Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

O CITEMOR encerra na Figueira da Foz a edição de 2017

O CITEMOR estende, pela primeira vez, a sua programação à Figueira da Foz ocupando a Garagem Auto Peninsular. Na quinta-feira 7, Elena Córdoba apresenta, em estreia absoluta, “El Nacimiento de la Bailarina Vieja”, o mais recente projecto da bailarina e coreógrafa espanhola, terminado em residência de criação durante o festival. No dia seguinte, sexta 8, Bruno Humberto propõe “A Morte de Audiência” (na foto), um absurdo ensaio acerca do espectador.

10_Bruno_Humberto_01_[©_Jesus_Ubera]

 

O encerramento da 39ª edição do Festival de Montemor-o-Velho, no sábado 9, cabe aos leirienses First Breath After Coma.

09_El_nacimiento_02_[©_Elena_Córdoba]

El Nacimiento de la Bailarina Vieja” é um estudo sobre a mobilidade dos corpos envelhecidos, que tem como protagonista uma criatura fictícia, uma bailarina que nasceu já velha não tendo experimentado o desaparecimento da força e da mobilidade, e que por isso não sente a melancolia associada a essa perda.

Este solo, interpretado pela própria coreógrafa, inaugura a série de espetáculos “A idade da carne”, uma investigação da criação em torno do corpo infértil que envelhece.

 

A Morte de Audiência” é uma performance acerca da natureza do espectador – as expectativas, relações, tensões e papéis que cada um assume, individualmente ou em grupo numa situação de espectáculo ou terror cénico. Através da dança, video, teatro-físico, performance e som, apresenta-se um ensaio absurdo acerca do espectador, da sua responsabilidade, acção e passividade em massa. Uma série de situações para um público em movimento, onde são desconstruídas coreografias de distâncias e poder inerentes em qualquer tipo de ritual ou espectáculo.

 

Os leirienses First Breath After Coma cruzam o universo do ‘post rock’ com sons da vida e da natureza num formato canção. Após um álbum de estreia que mereceu a atenção da crítica e do público, “Drifter” é o continuar da viagem e mereceu o reconhecimento da Associação Europeia de Editoras Independentes com uma nomeação para melhor disco europeu de 2016.