Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Super Bock Super Rock… Palco EDP completo com Akua Naru e Pusha T…

Para os fãs de rimas e batidas, o dia 14 de julho vai ser imperdível, com mais dois nomes que garantem o presente e futuro do hip hop: Pusha T e Akua Naru.

akua.jpg

photo: Paulo Homem de Melo

 

Akua Naru tem sido apontada como um modelo para aquilo que uma mulher pode ser no mundo do hip hop. Vive em Colónia, na Alemanha, mas o seu talento chega a todo o mundo. Influenciada pelo jazz e pelo boom bap, o hip hop de Akua Naru é marcado por uma forte consciência social e política. Estes são elementos que podemos encontrar na estreia “The Journey Aflame”, um início mais do que promissor. Seguindo a mesma linha de qualidade, o segundo disco é editado em 2015. “The Miner’s Canary” comprova as boas indicações dadas no registo de estreia, denunciando influências muito recomendáveis: The Roots, Nina Simone, Jill Scott, Lauryn HIll, entre outros, ecoam no registo poético, político e espiritual de Akua Naru.

 

Terrence Thornton, mais conhecido pelo nome de guerra Pusha T, nasceu no Bronx, Nova Iorque, mas cresceu em Virginia Beach, com o irmão Gene Thornton. E foi precisamente entre irmãos que nasceu a dupla Clipse, em plena década de 90. Formaram, desde cedo, uma estreita relação com os Neptunes, de Pharrell Williams, e embarcaram numa carreira aclamada pela crítica. Apesar do sucesso, os Clipse decidiram acabar para que os irmãos Thorton pudessem seguir a solo.

 

Foi assim que em 2010, Pusha T assinou pela editora de Kanye West, a G.O.O.D. Music – que hoje dirige, sendo responsável pela direcção artística de tantos outros artistas, incluindo o próprio Kanye -, e logo participou na sua obra-prima: “My Beautiful Dark Twisted Fantasy”. Depois de algumas mixtapes, o primeiro disco chegou em 2013. “My Name Is My Name” recebeu a aclamação da crítica e contou com as participações de nomes como Rick Ross, 2 Chainz e Kendrick Lamar. Desde então, multiplicaram-se as colaborações com basicamente todos os nomes de referência do género, dos mais consagrados aos emergentes. O segundo álbum chegou dois anos depois. “King Push – Darkest Before Dawn: The Prelude” é, como o próprio nome indica, o prelúdio de algo maior – esperam-se mais desenvolvimentos neste ano de 2017. Para já, uma certeza: Pusha T tem construído um percurso invejável, alicerçado nas suas rimas cheias de uma boa acidez, palavras prontas a tocar na ferida, mas também a prestar homenagem ao legado de outros grandes nomes da história do hip hop.

Referências para conferir dia 14, no Palco EDP do Super Bock Super Rock.