Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Festivais: Mêda +… anuncia Diabo na Cruz

A sexta edição do Festival Mêda+ acontece este ano nos dias 23, 24 e 25 de Julho e vai voltar a ter entrada livre.

Diabo_na_cruz.jpgApós confirmados os primeiros quatro nomes, Moe’s Implosion, Alice, Karpa, Low Torque, a organização desvendou recentemente mais dois: Diabo na Cruz e A Cepa Torta.

Os primeiros regressam à Mêda na digressão “Vida de Estrada” depois de terem marcado presença na edição de 2011 do festival.

Os segundos são uma banda natural da Mêda e vão estrear nesta edição músicas que farão parte do segundo álbum, que deverá ser lançado ainda no ano de 2015.

 

Ao longo de quatro edições, já passaram pelo Festival Mêda + bandas como Diabo na Cruz, Tara Perdida, d3o, X-Wife, O Bisonte, Feromona, Miss Lava, The Glockenwise, Wraygunn, Supernada ou Mão Morta.

 

O festival Mêda + teve a sua primeira edição em 2010, por vontade de um grupo de jovens do concelho, que se organizaram um ano antes numa Associação Juvenil.

Os principais propósitos passavam por acrescentar valor e diversidade à dinâmica cultural da Mêda e projetar o nome do concelho, com um festival de música que se pautaria por dois critérios essenciais: apoiar novas bandas portuguesas e abranger vários estilos musicais, numa experiência única para muitos dos jovens que habitam no concelho e na região.

As infra estruturas disponíveis colocaram-se desde logo como fatores aliciantes: a cidade dispõe de um parque de campismo e um complexo de piscinas municipais com condições de excelência, para além de um skatepark, que seria mais um motivo de atração.

A marca “Mêda +” estabeleceu-se definitivamente, associada a uma imagem de empreendedorismo, irreverência juvenil e ecleticismo musical.

O festival passou a ser um marco incontornável na agenda do verão e dos festivais de verão.

O Festival Mêda + destaca­se pela entrada gratuita perante um cartaz com bom calibre, mas não só: situa­se numa cidade acolhedora (com baixo custo de vida), criou um espírito familiar, é sustentado por jovens e permite uma experiência diferenciadora em relação a qualquer um dos festivais de música em Portugal.

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo