Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

“bomPorto”… Concerto pelos Refugiados

A Sister Ray organiza e apresenta no domingo, dia 25, o concerto bomPorto, que tem por objetivo sensibilizar a opinião pública e angariar fundos para apoiar o acolhimento de refugiados na cidade do Porto e no país. O bomPorto reúne 25 projetos musicais dos mais variados géneros, do Jazz ao Experimental, do Fado à Música Africana, da Eletrónica ao Drum’n’Bass, do Folk ao Soul, do Rock ao Pop, ao Rap e Hip Hop, no que serão 9 horas ininterruptas de concertos, com a garra de quem dá a cara pelo que acredita.

the wetherman.jpgAlex FX, Ana Deus, Blind Zero, Carbon com emmy Curl, Peixe e Manuel Molarinho, Carla Starla, Desligado, Eat Bear, Fat Cap, Ghosts of Port Royal, H2O, Helena Sarmento, José Valente, Kiko & the Jazz Refugees, Malcontent, Marquês Jam Trio, Mundo Secreto, O Incrível Homem Bomba, Olavo Lüpia, Old Jerusalem, Our New Lie, Peter De Cuyper, Plax Vaz & Kriol’Art, Rated With An X, The Weatherman e The Wild Booze são os nomes que se farão ouvir contra o racismo e contra a xenofobia, pela compreensão, pela generosidade e pela fraternidade sem distinções.

Além da música, o bomPorto conta também com uma componente visual de Vjing em liveact pelo internacionalmente premiado Pixel Bitch, com a venda solidária de obras da artista plástica Manuela São Simão e ainda com intervenções de Pedro Chagas Freitas, Ricardo Alexandre e Rui Spranger. A apresentação das bandas estará a cargo de Isidro Lisboa e de outros profissionais ligados igualmente à Rádio Nova.

Os concertos acontecerão alternadamente nas salas 1 e 2, com início às 16h00 até à 1h00 da madrugada. A abertura de portas dar-se-á às 15h30 e o acesso e a circulação do público será mediante aquisição de uma pulseira, pelo preço mínimo de 10 €, podendo o público aproveitar para efetuar donativos acima desse valor.

As receitas de bilheteira deste concerto reverterão, na íntegra, para o Conselho Português para os Refugiados, que a par da Câmara Municipal do Porto e da PortoLazer, apoia esta iniciativa.

 

Hard Club (Salas 1 e 2) (Porto)

25 de Outubro 2015 | a partir das 16 horas

 

Manifesto

Construir, dar, lutar, proteger, sorrir, partilhar, chegar, acolher, ganhar, criar, amar, ser.

Humanos da Terra. Cidadãos do Mundo.

Estes são tempos que precisam de cada um como parte de nós.

Em que precisamos de salvar para ser salvos.

Das tripas coração para sonhar fazer.

Tocar alto a música, fazer vossa a nossa canção, como união de povos, para mudarmos e mudarmos estes dias para um futuro melhor.

Ao ver tanta miséria, tanta ignorância, tanta raiva, tanta destruição, racismo, má informação, ódio e dor não podemos ficar indiferentes. Se já havia vontade de fazer algo, em nome da ajuda a quem tudo arrisca para fugir da morte, agora é uma obrigação. Esta é a hora em que os homens avançam, quando os cobardes se ajoelham e os lobos se voltam a ouvir. Este é o momento em que a solidariedade não pode ser só uma palavra escrita e vã, este é o momento de acção, de fazer, de dar.

A cidade do Porto tem uma tradição humanista, de tolerância e auxílio. Generosa e crente nas causas maiores, dando o seu melhor, fazendo das tripas seu sustento e o de quem nos procura. E as suas pessoas não são de ficar indiferentes perante a crueldade, não são de ficar caladas acompanhando o silêncio das manadas. Por isso, mulheres e homens de Arte, Letras e de Música vão dar o seu contributo para uma tarde e noite no Hard Club para que a tragédia não seja esquecida, para que se faça pelos outros o que gostaríamos que os outros fizessem por nós, e para que a ignorância não se repita.