Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

“Bichos” pelo Dançando com a Diferença em Digressão…

Os Dançando com a Diferença voltam aos palcos nacionais com “Bichos”, criação de Rui Lopes Graça que teve a sua estreia mundial a 29 de janeiro de 2016. “Bichos”, além das suas apresentações locais, na Ilha da Madeira, esta obra do repertório do Dançando com a Diferença já foi apresentada em São Paulo (Brasil), Valência e Madrid (Espanha).

17991257_1515930501781666_6785354006876358696_n

Reunir um elenco de pessoas com e sem deficiência e fazer da dança uma ferramenta contra a diferença foi a proposta de Henrique Amoedo, quando em 2001 aterrou no Funchal. Aos primeiros passos o projecto demonstrou que tinha pernas para andar e, consequentemente, nasceu o grupo Dançando com a Diferença, hoje companhia residente no Mudas. Museu de Arte Contemporânea da Madeira. Se a dança exige disciplina, preparação física, empenho, cada bailarino, de diferentes faixas etárias, consegue dar-lhe o seu toque pessoal, fruto de limitações, como a cegueira, trissomia 21 ou doenças raras e degenerativas. E não precisa de ser um entendido na matéria, apenas deixar-se levar pela música, pela linguagem corporal, pela poesia cénica. As performances despertam emoções e lágrimas, sem deixar espaço para a indiferença. A direcção artística de Henrique Amoedo conduziu o grupo aos palcos nacionais e internacionais, onde foram aclamados pelas suas capacidades estético-artísticas, quer pelo público, quer pela crítica especializada.

 

Ao seu repertório juntaram-se coreógrafos de renome, como Clara Andermatt, Henrique Rodovalho, Elisabete Monteiro, Rui Horta, Paulo Ribeiro e Rui Lopes Graça, entre tantos outros. Se a arte é o foco principal, há um lado educativo e terapêutico que nunca é descuidado no trabalho desenvolvido e que se estende às famílias, de forma a integrar todos os elementos numa sociedade que continua a levantar barreiras físicas e tem dificuldade em aceitar a deficiência.

 

No Dançando com a Diferença promove-se a igualdade de oportunidades, de crescimento enquanto pessoas e artistas. Em Ovar a apresentação acontecerá no Centro de Arte de Ovar na véspera do feriado, dia 24 de abril (22h).

Sandra Nobre