Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Infected Fest de regresso para a 4ª edição

Música feita com o coração em ambiente super acolhedor. É este o lema do Infected Fest, festival organizado pela Infected Records, que nos dias 2, 3 e 4 de Novembro celebra a sua sexta edição. São nove excelentes bandas em três dias que prometem ficar na memória no Popular Alvalade 

29b8450c-b7c6-43fa-afeb-06367da9e5bd


2 Novembro 2017


Sam Alone & The Gravediggers

Do Algarve para o Mundo. Poli aka Sam Alone e a sua banda não param e prometem muito sing-along, emoção, atitude positiva e músicas que tocam directamente no coração e que nos arrepiam.

Jackie D.

De regresso aos concertos em Lisboa, os Jackie D. trazem na bagagem 2 discos lançados em 3 anos e uma série de temas que são clássicos imediatos. Rock'n'Roll com influências Punk, muita intensidade e energia são garantias. 

Dope Calypso [Hungria]

Imaginem Buzzcocks e Sonic Youth, com um toque garage-rock e canções fantásticas. Os Dope Calypso vêm directamente de Budapeste apresentar-se ao público português. São responsáveis pela abertura do festival este ano.

 

3 Novembro 2017


TREVO

A "jogar em casa", os Trevo são daquelas bandas que não enganam: genuínos e cheios de canções cativantes, que nos agarram à primeira. O disco de estreia ainda está fresquinho e o encerramento do segundo dia vai ser, no mínimo, memorável.

Artigo 21

Enquanto preparam o segundo disco, os nossos punk-rockers favoritos regressam aos concertos em Lisboa para encerrar um ciclo de 3 anos fantásticos. Prometido um alinhamento especial, com algumas surpresas bem bonitas.

Pestox

Os Pestox nasceram na Margem Sul em 2002 e lançam o seu disco de estreia em 2003. Quinze anos depois, pisam o palco do Popular Alvalade para celebrar essa data, tocando o álbum na íntegra.

 

4 Novembro 2017


The Parkinsons

Punk, suor, atitude, honestidade, loucura. A história dos The Parkinsons é rica e fascinante. Os concertos são de uma intensidade difícil de igualar. O encerramento do festival está muito bem entregue.

Anarchicks

Riot Grrrl à portuguesa, a disparar música em todas as direcções e sem dar satisfações a ninguém. Quatro vozes dissidentes a semear discórdia e inquietar os ouvidos da multidão, que dão pelos nomes de Rita Sedas, Synthetique, Lola, e Katari.

Shut up Twist again [França]

Quem os apanhou ao vivo nas recentes visitas a Portugal sabe que a energia destes franceses é incrível. Punk-Rock influenciado por nomes como Against Me!, Anti-Flag ou Dead To Me que vai surpreender todos os presentes.