidez que nos salva dos desastres planetários, e nos conduz à esperança do face a face com aquilo que fundamentalmente somos, um quadro fisionómico que prescinde de justificação. E se o mesmo não acontecer a Narciso, restar-nos-á prosseguir na averiguação do que sucede além do espelho, território através do qual Ricardo Leite nos guia com mão seguríssima.” a opinião de Mário Cláudio sobre o artista.

 

Ricardo Leite, recorde-se, nasceu no Porto em 1970. É licenciado em Artes Plásticas-Pintura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, frequentando o Doutoramento em Arte e Design da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Minho. Foi assistente convidado nas Faculdades de Belas Artes e de Arquitetura da Universidade do Porto. Expôs, entre outros locais, na Exposição do BP/Amoco Award na National Portrait Gallery, Londres e Aberdeen Gallery, Aberdeen (2000); no Centro de Estudos Judiciários, Lisboa (2009); na Galeria Trindade, Porto (2011); na Casa da Galeria, Santo Tirso (2011); na Galeria do Museu Nogueira da Silva, Braga (2011). Recebeu vários prémios pelo seu trabalho.

 

Patente até 30 de Junho, pode ser visitada de quarta a domingo, das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 18h00.

André ViaMonte apresenta o álbum "Via" no Casino Estoril

O álbum “Via” de André ViaMonte assume-se como um resultado musical integrante de um mundo na “… era da Globalização.”

Sendo uma obra de alguém que teve acesso uma diversidade cultural é inevitável a multiculturalidade e fusão musical… Entre o Pop e Soul ao Fado, do Canto Lírico às Vozes Búlgaras, da Bossa Nova ao Folclore o álbum é uma consequente biblioteca musical de influências muito diferentes e díspares que unem falando uma só linguagem universal construída na emoção.

untitled

André ViaMonte dá-nos assim acesso a uma viagem por 14 temas com convidados especiais: Fernando Girão, Ana Laíns e Myriam Madzalik.

Vários temas com identidades próprias, correspondendo a diversas fases de vários percursos de vidas. “Mais do que cantar para parecer… é preciso SER no cantar e levar a música a uma via de união empática gerando sentimentos de pertença, respeito e tolerância.”

 

Casino do Estoril / Auditório

27 de Maio 2017 | 22.00h

Musica alternativa de We Find You, este sábado no Museu FC Porto

Depois do competente blues/rock dos Serushio, de abril, chega a vez dos We Find You, este sábado, dia 20, e dos We Bless This Mess (17 de junho) mostrarem o seu registo sonoro ao vivo, sem rede, e provarem a urgência de marcar presença na agenda crescente de propostas musicais alternativas.

18221666_1890895531183815_5324944643660035711_n.jp

Mais dois nomes para o Discover Gigs – um palco especial para divulgação de projectos musicais emergentes - que marcam o arranque de uma parceria inédita entre o Museu Futebol Clube do Porto e a plataforma digital Exclusiph (ferramenta tecnológica da Musikki).

 

O desvendar de talentos, a (re)descoberta de bandas, a promoção de novas sonoridades passam por estes concertos de fim de tarde, sempre às 18h00,  no Museu FC Porto, que, em simultâneo com eventos como o “Dar Letra à Música”, se passa a afirmar, mensalmente, como emissor da criatividade ascendente.

5º Indie Music Fest… Conjunto Corona… Uma das primeiras confirmações

Indie Music Fest volta ao Bosque do Choupal, em Baltar, nos dias 31 de Agosto, 1 e 2 de Setembro de 2017 e as primeiras confirmações estão aqui...  Corona é um Low-life Scumbag da baixa portuense que anda sempre em “cenas”, insatisfeito mas com ideias, inadaptado mas resistente. Não o queres ter à porta do teu estabelecimento com hálito a hidromel gabando-se das suas proezas porque o resto é uma “treta”.

858fb90d-bc53-4c2c-a278-f7fbd1001f1f.jpg

“Lo-Fi Hipster Sheat” é o nome do primeiro trabalho de Corona, um estilo musical per si, baseado no Rock Psicadélico/Progressivo dos anos 60 e 70. São onze faixas de… ninguém sabe bem, depende dos efeitos sob os quais Corona esteja. Juntaram-se ao seu psicadelismo nomes como: Thundercuts, Minus, Mike El Nite, Kron Silva e RealPunch.

A questão que se coloca é: Trazes cogumelos contigo?

Depois dos dois álbuns editados em 2014 e 2015 (“Lo-Fi Hipster Sheat” e “Lo-Fi Hipster Trip”), o conjunto Corona regressou em 2016 com o seu terceiro álbum em 3 anos. A “ópera Hip-Hop Psicadélica/Rock & Roll aditada por molho de francesinha” (como um dia foi apelidada por Álvaro Costa) continua neste capítulo com a narrativa a tomar lugar na tão portuense Rua de Cimo de Vila, reconhecida pelos seus distintos clubes noturnos de diversão. Só para recordar “Cimo de Vila Velvet Cantina” está no 22ª lugar da lista dos 30 melhores disco do ano de 2016 para a Glam magazine (recordar aqui)

 

Corona são dB e Logos, duas distintas personagens do HipHop nacional que uniram ideias em comum.

dB é o produtor de serviço e muito provavelmente o maior clepto...maníaco de samples em Portugal, tudo tem potencial para ser reutilizado nos seus beats. A sua discografia conta com três álbuns em nome próprio: “[Beat]erapia” (2012), “[Retro]activo” (2012) e “Black Cobra” (2014). Esteve também presente na compilação Novos Talentos da Fnac em 2012 e produziu recentemente a viral música de PZCara de Chewbacca”.

 

Logos é o rapper de serviço e muito provavelmente aquele com mais facetas em Portugal, quase camaleónica a forma como aborda cada música. A sua discografia é composta por três álbuns no grupo Raiz Urbana: “Renasce o Underground“ (2006), “Esfera em Guerra” (2008) e “Tempo de Vida” (2013); os trabalhos a solo “Subúrbio Envolve” (2007) e “L’s Kitchen” (2010); “Roulote Rockers” e o EP “Projecto de Sábado à Tarde” (2009), assim como Ollgoody’s e o álbum “Passeio” (2014)

Corona é a maturação non-sense de dois artistas sem limites.

Catálogo de Tom Petty & The Heartbreakers lançado em vinil a 2 de Junho

A 2 de junho, a Universal Music vai lançar oito álbuns do catálogo de Tom Petty and the Heartbreakers em vinil. Cada álbum foi remasterizado para este novo lançamento e sete deste conjunto de álbuns: “Damn the Torpedoes”, “Full Moon Fever”, “Hard Promises”, “Into the Great Wide Open”, “Let Me Up (I’ve Had Enough)”, “Long After Dark” e “Southern Accents” – fazem parte da caixa “The Complete Studio Albums Volume 1”, lançada no ano passado para celebrar o 40.º aniversário do álbum de estreia homónimo de Tom Petty and the Heartbreakers.

A Universal Music vai ainda lançar “Pack Up The Plantation Live”. Os álbuns vão estar disponíveis individualmente em vinil de 180 gramas com o artwork original.

VARIASIMAGENS.png

Tom Petty and the Heartbreakers vão ainda iniciar este mês uma digressão repleta de concertos esgotados nos EUA e Canadá. A digressão conta com as primeiras partes de Joe Walsh, Chris Stapleton, Peter Wolf e The Lumineers. A banda vai ainda liderar o Barclaycard Presents British Summer Time, no Hyde Park, em Londres, um espetáculo que contará como convidados especiais Stevie Nicks, The Lumineers, Ward Thomas, The Head and The Heart, Tyler Bryant and The Shakedown e The Shelters, entre outros. Esta será a única atuação europeia deste ano de Tom Petty and the Heartbreakers.

 

Os álbuns a ser reeditados a 2 de junho são:

“Damn The Torpedoes”

“Full Moon Fever”

“Hard Promises”

“Into The Great Wide Open”

“Let Me Up (I’ve Had Enough)”

“Long After Dark” “Pack Up The Plantation Live!” (2-LP)

“Southern Accents”

5º Indie Music Fest… Conjunto Corona, Them Flying Monkeys, Twin Transistors, Heavy Cross of Flowers e Paraguaii

Indie Music Fest volta ao Bosque do Choupal, em Baltar, nos dias 31 de Agosto, 1 e 2 de Setembro de 2017 e as primeiras confirmações estão aqui!

A organização do Indie Music Fest está a preparar uma edição muito especial para a celebração da 5ª edição do festival e apresenta os primeiros cinco nomes para o cartaz 2017.

logosite_imf17.png

Do Porto chega-nos Conjunto Corona. Corona são dB e Logos, duas distintas personagens do HipHop nacional que uniram ideias em comum. De Lisboa os Them Flying Monkeys que chegaram aos palcos de dois dos maiores Festivais Europeus da atualidade, sendo bastante aclamados pela critica. Os Twin Transistors são um caso sério e justificam o falatório que os vai começando a aclamar a partir da cidade natal de Leiria. Os Heavy Cross of Flowers com uma vontade enorme de continuar a ser parte do mundo da música. E de Paço de Ferreira até Guimarães encontramos os não menos surpreendentes Paraguaii

 

A tradição mantêm-se e o Bosque do Choupal dá os primeiros passos para receber os amantes da nova musica nacional no Indie Music Fest 2017.

“Só é Feio quem Quer” por Mariama Barbosa

Só é feio quem quer. Pode ser uma afirmação arrojada, mas a Mariama - que trabalha no mundo da moda há mais de 20 anos - acredita nisso com toda a convicção. “É claro que há pessoas mais bonitas que outras, mas existe um brilho em todos nós que não pode ser extinto e que deve ser reavivado”. E é a essa centelha de inspiração que a “style adviser” se refere e que se propõe a ajudá-la a encontrar.

untitled.jpg

A verdade é que muitas vezes nos limitamos a vestir sempre as mesmas calças e a comprar sempre as mesmas camisolas, que só variam na cor. Outras vezes achamos que aquele casaco, que fica tão bem na nossa amiga, jamais nos assentará bem. E as it girls? Ah, essas têm imenso dinheiro para comprarem o que lhes apetecer. São desculpas, desculpas, desculpas.

 

A prova disso mesmo está neste livro. A Mariama Barbosa mostra aqui que, mesmo com um orçamento reduzido, é possível inovar e impressionar – todos os dias. Que com umas calças pretas com pinta e uma simples t-shirt branca podemos causar boa impressão e que no seu armário (ou no da sua mãe) há peças com muito potencial às quais nunca deu a devida atenção. Então, aceite o desafio da Mariama e vamos lá aperfeiçoar o visual. Além de levantar a auto-estima, é muito divertido!

 

Uma edição A Esfera dos Livros

Liam Payne lançou hoje o aguardado single de estreia a solo…

Liam Payne revelou hoje o seu muito aguardado single de estreia a solo, “Strip That Down”. O tema, co-escrito por Liam, Ed Sheeran e Steve Mac, conta com a participação do rapper Quavo, membro fundador do muito aclamado grupo de hip hop Migos.

Liam_Payne_Packshot_Photo_Photo_Credit_Mathhew_Bro

Gravado nos Rokstone Studios, em Londres, o novo single resume-se a três minutos e vinte e quatro de segundos de pop urbana sexy, com uma linha de baixo hipnótica e um beat 808 esparso.

A letra assinala um novo começo para Liam, refletindo o seu espírito divertido, mas também a sua independência e convicção como artista a solo, enquanto a sua voz demonstra o seu talento inimitável para a melodia.

Liam disse: “Tenho estado a trabalhar muito no estúdio ao longo do último ano e estou muito entusiasmado por partilhar esta nova música com os meus fãs incríveis. Mudei muito desde a nossa estreia nos One Direction e espero que todos gostem da minha nova sonoridade tanto quanto eu. 2017 já é um grande ano para mim e estou muito expectante com o futuro e com tudo o que ainda acontecerá daqui em diante.”

Strip That Down” feat. Quavo já está disponível com o selo da Capitol Records. Este ano Liam revelará mais músicas.

Setúbal é a capital da LEGO entre os dias 20 e 28 de Maio

O Fan Event For Lego® Lovers, organizado pela AlfaLug, uma associação de fãs da marca dinamarquesa, em parceria com a Câmara Municipal de Setúbal, apresenta autênticas cidades elaboradas com as conhecidas peças de encaixe coloridas.

Há construções para todos os gostos e com diversos temas, desde castelos medievais a robots futuristas, comboios em movimento, monumentos, esculturas gigantes, um circo e uma feira popular, ou ainda obras relacionadas com universos de sagas como “Star Wars” e “Harry Potter”.

untitled.jpg

Além da mostra, que ocupa uma área de 1600 metros quadrados, o Fan Event For Lego® Lovers disponibiliza uma playzone para as crianças fazerem as suas construções, numa piscina com cerca de 130 mil peças. Há também um espaço com insufláveis e pinturas faciais para as crianças, bem como uma área de venda de conjuntos de Lego.

 

O evento abre ao público no dia 20, às 10h00, com apontamentos musicais a cargo dos grupos de percussão e de saxofone da Academia de Música e Belas-Artes Luísa Todi. De domingo a segunda, o espaço pode ser visitado das 10h00 às 22h00 e, aos sábados, das 10h00 às 23h00. No dia de encerramento, domingo, 28, o evento termina às 20h00.