Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

“Alcalino" antecipa o primeiro LP dos Hitchpop

A chegada do Outono, a anunciação do Inverno e a imposição de uma crença fria adiada trazem mais novidades para além da folha caduca - que já não surpreende ninguém. Surpreender é, talvez, algo que caiba aos portuenses Hitchpop, que se preparam para lançar um novo e debutante álbum no próximo mês. Em jeito de antecipação, eis o vídeo da música de avanço "Alcalino"

hitchpop-lowres.jpg

O vídeo, realizado por António Amorim, acrescenta o elemento da dança do fumo ao diálogo intenso entre saxofone, bateria e baixo eléctrico.

Hitchpop é um nome sonante e descomplexado, oco de significados forçados, mas cheio de sonoridades díspares e ricas. O trio é composto por alguns dos talentos mais prementes da cena rock e jazz da cidade do Porto, reunindo João Guimarães, Marcos Caveleiro e Miguel Ramos, que colectivamente compõem um dos currículos mais invejáveis que se pode ter, com colaborações ou intervenções em Supernada, Jorge Palma, Susana Santos Silva, TORTO, Orquestra de Jazz de Matosinhos, Live Low, André Fernandes e Octeto Zero. Musicalmente, o espaço que exploram estão ainda por cartografar nos terrenos entre o rock e o jazz, com algumas incursões electrónicas a simplificar o método até a uns tons de pop surgirem.

"Hitchpop", o disco homónimo, tem edição apontada para dia 17 de Novembro​, num esforço conjunto entre a banda e a portuense Turbina,​ e apresentação marcada para o Círculo Católico Operário do Porto, no sábado dia 18 de Novembro.

“Shake It”… O Novo single de Ella Nor acaba de ser editado…

“Shake It”, o novo single de Ella Nor, está disponível a partir de hoje (27 de Outubro) nas plataformas digitais (Spotify, iTunes,…). Este tema, usado na base sonora da nova campanha da Yorn, é o primeiro que a artista edita com o selo Warner Music, após assinar contrato com direitos para todo o mundo com a multinacional.

ELLA NOR - BW.png

Ella Nor, nascida Leonor Andrade (nome com o qual ficou conhecida pela suas participações no The Voice Portugal e no Festival da Canção), desde muito cedo que tem uma ligação muito estreia com a música. Com apenas 4 anos de idade já tinha aulas de piano, as quais manteve durante vários anos na expectativa que viria a ser pianista clássica. Esse seu desejo terminou quando descobre o enorme prazer que é cantar e compor as suas músicas. Dois talentos que esta cantora/ compositora de apenas 23 anos de idade tem desenvolvido nos últimos anos.

Com uma energia e um carisma invulgares, Ella Nor é certamente uma das mais talentosas artistas da nova geração da música portuguesa. Se dúvidas existem, o tempo tratará – muito rapidamente – de as dissipar.

Norton são os Convidados de Novembro do CCbeat

É certo que já vão no quarto álbum de originais, mas a frescura com que se reinventam a cada disco faz dos Norton um dos melhores exemplos de como a pop e a música alternativa podem andar de mãos dadas e serem felizes. Entre as texturas doces, o cheirinho a sonhos, as cascatas sónicas e uma secção rítmica que puxa para a pista de dança sempre que pode, o quarteto de Castelo Branco soma já catorze anos de carreira, quatro registos de originais, dois álbuns de remisturas, digressões por toda a Europa, edições no Japão e um documentário.

Imagem - Norton 3 - Página Oficial do Facebook.jp

O concerto no CCB no próximo dia 4 de Novembro marcará o final da digressão do disco homónimo, de 2014.
Mas, acima de tudo, será um espectáculo de braços abertos para o futuro e para tudo o que com ele virá: um novo disco, novas viagens e muitas histórias para contar

 

 

The Black Zebra e elsiane… os extremos no Hard Club

O Hard Club recebeu, nesta sexta feira, os portugueses The Black Zebra e os Canadianos elsiane numa noite de quase extremos no panorama musical.

DSC_5202 (Cópia).jpg

The Black Zebra abriram as hostes com um concerto a um ritmo electrizante. Originalmente um duo, a banda é agora composta por três elementos mas segue a receita original (já era vencedora), adicionando apenas uma pitada de ainda mais energia. O post-rock instrumental dos The Black Zebra conquistou completamente a sala, onde poucos eram os que já conheciam a banda.

DSC_5573 (Cópia).jpg

Diretamente do Canadá chegaram os elsiane. Com uma voz suavemente poderosa, Elsieanne cantou e encantou o Hard Club, realçando por várias vezes a alegria que sentia por estar a tocar na cidade do Porto, comprovada pelo sorriso aquando das reações do público.

DSC_5858 (Cópia).jpg

O concerto na Invicta teve direito a um tema exclusivo, “secreto” até, como a cantora referiu, pertencente a um projeto que sairá em 2018 e cujas filmagens deste concerto irão estar presentes.

DSC_5746 (Cópia).jpg

Um concerto que resultou muito bem para a sala composta que os recebeu, com as projeções sincronizadas com a música a ajudarem a criar um ambiente místico e exótico.

 

Todas as fotografias podem ser vistas nas galerias do facebook da Glam Magazine.

Texto e fotografias: Vasco Coimbra

 

Homem em Catarse no Museu FC Porto em parceria com a Tomorrow Comes Today

Afonso Dorido é o Homem em Catarse que leva este sábado, pelas 18 horas, ao Museu FC Porto, um roteiro de sonoridades destinado a cativar os melhores apreciadores de música alternativa/emergente. Este projeto de divulgação de novas tendências musicais, em que o Museu se envolveu há algum tempo, surge de uma conceção agora em parceria com a Conferência Internacional de Música, Tomorrow Comes Today (TCT) e coloca ainda mais a música e o universo do Dragão na rota cultural da cidade.

homem.jpg

photo: Paulo Homem de Melo

 

Com “Viagem Interior” (2017), álbum de estreia, o autor leva ao palco do Museu uma incursão pelo país, revelando, através da música, experiências vividas à descoberta das terras e das gentes de Portugal, com textos de José Luís Peixoto. A diversidade de sensações e as culturas visitadas ao longo de vários anos a percorrer, de guitarra ao ombro, as estradas e os caminhos nacionais convergem num trabalho tocado pela criatividade e a vocação inata para estruturas ricas. Em 2014, Afonso Dorido foi a estúdio gravar o EP de lançamento “Homem em Catarse”, acrescentando à discografia os singles “Mergulho no Cávado” e “Guarda-Rios”, ambos de 2015. Após uma paragem de verão, “Discover Gigs” regressa ao Auditório Fernando Sardoeira Pinto, mantendo a linha de revelação de talentos e descoberta de novas bandas e projetos de qualidade emergentes na música nacional. 

10.º aniversário da Make-A-Wish celebrado com um hino já disponível

Para celebrar os 10 Anos da Make-A-Wish Portugal a realizar desejos com a força de uma vida, foi lançado o Hino Make-A-Wish! 10 anos que resultam na realização de 1000 desejos até ao final do ano. E haverá forma mais perfeita de comemorar do que com a música? Rita Redshoes é a “responsável” pelo hino Make-A-Wish, no qual explica, a cantar, como é que se transformam desejos em realidade.

Image1a.jpg

“Quero dar um beijo à Wonder Woman

Passear na selva com um puma

Vou subir ao topo da torre Eiffel

e voar com asas de papel”

O Hino pretende fazer chegar a magia da Make-A-Wish a todas as crianças e jovens elegíveis, realizando assim mais desejos! A música já está disponível em todas as plataformas digitais, e a totalidade das receitas reverte a favor da Make-A-Wish!

O convite foi feito à cantora Rita Redshoes que escreveu e compôs o Hino agora lançado e que conta com a participação de vozes bem conhecidas do público português como Ana Bacalhau, David Carreira, David Fonseca, Diogo Piçarra, Jorge Benvinda, Luísa Sobral, Pedro Moutinho e Samuel Úria.

Melech Mechaya apresentam "Aurora" em Lisboa e Porto…

Os Melech Mechaya irão realizar dois grandes espectáculos em Lisboa e no Porto em duas das mais carismáticas salas do país: Tivoli BBVA dia 27 de Dezembro (Lisboa) e Casa da Música dia 29 de Dezembro (Porto).

dbe0f6b5-8564-4b5e-a806-8bc3b0dea420.jpg

Os concertos assinalam o lançamento do novo disco "Aurora", e terão a presença de convidados especiais. O novo disco tem conquistado a crítica nacional e internacional, e figurou durante 3 meses consecutivos no Transglobal World Music Charts.
 
O 3º single extraído de Aurora será "Boom", com a participação especial de Noiserv, e tem data de lançamento prevista para o fim de Outubro. Após mais de 9 meses em estúdio, o novo disco "Aurora" representa o trabalho mais inovador e original dos Melech Mechaya, alargando os horizontes da música klezmer para uma sonoridade única que é só deles.

TREBLINKA… o mais recente documentário de Sérgio Tréfaut sobre o holocausto

Rússia, Ucrânia e Polónia: viajamos num comboio fantasma a caminho dos campos de extermínio. Presente? Passado? Futuro? As vozes dos sobreviventes relatam aquilo que não é possível mostrar em imagens. Só é possível imaginar. O velho postulado do pós-guerra “Nunca Mais” soa agora como uma fantasia quando tudo está a acontecer novamente.

untitled.jpg

Baseado nas memórias de Chil Rajchman, “Treblinka: a survivor’s memory”, TREBLINKA começou com uma proposta de documentário sobre Marceline Loridan-Ivens, viúva do realizador Joris Ivens, judia francesa, cineasta e escritora, sobrevivente do campo de Birkenau. Foi através de Marceline que Sérgio Tréfaut começou a perceber o universo de fantasmas que rodeia os sobreviventes do Holocausto, como os de outros genocídios. Pessoas que conheceram o horror absoluto e para quem a vida tem outra dimensão.

 

“Ao ler o livro de Chil Rajchman publicado pela primeira vez em 2009, fiquei em estado de choque, sem fôlego. O lado descritivo e factual do quotidiano num campo de extermínio pareceu-me mais forte do que tudo o que tinha lido até então. Quis partilhar essa experiência através de um filme onde a palavra seria o principal veículo.”, comenta Sérgio Tréfaut. Existe em TREBLINKA uma voluntária oposição entre o horror do texto e uma beleza das imagens, num tempo em que o espetactador é confronto a uma exaustão de imagens do horror que já não provoca nenhuma reacção.

 

“Montei TREBLINKA enquanto se conheciam as atrocidades do ISIS. A situação muito próxima da barbárie absoluta e da indiferença à barbárie faz com que o filme seja muito contemporâneo”, de acordo com o realizador. “Mas nós vivemos a mesma coisa hoje. Temos uma blindagem e uma necessidade de anestesia para sobreviver. (…) O meu sentimento é de impotência perante a nossa incapacidade de mudar as coisas. Ou perante a minha, para começar. O pesadelo dos outros é algo com que eu tenho de conviver e, ao mesmo tempo, manter a minha sanidade. Ter consciência de que o horror absoluto está a acontecer agora e ter ainda disponibilidade para ser feliz. E se puder fazer algo, fazia. Isso é muito perturbador. ”

 

TREBLINKA recebeu o Prémio de Melhor Filme Português no IndieLisboa'16 e o Prémio Perso no Festival de Perugia este ano.
Chega agora em edição DVD.